Logo ME

Como foi o massacre na sessão de “O Cavaleiro das Trevas”?

Conheça a trajetória do estudante que, num surto psicótico, matou uma dúzia de pessoas em uma sessão de "O Cavaleiro das Trevas Ressurge"

(Wagner Nogueira/Mundo Estranho)

1) Nascido em 1987 e adotado por uma enfermeira e um cientista financeiro de San Diego, na Califórnia, James Holmes sempre foi um aluno acima da média. Terminou o ensino secundário em 2006 em Rancho Penasquitos, também na Califórnia. Seus colegas diziam que ele sempre havia sido tranquilo e educado.

2) O garoto havia se destacado em vários aspectos da vida escolar. Veloz, era sempre escolhido primeiro nas aulas de educação física. Um colega disse à imprensa que Holmes tirava boas notas sem precisar anotar nada nas aulas. Além de tudo, era hábil com aparelhos eletrônicos e programação de computadores

3) Holmes se formou na Universidade da Califórnia em 2010 como um dos primeiros da classe. No ano seguinte, matriculou-se em um curso de neurociências na Universidade do Colorado, em Denver. Porém acabou abandonando o programa em 2012, sem motivo aparente.

 

 

4) À 0h30 de 20 de julho de 2012, Holmes invadiu o cinema Century 16, em Aurora, Colorado, que exibia O Cavaleiro das Trevas Ressurge. Todo de preto, com colete à prova de bala e máscara de gás, o agressor ativou uma granada de fumaça e começou a atirar. Matou 12 pessoas.

5) Holmes saiu tranquilamente da sala e só foi detido pelas autoridades no estacionamento. Ele levava uma espingarda calibre 12, um fuzil de assalto e uma pistola, entregues pelo correio em sua residência. No total, o ataque deixou 58 feridos.

6) Para investigar o apê do criminoso, a polícia teve de desarmar uma armadilha explosiva que ele havia preparado. Seu laptop revelou que planejara o evento por quatro meses e que, além de visitar sites para busca de parceiros sexuais, ele também contratava prostitutas.

 

 

7) No ataque, Holmes estava com o cabelo laranja – possível referência ao vilão Coringa. E, no apê, foi achada uma máscara do Batman. Investigações posteriores apontaram ainda que sua psiquiatra havia tentado alertar a universidade sobre seu comportamento instável.

 

QUE FIM LEVOU?

Sua defesa tentou alegar insanidade, mas Holmes foi condenado por 24 assassinatos e 140 tentativas de assassinatos – além de diversos agravantes. Mas o júri não conseguiu o consenso de condená-lo à morte. Ele foi sentenciado a prisão perpétua, sem chance de liberdade condicional.

FONTES Jornais Washington Times, New York Times, CNN e U-T San Diego