Logo ME

De dinossauros a deuses: o mito dos dragões ao longo dos milênios

Primeiras interpretações de dragões surgiram em 40 mil a.C. e o mito foi se desenvolvendo e diversificando ao longo dos milênios

O nome dessas míticas criaturas vem do termo grego “drákon”, que seria uma espécie de serpente gigante. Mas a besta lendária mudou de cara ao longo do tempo e ganhou poderes e atributos de acordo com as crenças de cada cultura. De espíritos do bem a monstros alados que cospem fogo, os dragões são destaque em histórias épicas e se tornaram sucesso na TV, no cinema e na literatura. Conheça um pouco mais sobre esses seres fantásticos que intrigam fãs e estudiosos.

UM MITO FORJADO A FOGO

Como o homem se inspirou na natureza para criar essa lenda

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

1. 40 mil a.C. é a data mais aproximada das primeiras representações de criaturas que lembram dragões. Os registros, em forma de pinturas rupestres, foram feitos por aborígines pré-históricos na Austrália

2. Os dinossauros são os principais precursores da lenda. Há milhares de anos, quando os povos encontravam fósseis enterrados, associavam esses achados a monstros mitológicos ou espíritos divinos. Entre as espécies mais confundidas estavam o Tanystropheus, o estegossauro, o plessiossauro e o pterossauro

3. Outros animais também personalizaram o mito. Ossadas de baleia, por exemplo, davam a impressão de serem carcaças de serpentes gigantes. O jacaré-chinês inspirou os dragões asiáticos, enquanto, na Austrália, o lagarto-de-gola e o dragão-barbudo foram grande fonte de confusão. O dragão-de-komodo (maior réptil do mundo) e os dragões-voadores (lagartos do gênero Draco) também contribuíram

VERSÕES EM DIFERENTES CULTURAS

Suméria / Babilônia (a partir de 5000 a.C.)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: De acordo com a lenda suméria, existia um deus-dragão chamado Anzu, às vezes também identificado como um grifo ou pássaro. Além de forte, ele podia cuspir fogo e água. Já na Babilônia cultuava-se Tiamat, deusa associada ao oceano. Era adorada como a mãe dos elementos
Poderes: Corpo impenetrável

Grécia (por volta de 700 a.C.)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: Entre os célebres dragões gregos está o guardião Ladon. Ele era encarregado de proteger as maçãs douradas que Hera recebeu de Gaia quando se casou com Zeus. Foi morto por uma das flechas de Hércules, no conto de seus 12 trabalhos
Poderes: Cada cabeça podia falar uma língua diferente e seus olhos emanavam fogo

Japão (pelo menos desde 660 a.C.)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: O Ryujin (um dos dragões nipônicos mais famosos) era o todo-poderoso das águas e tataravô do primeiro imperador, Jimmu (660 a.C. até 585 a.C.). Ou seja, era antepassado da dinastia japonesa
Poderes: Ryujin podia convocar a tempestade por uivo e transformá-la em um tornado. Além disso, podia virar humano

Pérsia (por volta de 550 a.C.)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: Azi Dahaka, famoso na mitologia persa, era subordinado do senhor das trevas e tocava o terror nos humanos, além de destruir florestas e praticar furtos. Para esse povo, o dragão, na verdade, personificava a opressão da Babilônia sobre a Pérsia
Poderes: Podia controlar tempestades e causar doenças nas pessoas

Celtas (século 6 a.C.)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: Para os celtas, os dragões eram associados à força da natureza e se tornaram símbolo de sua religião. Passaram de divindades a guardiões das portas para os outros mundos, assim como dos tesouros do Universo. Uma das criaturas mais famosas era o Mestre Stoorworm, que abocanhava bens e pessoas vivas quando bocejava
Poderes: Destruíam vilas e navios inteiros

Índia (563 a.C.)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: Acredita-se que os dragões indianos viveram nos tempos de Buda. O mais famoso era chamado de Apalala. Foi um homem que renasceu como um dragão e passou a aterrorizar os moradores com granizo e inundações. Buda transformou a fera em um espírito puro
Poderes: Além de controlar o clima, era capaz de se mover sobre os pés

China (pelo menos desde 206 a.C.)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: Para os povos antigos, essas feras eram cobras evoluídas. Elas surgiam na China e perdiam uma garra quando saíam de sua terra-natal. E também tinham descendentes, o chamado “povo do dragão”, com corpo do animal e cabeça humana
Poderes: Controlavam a chuva e os furacões. No zodíaco chinês, simbolizam o espírito livre, que traz a criatividade, a inovação e a coragem

Coreia (por volta de 110 a.C.)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: Em algumas histórias, os Imoogis (uma espécie de “protodragão”) viviam na água e nas cavernas e traziam sorte. Os que conseguiam passar dos mil anos de vida podiam virar um dragão – contanto que conseguissem pegar com a boca uma pérola que caía do céu a cada milênio
Poderes: Esses espíritos controlam os elementos e protegem o mar, o céu e a terra

Veja também

Filipinas (cerca de 2 mil anos atrás)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: O dragão lendário era Bakunawa. Ele vivia no mar quando o mundo tinha sete luas. Fascinado pelo brilho delas, saía de seu refúgio e, usando suas asas, voava para tentar devorá-las. Quando a lua escurecia por causa de eclipses, aldeões achavam que era Bakunawa engolindo-a. Para espantá-lo, batiam panelas e potes
Poderes: Podia matar com o contato visual

Astecas / maias (entre os séculos 9 e 16)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: As civilizações antigas acreditavam numa divindade chamada Quetzalcóatl – um tipo de pássaro-serpente. Era uma das principais deidades desse povo, sendo uma representação das forças naturais
Poderes: Possuía energia para impulsionar o crescimento da vida vegetal na Terra. De vez em quando, podia se transformar em homem e caminhar entre os humanos

Polônia (por volta de 700 d.C.)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: Um dos contos mais famosos fala sobre o Dragão de Wawel. Vários cavaleiros tentaram derrotar a besta alada, mas nunca retornaram. Até que um sapateiro teve a ideia de rechear um carneiro com enxofre e deixá-lo como armadilha. O bicho devorou a presa e sentiu uma queimação interna. Bebeu água até a sua barriga explodir
Poderes: As cabeças cuspiam fogo

Povos nórdicos (entre os séculos 6 e 7)

(Cassio Yoshiyaki/Mundo Estranho)

Origem: A iconografia dos dragões surgiu ainda no período pré-viking. Jormungand era o mais temido. Segundo filho de Loki, tinha o aspecto de uma serpente gigante. Odin teria jogado a criatura no oceano de Midgard, onde cresceu de forma desproporcional, sendo capaz de dar a volta na Terra e ainda encontrar a sua cauda
Poderes: Soltavam um veneno letal

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!