Logo ME

Como surgiu a numeração das roupas?

No Brasil, a primeira numeração oficial das peças só saiu em 1995 e leva em conta os contornos do tórax, busto, pescoço e cintura

O primeiro padrão de medição de peças de roupas surgiu na Europa, com Alexis Lavigne, inventor e alfaiate particular da imperatriz Eugênia, esposa de Napoleão III (sobrinho do Bonaparte). “Todos os dias, Lavigne precisava tirar as medidas do corpo da imperatriz para elaborar novas roupas, costume que ela detestava. Por isso, o alfaiate inventou um busto de costura com as medidas da alteza para servir de modelo e não a incomodar mais”, diz o estilista José Gayegos. Mas a criação de Lavigne – que também inventou a fita métrica – não virou padrão mundial em função das diferenças antropométricas (medidas do corpo) entre indivíduos de diferentes países.

No Brasil, a primeira numeração oficial das peças de roupas é bem recente. O manual da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) saiu em 1995, definindo os tamanhos máximos e mínimos de cada peça masculina, feminina e infantil. As numerações levam em conta os contornos do tórax, busto, pescoço, cintura, além da altura da pessoa. No caso das camisas sociais masculinas, por exemplo, o tamanho em centímetros do perímetro do pescoço corresponde ao tamanho da peça. Se o pescoço mede 39 cm, então a camisa deve ser tamanho 39. Já com os paletós, considera-se o tamanho do tórax. Se a caixa torácica mede 96 cm, o terno ou o paletó devem ser o 48 – exatamente a metade. Algumas confecções, contudo, preferem o sistema PP-P-M-G-GG , muito comum nos EUA, que oferece menos opções de numeração.

HOMENS

(Cássio Bittencourt/Mundo Estranho)

(Cássio Bittencourt/Mundo Estranho)

(Cássio Bittencourt/Mundo Estranho)

Ternos, paletós, camisetas, camisas pólo e pulôveres: metade da medida do tórax em centímetros.
Calças e bermudas: metade da medida da cintura em centímetros.
Camisas esporte: de 0 a 5.
Camisas sociais: medida do pescoço em centímetros.

MULHERES

Aparentemente, as medidas femininas não fazem sentido, afinal para calças e saias, por exemplo, o tamanho 44 é para moças com 76 centímetros de cintura. Mas a lógica vem dos homens: a numeração das mulheres é a mesma – 38, 40, 42, 44… A estrutura corporal feminina foi simplesmente adaptada a esses números.

(Cássio Bittencourt/Mundo Estranho)

CRIANÇAS

As numerações infantis surgiram com base na idade da criança. Mas os hábitos alimentares modernos alteraram a estatura e o peso dos pequenos e, por isso, a numeração ficou maluca: é comum uma criança de 10 anos usar tamanho 14 ou 16.

(Cássio Bittencourt/Mundo Estranho)