Logo ME

Como é a mitologia polinésia?

Deuses das ilhas do Pacífico são, é claro, muito ligados ao mar.

Ilustra Manoela Costa
Edição Felipe van Deursen

Recheada de elementos da natureza, sobretudo do mar, já que a região é toda formada por ilhas. Os arquipélagos foram habitados aos poucos, há cerca de 4 mil anos. Por isso, muitas lendas têm algumas diferenças locais. O deus dos mares, por exemplo, chama-se Kanaloa no Havaí e Tangaloa em Samoa e em Tonga. Os antigos polinésios acreditavam em divindades e em um poder sobrenatural chamado mana, encontrado em pessoas, árvores, pedras e lugares. Mandar bem em uma tarefa difícil significava ter uma grande quantidade de mana. Já um local com muito mana era chamado tabu (“lugar sagrado”) – o termo se internacionalizou e acabou parando inclusive no nosso dicionário.

LEIA TAMBÉM
+ Como é a mitologia iorubá? 
+ Como é a mitologia tupi-guarani? 
+ Como é a mitologia maia? 
+ Como é a mitologia chinesa?

O abraço da criação
Pai e mãe criaram o mundo juntos

Lotação
Há variações entre os povos, mas a lenda dos maoris, da Nova Zelândia, é a mais difundida. Rangi, o “pai-céu” e Papa, “mãe-terra”, deuses supremos, estavam entrelaçados num abraço. Dentro da escuridão entre seus corpos, surgiram todas as formas de vida, além de florestas, rios, montanhas etc. Outros deuses também nasceram nesse breu. Insatisfeitos, eles tramaram para sair do confinamento

Divórcio
Tane, deus da floresta, sugeriu separar seus pais para que os deuses ganhassem espaço. Todos, com exceção de Tawhiri, regente dos ventos, concordaram com o plano. Eles tentaram várias vezes romper o grande abraço, mas só Tane realizou a tarefa. A divindade forçou a cabeça contra Papa e os pés contra Rangi, empurrando a mãe para a terra e o pai para o céu

Lágrimas e chuva
Desfeito o abraço, o espaço entre Rangi e Papa se encheu de luz. Deuses e outros seres se dispersaram. Mas as divindades não sabiam o que fazer com a liberdade. Começaram a brigar, o que trouxe problemas, de ervas daninhas a tempestades. De coração partido por ter sido separado de sua amada, Rangi chorou e inundou a Terra, poupando apenas as ilhas polinésias

 

 

mitologia-polinesia-8
Rangi e Papa
Surgiram a partir de Te Po (noite) e Te Kore (vazio), que existiam no caos

 

 

mitologia-polinesia-9
Tane
Deus da floresta, teve a ideia de separar seus pais, Rangi e Papa.Muitos tentaram, mas só ele conseguiu a proeza

 

 

mitologia-polinesia-2
Maui
Semideus trapaceiro, é a figura mais famosa do panteão polinésio. Pequeno e forte, tinha vários poderes mágicos, como desacelerar a passagem do Sol pelo céu. Batizou uma das ilhas do Havaí

 

 

mitologia-polinesia-5
Hina
A deusa da Lua personifica a fertilidade. Em algumas lendas, é esposa de Maui, e em outras é sua irmã mais velha. Também aparece como esposa de Tane, a quem abandonou para viver na Lua

 

 

mitologia-polinesia-6
Tawhiri
Não concordou com a separação de seus pais e descontou sua ira com ventos e tempestades sobre a Terra, destruindo florestas, mares e campos

 

 

mitologia-polinesia-7
Tangaroa
Deus dos mares. Brigou com Tane e, por isso, atribui-se à sua ira o naufrágio de canoas feitas de madeira

 

 

mitologia-polinesia-3
Pele
Deusa do fogo, sua figura violenta é associada aos vulcões, comuns no Havaí. Muitas lendas falam de seu temperamento imprevisível e natureza explosiva

 

 

mitologia-polinesia-4
Menehunes
Pequenos e invisíveis, assemelham-se aos duendes do folclore europeu. Vivem nas florestas profundas e vales escondidos das ilhas havaianas
LEIA TAMBÉM:
+ Quais os principais enigmas da Ilha de Páscoa? 
+ Quais são as ondas mais temidas pelos surfistas? 
+ Onde surgiu o surfe? 
+ Onde quebram as maiores ondas de surfe do mundo?

 

FONTES Livro Hawaiian Mythology, de Martha Beckwith, e Polynesian Mythology, de George Grey; site The Myth Encyclopedia