Mundo Estranho

Como é feito um tratamento de canal?

por Luiz Fujita | Edição 76

1- O tratamento de canal nos dentes é feito quando a polpa está infeccionada ou até mesmo morta. A polpa é um tecido que produz a dentina, material que forma a maior parte do dente. Ela pode infeccionar por causa de uma cárie profunda, fratura ou trinca no dente que permita a penetração de bactérias.

2- O dentista começa o trabalho usando instrumentos tradicionais, como a broca, para abrir um buraco no dente e ter acesso à polpa. Mesmo com a abertura, ele não enxerga todo o espaço em que vai atuar. Por isso, são tiradas várias radiografias para o dentista ir se guiando e não "passar do ponto" - atingindo a gengiva, por exemplo.

3- Com um instrumento chamado lima, a polpa é retirada. Depois disso, toda a cavidade ocupada por ela e os canais por onde passam os vasos sanguíneos que a alimentam são raspados e desinfetados. Sem a polpa, o dente não cresce mais. Por isso, os dentistas evitam tirar toda a polpa em crianças, arrancando apenas a parte infectada.

4- Para verificar se tudo foi de fato eliminado, o dentista tira mais radiografias. É que, se restar algum tecido infectado, as bactérias podem rapidamente se multiplicar e recomeçar a infecção. Se estiver tudo ok, o canal aberto dentro do dente é preenchido com cimento odontológico - material muitas vezes à base de hidróxido de cálcio.

5- Na etapa final é tapado o buraco na coroa, a parte mais externa do dente. A coroa é fechada com uma resina. Depois do tratamento, o dente perde a sensibilidade, pois é a polpa que abriga os nervos. Ainda assim, o paciente pode sentir levemente movimentos no local, pois a região que circunda as raízes não é afetada.

Você também pode gostar de:

Fechar