Mundo Estranho

Posts tagueados com ‘canguru’

Falso vampiro é preso em Galveston por morder pescoço de desconhecida

Luiza Sahd   |    23 de agosto de 2011

Um rapaz de foi preso em Galveston, no Texas, após invadir um apartamento e morder o pescoço de uma desconhecida trajando apenas cuecas samba-canção.

A vítima não quis ter o nome revelado, mas contou que foi surpreendida em sua cama por Lyle Monroe Bensley, de 19 anos, rosnando e uivando durante o ataque. O “vampiro” ainda arrastou a garota até a rua, onde ela se desvencilhou e conseguiu fugir.
Bensley correu atrás dela, mas encontrou um amigo de carro que lhe ofereceu carona. Os dois saíram do local em alta velocidade.
A polícia foi até o apartamento da vítima para investigar a ocorrência. O policial Daniel Erickson, que estava acompanhado de outro oficial, disse que pouco depois que chegaram lá, passaram a ouvir grunhidos vindos do estacionamento. Era Bensley, que havia voltado.

Quando finalmente foi apanhado pela polícia após uma perseguição surreal, Bensley implorou para ser preso porque não queria matar os oficiais. O jovem contou que está vivo há 500 anos e disse que precisava se alimentar.
A equipe de atendimento médico examinou o rapaz e concluiu que ele não estava sob efeito de nenhuma droga. Ele realmente acreditava ser um vampiro.


Canguru tarado rouba calcinhas das tchecas

Luiza Sahd   |    22 de agosto de 2011

Quando a polícia de Praga, na República Tcheca, começou a receber chamadas de moradoras relatando o sumiço de suas peças íntimas, os oficiais não suspeitavam que o mistério estaria relacionado ao desaparecimento de Benji, um canguru de 2 anos de idade.

Aparentemente, a fuga de Benji tinha intenções muito claras: já no dia em que seu sumiço foi comunicado às autoridades, calcinhas começaram a sumir dos varais nas redondezas.
O canguru meliante foi flagrado por uma mulher que saiu na janela e viu, consternada, um canguru roubando duas de suas lingeries preferidas. Assustada, a vítima chamou uma viatura.

O dono de Benji, Petr Hlabovic, de 35 anos, ficou feliz com o regresso de seu bichinho de estimação e fez questão de ressaltar que os hábitos extravagantes do animal nada têm a ver com a educação que ele recebeu.


Feito por