Logo ME

Já existe uma Copa do Mundo de escape rooms. E a Eslovênia ganhou

Primeiro campeonato da atividade, que envolve investigação, desafios e quebras-cabeças num ambiente fechado, contou com times de 22 países

(Divulgação/reprodução/Divulgação)

Um estádio internacional. Vinte e duas equipes do mundo inteiro, numa disputa tensa e cheia de reviravoltas. Transmissão ao vivo pela televisão. E um campeão inesperado. Parece coisa de futebol – mas foi o primeiro torneio mundial de escape rooms do mundo, que acontece neste fim de semana, em Budapeste, na Hungria.

“Escape rooms” são uma nova modalidade de diversão que se tornou febre no mundo todo. A equipe participante é trancada numa sala e precisa investigá-la, para encontrar pistas, charadas e desafios que a ajudarão a escapar daquele ambiente. Os enigmas podem envolver mensagens escondidas, passagens secretas, quebra-cabeças e outros tipos de surpresas.

O campeonato mundial, batizado de Red Bull Mind Gamers, teve seletivas em 25 países com mais de 9 mil inscritos. Dos 22 países selecionados, quem disputou a grande final foram dois pesos pesados do Leste Europeu: a Ucrânia e a Eslovênia. No fim, os eslovenos levaram a melhor. 

O desafio final foi elaborado pela empresa Fox in a Box, por uma equipe liderada pelo Dr. Scott Nicholson, considerado um “guru” nesse meio. A brincadeira incluiu, por exemplo, guiar uma bola por uma mesa flutuante e um quebra-cabeça gigante dentro de um túnel de 6 m de comprimento. Os eslovenos – que, diferentemente dos ucranianos, só se conheceram ao se inscrever para o torneio – saíram na frente logo nas quatro primeiras tarefas. 

Para Jaka Koren, um dos integrantes da equipe campeã, a competição pode ser o primeiro passo na criação de algo muito maior e que faça das salas de fuga um esporte popular. “Realmente não há limites para a imaginação humana. Não há limite para até onde podemos levá-los. Não há sala de fuga impossível”, reforça Koren.

A primeira “Copa do Mundo” dos escape rooms contou com times da Áustria, Azerbaijão, Estônia, França, Alemanha, Hungria, Itália, Lituânia, Omã, Noruega, Romênia, Rússia, Singapura, Coreia do Sul, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suiça, Turquia, Ucrânia, Estados Unidos e Reino Unido. O Brasil não mandou ninguém. Quem sabe você encara o desafio em 2018?