Logo ME

O que eram os gulags?

Como funcionavam os campos de trabalho da ex-União Soviética.

Gulag

Campos de trabalho forçado da ex-União Soviética (URSS), criados após a Revolução Comunista de 1917 para abrigar criminosos e “inimigos” do Estado. Gulag era uma sigla, em russo, para “Administração Central dos Campos”, que se espalhavam por todo o país. Os maiores gulags ficavam em regiões geográficas quase inacessíveis e com condições climáticas extremas. A combinação de isolamento, frio intenso, trabalho pesado, alimentação mínima e condições sanitárias quase inexistentes elevavam as taxas de mortalidade entre os presos. Para se proteger da violência, alguns grupos de presos criaram códigos e leis internas que deram origem aos Vory v Zakone – a máfia russa. A quantidade de campos foi reduzida a partir de 1953, logo após a morte de Stálin – ditador que expandiu o sistema de gulags nos anos 30. Porém, os campos de trabalho forçado para presos políticos duraram até os anos 90.

– Como era um campo de extermínio?

– Qual a diferença entre comunimo e socialismo?

FALA SÉRIO!

Na época de Stálin, contar piadas sobre o Partido Comunista ou seus membros rendia pena de 25 anos num gulag. Chegar atrasado ao trabalho por quatro vezes dava cana de três anos

Inferno gelado

O gulag de Kolyma, na Sibéria, era o mais casca-grossa da ex-URSS

RECEPÇÃO CALOROSA

Os prisioneiros chegavam de trem. Em seguida, eram despidos e colocados em cubículos – 0,3 m2 para quatro pessoas – dentro de um alojamento sem teto. Enquanto isso, documentos e pertences eram checados. Boas roupas, objetos de valor e calçados eram confiscados pelos guardas

• Além de ficar espremidos, os recém-chegados não tinham acesso a banheiro. Por isso, pisavam em fezes congeladas que não eram retiradas nunca!

RAÇÃO DIÁRIA

O alimento era distribuído de acordo com a produtividade. Isso acelerava a morte dos mais frágeis e mantinha os fortões trabalhando mais. Quem cumpria a meta do dia recebia cerca de 1 kg de alimento, composto de pão, batata e macarrão. De proteína, só uns 20 g de carne, e olhe lá!

VIVENDO NA M…

Os prisioneiros eram responsáveis por retirar as próprias fezes acumuladas nos banheiros – que ficavam fora dos alojamentos. Além das condições sanitárias precárias, os caras eram infestados de piolhos. Para piorar, havia pouquíssimo investimento em instalações médicas

SEXO FRÁGIL

Era comum guardas e detentos estuprar e abusar de prisioneiras. A situação forçava as mulheres a buscar proteção, muitas vezes se juntando com um homem – os chamados “maridos do campo”. As presas que engravidavam iam para um alojamento separado e cuidavam umas das outras

• Crianças nascidas nos gulags iam para orfanatos fora do campo. Na maioria das vezes, a mãe jamais voltava a ver o filho

NA UNHA

A jornada de trabalho era de 14 horas diárias. Em Kolyma, o principal trabalho era na mineração de carvão. Apesar de haver picaretas e carrinhos precários para exploração do solo congelado, a maioria dos prisioneiros era obrigada a extrair os minérios com as mãos

DE FRENTE PRO CRIME

Os guardas eram treinados para não sentir empatia pelos presos, enxergando-os como subumanos. A violência era recompensada, e tentativas de fuga eram inaceitáveis. Por isso, qualquer assassinato podia ser justificado com a frase “ele estava tentando escapar”…

Bons camaradas

Contrariando o ideal socialista, os presos acabavam divididos em classes desiguais

MORIBUNDOS

Detentos à beira da morte – quase sempre por fome – lembravam o destino de quem não cumprisse a cota de trabalho diária

BARRAS-PESADAS

Criminosos comuns, como assassinos e assaltantes, eram procurados para auxiliar os guardas e intimidar os colegas

PRESOS POLÍTICOS

Grande parte dos prisioneiros era inocente, considerada como oponente do regime pela polícia secreta soviética