Logo ME

Quem são as pessoas que aparecem nas notas de iene, do Japão?

Conheça as figuras históricas homenageadass e os principais elementos de design e segurança nas notas japonesas

A criação do iene foi uma das diversas medidas que modernizou o Japão na Era Meiji (1868-1912). Antes, cada feudo produzia a própria moeda. A emissão de cédulas começou em 1872, após uma reforma monetária baseada no dólar. Desde o fim da 2ª Guerra Mundial, o Japão já produziu cinco séries de notas. A mais recente, a E, de 2004, propôs novos designs para as cédulas  de ¥ 1.000, ¥ 5.000, e ¥ 10.000.

IENE
País Japão
Criação 1871
Cédulas em circulação 15,6 bilhões (em dezembro de 2015)
Número de cédulas 4

(Reprodução/Divulgação/Mundo Estranho)

Dimensões: 15 cm x 7,6 cm
Criação: novembro de 2004
Figura na frente: Hideyo Noguchi (1876-1928), médico japonês, descobridor do agente causador da sífilis
Figura no verso: Monte Fuji e flores de cerejeira, ícones da beleza natural japonesa

 

(Reprodução/Divulgação/Mundo Estranho)

Dimensões: 15,4 cm x 7,6 cm
Criação: julho de 2000
Figura na frente: É a única cédula que não traz uma pessoa, e sim uma estrutura. É o Shureimon, um portão construído entre 1527 e 1555 em Naha (Okinawa), considerado tesouro nacional em 1933. Destruído durante a 2ª Guerra Mundial, foi reerguido 20 anos depois
Figura no verso: Uma cena do Conto de Genji e um retrato de sua autora, Murasaki Shikibu (973?-1031?). O livro foi escrito no começo do século 9, durante o Período Helan, e é considerado o primeiro romance literário do mundo.
(Curiosidade: A nota de ¥ 2.000 foi colocada em circulação em 2000 e desde então segue com design inalterado. São bastante raras e dificilmente aceitas como meio de pagamento.)

 

(Reprodução/Divulgação/Mundo Estranho)

Dimensões: 15,6 cm x 7,6 cm
Criação: novembro de 2004
Figura na frente: Ichiyō Higuchi (1872-1896), poeta e contista japonesa. Foi a primeira escritora mulher a ter destaque no Japão moderno. Produziu no período Meiji uma obra que ainda tem grande impacto na literatura local contemporânea.
Figura no verso: Flores de íris da obra Kakitsubata-zu, do artista Ogata Kōrin (1658-1716)

 

(Reprodução/Divulgação/Mundo Estranho)

Dimensões: 16 cm x 7,6 cm
Criação: novembro de 2004
Figura na frente: Fukuzawa Yukichi (1835-1901), escritor, tradutor, empresário e jornalista, ativista dos direitos humanos. Um dos principais articuladores da modernização do Japão e considerado o “Voltaire japonês”.
Figura no verso: Estátua de uma fênix (hōō), do Byōdō-in. Essa escultura está no Salão da Fênix, no último prédio original do templo budista na cidade de Uji (Kyoto). Presente em diversas mitologias orientais, a fênix simboliza virtude, graça e renascimento

 

 

 

ELEMENTOS DE DESIGN E SEGURANÇA

(Reprodução/Divulgação/Mundo Estranho)

A) ALTO-RELEVO
Para facilitar a identificação por deficientes visuais e dificultar a falsificação, elementos são impressos dessa maneira. É o caso dos caracteres à esquerda, na frente, e o símbolo no canto inferior direito (que varia entre cada tipo de nota).

B) IMAGEM LATENTE
As quatro notas possuem uma imagem secreta, com o valor dela, que só é revelada sob certo ângulo.

C) MARCA D’ÁGUA
Na área central, está oculto o mesmo retrato presente na nota. No lado direito do retratado, há um código com barras também impresso com essa técnica. O total de barras varia: três na nota de ¥ 10.000; duas na nota de ¥ 5.000, uma na de ¥1.000 e nenhuma na de ¥ 2.000.

D) MICROIMPRESSÃO
Desde 1993, as notas apresentam a expressão “NIPPON GINKO”, que é a transliteração para o inglês de 日本銀行 (“Banco do Japão”). Só pode ser vista com lupa.

E) LINHAS ULTRAFINAS

F) LUZ ULTRAVIOLETA
Desde 1993, essa luz ativa um brilho laranja-dourado no selo do governador. Ela também deixa as extremidades com uma coloração esverdeada.

TRADUÇÃO DOS IDEOGRAMAS
1)
“Cédula do Banco do Japão”
2) Valor da nota (no caso, 1.000 ienes)
3) “Banco do Japão”
4) “Imprensa Oficial Nacional”
5) Nome do retratado (no caso, o médico Hideyo Noguchi)

 

Veja também

EURION CONSTELLATION
Trata-se de um padrão de símbolos circulares presentes no iene e em outras diversas outras moedas, como o dólar e o euro. Criado em 1996, seu objetivo é permitir que softwares de edição de imagem possam detectar a presença de uma cédula em um arquivo de imagem e impedir que o dinheiro seja adulterado ou reproduzido ilegalmente. No caso dos ienes, o padrão está escondido em detalhes do design, como em flores no fundo da nota de ¥ 1.000.

HOLOGRAMA
Nas cédulas de ¥  10.000 e ¥  5.000, há um campo com um holograma que exibe, alternadamente, a logomarca do Banco do Japão, o valor da nota em numerais e flores de cerejeira.

FONTES Japan National Tourism Organization, Banco do Japão e Banco Central do Brasil

 

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!