Logo ME

Quais os maiores micos que já rolaram ao vivo na TV brasileira?

MUNDOESTRANHO-140-52_53-PER

Alôôôôô, voxê!

No dia da final da Copa do Mundo de 2006, Fernando Vanucci iniciou o Bola na Rede, na Rede TV!, falando enrolado e fazendo um bizarro discurso sobre a seleção italiana. Em cinco minutos, foi substituído. Bebedeira? Nada disso: no dia seguinte, ele alegou ter tomado uma dose excessiva de calmantes. Assista aqui

E teve mais: Em 1999, Vanucci foi flagrado comendo um sanduíche durante o Esporte Espetacular, na Globo

Porrada!

O clima pesou no Esporte Total de 29 de abril de 2004. O jornalista Jorge Kajuru chamou o pugilista Marinho de covarde por ter deixado um oponente desacordado numa luta no dia anterior. Marinho rebateu as ofensas (“Gordinho frouxo!”), partiu pra cima e teve que ser contido pela equipe da emissora. Assista aqui

Barraco dos boleiros

Em fevereiro de 2007, o jogador Marcelinho Carioca e o técnico Wanderley Luxemburgo começaram a lavar roupa suja no meio do Por Dentro da Bola, da Band. (Além de suja, era roupa velha, dos tempos do Corinthians, nos anos 90). Começou com um “Não quero ser seu amigo” e foi degringolando até “Safado” e “Você não vale nada”. #tenso. Assista aqui

Uvas traiçoeiras

Quem disse que uva faz bem à saúde? Em 1996, o repórter Lasier Martins fazia uma matéria sobre a Festa da Uva em Caxias do Sul para o Jornal do Almoço, da emissora RBS, afiliada da Globo, quando encostou em um fio desencapado perto da fruta. Levou um choque tão forte que caiu e quebrou três costelas. Assista aqui

E mais: Os telespectadores elegeram esta cena como a mais marcante na história do Jornal do Almoço, no ar desde 1972. Trollagem pura!

Notícias quentes

Sabe quando parece que o noticiário tá pegando fogo? Não foi força de expressão no Jornal da Record em 9 de dezembro de 1998. Um incêndio consumiu o cenário atrás do apresentador Boris Casoy, que manteve o bom humor e chamou os comerciais. Quando voltou, ele ainda elogiou a brigada de incêndio. Assista aqui

E teve outra: Em 8 de maio de 2001, a apresentadora Salette Lemos abandonou o Jornal da Record após passar mal com o cheiro de tinta do cenário

Virou meme

Monalisa Perrone reportava ao vivo sobre a internação do presidente Lula para o Jornal Hoje de 31 de outubro de 2011 quando foi violentamente derrubada por dois membros de um grupo que acusa a Globo de cooperar com os Illuminati. A âncora Sandra Annemberg não titubeou e soltou a hoje clássica frase “Que deselegante!”. Assista aqui

Pior que na sopa

Até mesmo o religioso Cid Moreira deve ter se perguntado por que Deus criou os insetos quando uma mosca tentou roubar a cena em um Jornal Nacional de 1988. Assista aqui

E teve outra: Cinco anos antes, em 26 de novembro de 1983, no mesmo JN, o apresentador Marcos Hummel não teve outra opção: engoliu uma mosca que entrou na sua boca.

Banguela geral

Durante uma edição do noticiário Balanço Geral, na Record do Rio de Janeiro, em 2009, o apresentador Wagner Montes perdeu o pivô do dente. Mas não o jogo de cintura! O implante saiu voando pelo estúdio, Wagner pegou do chão, recolocou-o na boca e ainda aproveitou para elogiar seu dentista! Assista aqui

E teve outra: Em 2006, a então candidata à Presidência Heloísa Helena também perdeu o pivô do dente, no programa Opinião Nacional

MUNDOESTRANHO-140-50_51-PER

Torta de climão

Seu Manoel e dona Maria foram selecionados pelo Hoje em Dia como um exemplo de casal: estavam juntos há 54 anos. Mas a harmonia ruiu quando Britto Jr. perguntou, de brincadeira, se Manoel já havia traído. O vovô respondeu na lata: claro! “Eu era caminhoneiro…sabe como é, né?” Britto suou para consertar o vacilo. Assista aqui

Mensagem indiscreta

Em 1999, a Malhação ganhou um bloco ao vivo comandado por André Marques. Ele interagia com o público num chat, cuja conversa aparecia na tela. Até que algum engraçadinho decidiu encher o bate-papo com a frase “Roberto Marinho traficante”. Marques ficou branco e mudou de assunto rapidinho. Essa merecia ser notícia do Contando Ninguém Acredita. O que Wallace Polga diria? Assista aqui

Anjo ou monstro?

Em 19 de março de 2003, Pedro Bial anunciava mais uma eliminação no Big Brother Brasil quando foi agarrado por uma loira peladona, que “brotou” de um arbusto no cenário. Rapidamente retirada por seguranças, ela alegou que queria apenas divulgar o grupo de pagode no qual era dançarina. Assista aqui

Eita!

A rebelião das máquinas prevista em O Exterminador do Futuro começou com um carro-protótipo que anda sozinho. Apresentado no Mais Você de 22 de abril de 2013, o veículo deve ter ficado com vergonha das câmeras e deu ré até atropelar Ana Maria Braga. A loira cortou a boca e teve de ficar dois dias em repouso. Assista aqui

Cala a boca!

Transmissões via satélite podem render muitas pérolas, porque às vezes são feitas sem os envolvidos saberem. Na Copa do Mundo de 1994, o áudio captou Galvão Bueno reclamando ao diretor Ciro José que Pelé, então comentarista, não parava de falar. “Só [vai parar de falar] se eu matar ele!”, desabafou o locutor. Assista aqui

Esconde-esconde

Em 1º de setembro de 1994, pouco antes de entrar ao vivo no Jornal da Globo, o ministro da Fazenda Rubens Ricupero papeava com o repórter Carlos Monforte. Sem saber que a câmera já estava ligada, revelou que manipulava dados econômicos a favor do governo: “O que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde”. Assista aqui.Ricupero foi demitido do cargo no dia seguinte

Eu? Imagina!

Em 3 de maio de 1998, o Fantástico apresentava uma reportagem sobre dançarinos do balé russo Kirov quando, logo no início, foi possível ouvir a frase “Isso é coisa de veado”. Pedro Bial, apresentador do programa naquela época, até hoje jura que não foi o autor do comentário polêmico. Veja o vídeo e tire sua conclusão

Ganhando no grito

Em 1994, o candidato à Presidência Orestes Quércia saiu do sério numa entrevista ao Roda Viva, da TV Cultura. Questionado pelo jornalista Rui Xavier sobre o rápido aumento de seu patrimônio, o político rebateu chamando o repórter de “caluniador e mentiroso” exatas 44 vezes. Xavier se irritou, devolveu as ofensas e o programa foi interrompido. Assista aqui.

Meu mico favorito

Comediante Marcelo Tas relembra um fora polêmico do início do CQC

“No primeiro ano do CQC, fizemos um pacto com a direção da Band para falar menos palavrão. Um dia, ao me referir ao órgão genital feminino, usei a palavra “xoxota”. Foi uma polêmica: xoxota é ou não palavrão? Num almoço para fumar o cachimbo da paz com a emissora, Marco Luque foi espremer um limão no prato e acabou espirrando o líquido no olho do Johnny Saad, o dono da Band. Foi o coroamento do mico!”

Fontes VEJA, jornal Extra e sites Memória Globo e MerdTV