Logo ME

10 filmes em que o mal (ou o vilão) vence

Dez filmes com finais ótimos exatamente porque são terríveis - de alguma maneira, eles driblam o clichê de que o bem sempre vence

(Divulgação/Reprodução/Divulgação)

CUIDADO! ESSA MATÉRIA CONTÉM SPOILERS!!!

A Chave Mestra (2005)

A película se passa na cidade de Nova Orleans, nos EUA, e conta a história de uma enfermeira que se envolve, sem querer, com magia negra. A encrenca começa logo após ela ganhar uma chave que abre todos os cômodos da casa onde trabalha. E adivinhe qual deles ela decide acessar primeiro? O sótão, é claro. Após despertar uma dupla de fantasmas, ela acaba possuída e tem sua alma trancafiada.

 

(Divulgação/Reprodução/Divulgação)

O Homem de Palha (1973)

Esqueça o espantalho de O Mágico de Oz. Nesta versão sombria, o papel é desempenhado por um investigador de polícia enviado a uma ilha escocesa para procurar por uma jovem desaparecida. Chegando lá, ele descobre queos nativos são gente muito estranha e que fazem parte de uma seita pagã. À medida que a trama avança, fica evidente que tudo não passou de um plano para fisgar o policial. Por fim, os habitantes da ilha conseguem sacrificá-lo dentro de um bonecão de palha.

 

(Divulgação/Reprodução/Divulgação)

Star Wars : Episódio V (1980)

Em O Império Contra-Ataca são mostrados os esforços da Aliança Rebelde para destruir o senhor das trevas Darth Vader. Porém, a missão falha, sobretudo por conta da falta de preparação do herói e protagonista, Luke Skywalker. Ao enfrentar o maior tirano da série, ele não apenas tem uma das mãos decepada como também tem seu lado emocional devastado pela notícia de que lord Vader é seu pai. Como consequência, o poder dos Sith se fortifica e os membros da resistência são obrigados a fugir para não serem destruídos.

 

 

(Divulgação/Reprodução/Divulgação)

O Silêncio Dos Inocentes (1991)

O enredo narra a saga de Clarice Starling, uma investigadora que decide visitar o Dr. Hannibal Lecter na prisão. O detento é um assassino em série que, além de matar, come suas vítimas. A ideia de aproximação surgiu enquanto ela tentava decifrar uma série de crimes similares aos cometidos por Hannibal. Lecter sabe como proceder nas investigações, mas em troca propõe sua transferência para um presídio menos linha dura. No final, a agente consegue o que queria e o maníaco foge após devorar dois guardas.

 

(Divulgação/Reprodução/Divulgação)

Se7en (1995)

A história gira em torno de como os sete pecados capitais são usados para inspirar uma série de assassinatos brutais. Dois policiais, vividos por Morgan Freeman e Brad Pitt, se unem para deter a mente doentia por trás disso. No entanto, o coração dos dois não está preparado para o pior. Nesse clássico do diretor David Fincher, o vilão termina mal, mas antes consegue decaptar a esposa grávida de Pitt, que tomado pela fúria, ainda consegue destruir sua carreira ao matar o criminoso.

 

(Divulgação/Reprodução/Divulgação)

Dançando no Escuro (2000)

Gravar esse filme foi tão angustiante para a cantora Björk que ela jurou nunca mais atuar como atriz. É que ela interpretou uma operária com um tipo de cegueira hereditária. E para poupar o próprio filho, passou a vida inteira juntando dinheiro para pagar sua cirurgia. Poderia terminar aí, só que ela tem a grana roubada e vê suas boas intenções fracassarem.

 

 

 

(Divulgação/Reprodução/Divulgação)

Identidade (2003)

Devido a uma tempestade, os nove personagens centrais da trama decidem passar a noite em um motel de beira de estrada. A partir daí, todos começam a presenciar mortes inexplicáveis e das mais variadas formas: decapitação, pauladas, explosões etc. As suspeitas apontam para um dos hóspedes, que está sendo conduzido à prisão por um policial. Mas a verdade vem de um julgamento ocorrendo à distância, em paralelo a esta história. No final do filme é revelado que um criminoso em tratamento psiquiátrico conseguiu matar seus alter egos.

 

(Divulgação/Reprodução/Divulgação)

Irreversível (2002)

Polêmica, a trama explora o tema da violência sexual e como ela é capaz de destruir qualquer final feliz. A atriz Mônica Bellucci vive Alex, uma mulher abusada sexualmente e supostamente o pivô de uma vingança, que se revela inconsequente e dura apenas com os inocentes. Inicialmente, não é bem explicada a razão daquela caçada, e isso vai sendo revelado gradativamente, já que as cenas foram montadas de trás para frente. No final, fica claro que Alex é quem acabou caindo em uma armadilha.

 

(Divulgação/Reprodução/Divulgação)

As Duas Faces de um Crime (1996)

Martin Vail é um advogado obcecado por casos polêmicos. E não à toa aceitou defender Aaron Stampler, um jovem de 19 anos suspeito de matar arcebispo de Chicago com mais de 70 facadas. Fica evidente no filme que defensor aposta na inocência do garoto, ainda mais depois que se descobre que o clérigo não era a santa pessoa que todos o julgavam ser. A verdade é uma só: o final não é nada previsível e o verdadeiro inocente acaba se ferrando. No caso, o advogado manipulado.

 

(Divulgação/Reprodução/Divulgação)

Oldboy (2003)

Nessa produção sul-coreana, um homem cumpre pena de 15 anos por um crime que desconhece. Até que um dia é misteriosamente solto, sem ter mais explicações. De volta à sociedade, ele busca por respostas e acaba descobrindo que um inimigo do passado não só armou essa cilada como planejou outra. O ex-detento acaba tendo um caso sexual com a própria filha e termina hipnotizado.

 

FONTES Sites IMDb e Cranik

 

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!