Logo ME

Joseph Vacher, o serial killer francês guilhotinado

O andarilho Joseph Vacher tocou o terror nos campos do sudeste da França, assassinou mais gente do que Jack, o Estripador, e morreu decapitado

joseph-vacher

ILUSTRA George Schall

 

1) Nascido em Beaufort, França, 15º filho de uma família pobre de camponeses, desde criança, Vacher demonstrava comportamento explosivo e às vezes violento. Em um episódio de crueldade, Vacher guiou o rebanho da família até um pasto isolado e quebrou as patas de alguns animais.

 

2) Ao ser expulso de um mosteiro por razões obscuras, Vacher se alistou no exército. Foi lá que seu temperamento se juntou a episódios de bebedeiras e frenesi. Em um desses arroubos, ele atacou colegas e despedaçou tendas empunhando uma navalha, com a qual, enfim, tentou o suicídio, cortando a garganta, sem sucesso.

 

+ Retrato Falado: Jack, o Estripador, o pai de todos os serial killers

+ Retrato Falado em vídeo: Pedrinho Matador, um dos piores serial killers brasileiros

 

3) Em 1893, aos 23 anos, conheceu a enfermeira Louise Barant. Ele se apaixonou e propôs casamento no mesmo dia. Assustada pela “intensidade” do rapaz, Louise tentou se afastar, mas Vacher não reagiu bem. Em um encontro, ele sacou um revólver, disparou contra a moça, depois deu dois tiros na própria cabeça. Ambos sobreviveram!

 

4) As balas usadas por Vacher estavam com apenas metade da carga de pólvora. Como resultado, os projéteis deformaram o rosto dele e podem ter contribuído para o desenvolvimento de doenças mentais. O ex-soldado foi internado em um asilo precário e superlotado, onde se tornou mais paranoico e agressivo.

 

5) Após dez meses de transferências e tentativas de fugas e de suicídios,Vacher foi considerado curado e teve alta do asilo Saint-Robert, próximo de Grenoble. Desde então, passou a vagar como ermitão, um estilo de vida que, na época, era desprezado e associado a violência e degeneração.

 

6) Entre 1894 e 1897, assassinou cinco moços e cinco moças entre 11 e 21 anos, a maioria pastores de ovelha, além de uma viúva de 58 anos. O método era estrangular, cortar a garganta, mutilar e violar o corpo. Ele escolhia bem a hora de atacar e escondia o corpo com cuidado.

 

+ Retrato Falado: Os leões assassinos de Tsavo

+ Retrato Falado: João Acácio Pereira da Rocha, o Bandido da Luz Vermelha

 

7) A rota de terror só teve fim quando uma camponesa da região de Champis resistiu a um ataque e gritou por socorro. Marido e filhos a escutaram e subjugaram o algoz. Capturado, Vacher foi entrevistado pelo juiz Emile Fourquet, e alegou, entre outras loucuras, que o tratamento para uma mordida de cão na infância o havia enlouquecido.

 

8) O julgamento virou uma batalha entre o criminologista Alexandre Lacassagne (“pai” da perícia criminal) e o advogado de defesa Charbonnier. Este alegava insanidade, enquanto aquele garantia que Vacher era são. No fim, a brutalidade dos crimes e o repúdio da sociedade aos andarilhos pesaram contra Vacher.

 

QUE FIM LEVOU?

Joseph Vacher foi guilhotinado em 31 de dezembro de 1898 em Ain, França, pelo assassinato das 11 pessoas que confessou ter matado

 

FONTES Artigo Vacher, the Ripper of the Southwest, de Susan A. Ashley; e livro The Killer of Little Sheperds, de Douglas Starr