Logo ME

Dica de leitura: The Wicked + The Divine tem deuses e diversidade

Há alguns meses, assistindo a uma entrevista com o Gerard Way (ex-vocalista da My Chemical Romance e atual roteirista da HQ Doom Patrol) sobre seu novo trabalho na DC, a HQ Young Animal, recebi dele uma indicação de história em quadrinhos que, segundo o cantor, era uma das melhores que tinha lido nos últimos tempos.

O título já me chamou atenção de cara: The Wicked + The Divine. Tem um chamariz meio sobrenatural, coisa que me atrai em um enredo, então pesquisei mais sobre. Logo me apaixonei pela HQ e pelas ilustras. Quem curtiu Deuses Americanos, do Neil Gaiman, com certeza também vai adorar o enredo desses quadrinhos.

The Wicked + The Divine, escrita pelo britânico Kieron Gillen, responsável pelo volume 2 de Jovens Vingadores, lançado em 2012, e ilustrada pelo incrível Jamie McKelvie (também de Jovens Vingadores), traz a fusão da mitologia e do pop de uma maneira muito bem construída e envolvente.

(Reprodução/Image)

Na história, 12 deuses de diferentes religiões encarnam em adolescentes que, consequentemente, acabam virando pop stars, adorados por milhões, e que vivem entre nós durante o prazo de dois anos.

Laura, uma garota normal superfã do panteão, se envolve com Lúcifer – encarnado em um personagem com traços baseados na cantora Madonna e em David Bowie. Quando um ataque aos deuses ocorre, Lúcifer acaba sendo condenada como culpada por um crime que não cometeu e Laura tenta fazer de tudo para que ela seja inocentada, apesar da indiferença de todos. É ai que as coisas começam a “pegar fogo” (opa, referências).

As razões pelas quais você deveria ler WicDiv são muitas. Os diálogos criados por Kieron são fluídos e vivos, a trama é envolvente, a arte é linda e as cores são espetaculares, capazes de transmitir sensações. A diversidade dos personagens também é um plus: a personagem principal é negra e bissexual, o deus Inanna é não-binário, a repórter Cassandra é transexual. A representação é abrangente e inclusiva, o que deixa a obra mais característica e original.

(Reprodução/Image)

Todos os personagens são baseados em cantores da vida real – indo de Rihanna e My Chemical Romance até Siouxsie Sioux e Nick Drake. A cada edição há uma nova surpresa, atiçando a curiosidade e a vontade de ler mais e mais.

Na CCXP de 2016, foi anunciado que a HQ começaria a ser publicada no Brasil pela Geektopia, o selo de quadrinhos da editora Novo Século. O volume I já está disponível e pode ser encontrado para compra online no site da editora e em redes de varejo. Não deixe de ler!

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. O processo é lento e gradativo e seu excesso pode levar a danos no organismo

    Curtir