Logo ME

TOP 10 – As lendas urbanas mais bizarras do rock

Pactos com o diabo e até um Elvis que não morreu são hits que nunca saem das paradas. Conheça outras teorias conspiratórias que rondam o universo da cultura pop

per-126-lendas-urbanas-rock

Pactos com o diabo e até um Elvis que não morreu são hits que nunca saem das paradas. Conheça outras teorias conspiratórias que rondam o universo da cultura pop:

10. Dupla gay

Artistas: Mick Jagger e David Bowie

Em 1990, a mulher de David, Angela, participou do programa The Joan Rivers Show e disse em rede nacional que flagrou o marido na cama com Mick Jagger. Semanas depois, ela voltou atrás e declarou: “O que vi foram duas pessoas dormindo na minha cama. Não significa necessariamente algum tipo de caso”. Para Bowie, a insinuação de um caso gay não passou de uma invenção, enquanto o líder dos Rolling Stones considerou o caso uma tremenda besteira.

9. Sem costelas

Artista: Prince

O cantor é famoso por suas excentricidades. Quando sai em turnê, por exemplo, exige que a suíte do hotel (incluindo os móveis) seja pintada de preto. Também adotou um símbolo impronunciável como nome artístico, tanto que preferiu ser chamado pela mídia de “o artista anteriormente conhecido como Prince”. Mas nada se compara à suposta decisão de retirar duas costelas para praticar sexo oral consigo mesmo. Ele nunca confirmou nem desmentiu tal boato.

8. Sinistra sincronia

Artista: Pink Floyd

Ninguém sabe quando surgiu a lenda de que The Dark Side of the Moon, de 1973, sincroniza com O Mágico de Oz, de 1939. Fãs da banda dizem que existem mais de 100 conexões entre o álbum e o filme. As mais famosas: o verso “balanced on the biggest wave” (“balançado na maior das ondas”), da canção Breathe, toca quando Dorothy se balança em cima do muro, e “the lunatic is on the grass” (“o lunático está na grama”), de Brain Damage, quando o Espantalho age como um louco. Detalhe: o corpo dele é feito de grama seca.

7. Negociando elefante

Artista: Michael Jackson

O cantor gostou tanto do filme O Homem-Elefante que resolveu conhecer o personagem, Joseph Merrick, pessoalmente. Em 1987, visitou o Royal London Hospital, onde estão os restos mortais de Merrick. Lá, teria oferecido US$ 500 mil pelos seus ossos. Diante da recusa, teria aumentado a oferta para US$ 1 milhão. Anos depois, em entrevista a Oprah Winfrey, admitiu que se identificava com o Homem-Elefante, mas não a ponto de comprar suas relíquias.

6. Sanduíche assassino

Artista: Cass Elliot (Mama Cass)

Depois da morte da ex-vocalista do grupo The Mamas & The Papas, em julho de 1974, surgiram rumores de que a cantora teria morrido engasgada com um sanduíche de presunto ou uma coxinha de galinha – graças ao seu histórico de sedentarismo e obesidade. Mas o relatório do legista dissipou a dúvida: a roliça Cass morreu de ataque cardíaco, devido aos seus 108 kg. Além disso, não foram encontrados sinais de comida em sua traqueia.

5. Linguarudo

Artista: Gene Simmons

No começo dos anos 70, quando criou a banda Kiss, em parceria com seu amigo Paul Stanley, Simmons dizia que sua língua era comprida porque ele havia cortado a parte inferior para deixá-la maior. Anos depois, espalhou a lenda, ainda mais bizarra, de que havia implantado uma língua de vaca e, por esse motivo, teria um órgão muscular de 17 cm. Em 2001, no lançamento da autobiografia Kiss and Make-up, o artista desmentiu toda a história.

4. Sangue animal

Artista: Keith Richards

Em 1973, o guitarrista dos Stones resolveu se internar em uma clínica de desintoxicação na Suíça, onde foi submetido a uma hemodiálise para limpar as substâncias tóxicas de seu sangue. E, sempre que alguém lhe perguntava sobre o episódio, ele inventava uma história diferente. Certa vez, garantiu que trocava o sangue do corpo para se livrar da cocaína. Em outra ocasião, disse a jornalistas que os médicos experimentaram nele uma nova técnica: transfusão com sangue de cavalo.

3. Bat-comida

Artista: Ozzy Osbourne

Durante um show da turnê do álbum Diary of a Madman, em 1982, na cidade de Des Moines (EUA), o ex-vocalista do Black Sabbath arrancou, a dentadas, a cabeça de um morcego que um fã atirou ao palco. Em sua autobiografia Eu sou Ozzy, o roqueiro explica que só abocanhou o bicho porque pensou que se tratava de um brinquedo de plástico. Quando sentiu o gosto “quente e crocante”, se deu conta da burrada. Por precaução, o cantor tomou algumas doses de vacina antirrábica.

2. Morte obscura

Artista: John Bonham

O baterista do Led Zeppelin morreu asfixiado por seu vômito em setembro de 1980, em um quarto da mansão de Jimmy Page, guitarrista da banda. Alguns acreditam que Bonham teria sido morto em um ritual satânico, uma vez que Page era simpatizante do ocultismo – a ponto de ter comprado, em 1970, a mansão que pertenceu a Aleister Crowley (famoso ocultista). Em março de 2000, porém, Page ganhou uma ação contra a revista Ministry, que o acusou de não ter prestado socorro ao baterista.

1. Falso Paul

Artista: Paul McCartney

Em 1966, Paul sofreu um acidente de moto perto de Liverpool. Embora tenha apenas trincado os dentes e cortado o lábio, surgiram boatos de que ele teria morrido e, por decisão do empresário Brian Epstein, teria sido substituído por um sósia: William Campbell. Indignados, os três Beatles divulgaram pistas de sua morte nos álbuns Sgt. Pepper’s, Magical Mystery Tour e Abbey Road. A capa desse último teria mensagens cifradas, como o cortejo fúnebre, os pés descalços de Paul e a placa do fusca branco. Em 1969, um DJ de Detroit recebeu a ligação de um ouvinte que deu os indícios da morte. O estardalhaço foi tanto que McCartney suspendeu suas férias para mostrar que estava realmente vivo.

Fontes: livros Segredos e Lendas do Rock, de Sérgio Pereira Couto; Eu Sou Ozzy, de Ozzy Osbourne; Michael Jackson – A Magia e a Loucura, de J. Randy Taraborrelli; e Vida, de Keith Richards.