Logo ME

Conheça a obra de Giordano Bruno, que inspirou o “Menino do Acre”

Pensador controverso morreu na fogueira

A internet o chama de “garoto”, mas Bruno Borges tem 24 anos e é estudante universitário. Ele desapareceu no Acre e só se fala nisso nas redes sociais. Tudo porque, além do mistério do sumiço, Bruno deixou para trás 14 livros criptografados e uma estátua do filósofo e teólogo Giordano Bruno, avaliada em R$ 7 mil.

Aparentemente, a relação entre o menino e o filósofo é um ponto chave da trama. O próprio artista que esculpiu a estátua afirmou categoricamente que Bruno Borges é a reencarnação de Giordano Bruno – e que ele já terminou diversas obras que começou a escrever na sua vida passada.

 

Giordano também foi professor de cosmologia da Universidade de Oxford (Reino Unido) e realizou vários estudos sobre astronomia. Seu livro mais polêmico foi Acerca do Infinito, do Universo e dos Mundos (1584), em que afirmava que o Universo seria infinito e com um número infinito de mundos, todos em sistemas heliocêntricos (ou seja, que têm um sol como centro), com seres inteligentes.

Tais afirmações eram contrárias ao que a Igreja Católica pregava. Por isso, Giordano foi condenado à fogueira pela Inquisição, em Roma, Itália, em 17 de fevereiro de 1600.

 

Principais obras

1582 – O Candeeiro 1

583 – Sigillus sigillorum

1582 – De umbris idearum

1584 – A ceia das cinzas

1584 – Sobre a causa, princípio e uno

1584 – Acerca do infinito, do universo e dos mundos

1584 – O despacho da fera triunfante

1585 – Sobre os heróicos furores

1586 – A interpretação

1588 – Oração de Despedida

1591 – De minimo

1591 – Da magia

1591 – De monade

1591 – De immenso et innumerabilibus

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Adorei o seu post. As vezes visito aqui para me atualizar.

    Já enviei no g+ e todos os meus seguidores estão compartilhando também.
    Ótimo trabalho!

    Curtir

  2. Edison Aparecido

    Giordano Bruno foi um homem a frente de seu tempo, por isso incompreendido por seus contemporâneos. Não acredito em reencarnação. Acho que nos dias de hoje, com tanta liberdade de expressão (música, artes, grafite, até pichações) não haveria necessidade da atitude deste jovem. Embora sua mãe seja psicóloga, a ação dele não foi nada normal, ou seja, para escrever livro que não se entende (criptografado) e depois abandonar a família e chamar a atenção da mídia, significa que algo não está bem. Tomara que ele apareça e ao menos explique sua real intenção.

    Curtir