Mundo Estranho

Como identificar um bicho pelo cocô?

por Bárbara Ragov | Edição 110

Preste atenção na cor, no cheiro, na textura e no formato. Com isso, já dá para deduzir o tamanho do animal e, principalmente, sua dieta. "Fezes escuras, por exemplo, indicam consumo de proteínas animais, ou seja, é um carnívoro", explica Roberto do Val Vilela, biólogo do Zoológico de São Paulo. Nem sempre as pistas são claras: se o dejeto é muito líquido, pode remeter a um réptil ou anfíbio, que faz xixi ao mesmo tempo... ou pode ser apenas sinal de muita água na dieta. "Caçar cocô" pode não parecer um hobby muito legal, mas é essencial para o trabalho dos biólogos... e para os próprios bichos. "É um jeito de saber se há inimigos na área ou se terão chance de fazer um bom almoço", diz Vilela.

Suspeitos nº 1 de fazer nº 2

Veja se consegue descobrir, entre os bichos abaixo, quem fez as fezes ao lado. Respostas no canto da página

1. Molhadinho?

Não se engane com o "verniz" esbranquiçado que cobre as fezes deste bicho e as tornam meio pastosas. Ele perde pouca água na excreção: a substância, na verdade, é ácido úrico, liberado com a massa fecal pela cloaca

2. Cocô ecológico

Os menores representantes desta família fazem cocô amarronzado ou da cor da comida com que são alimentados (fezes brancas são sinal de doença). Eliminam muito carbonato de cálcio, que faz bem ao ambiente em que vivem

3. Dieta vermelha

Notou o tom laranja ou avermelhado? É que o animal passa um longo período no frio e acaba comendo o que vê pela frente: de frutas vermelhas e raízes a flores, formigas e madeira. Às vezes, o odor pode até ser meio adocicado!

4. Manda tudo pra dentro

Resíduos variados indicam um rico "repertório gastronômico". Neste aqui, às vezes há restos de escamas de peixe e ossos de tartaruga, ratos e aves. E o cocô é úmido, já que o bicho não tem bexiga e excreta líquidos junto com as fezes

5. O pioneiro

Massa escura? Indício de uma rica dieta proteica. Neste caso, formigas e moscas. A diferença aqui é esta membrana, que deixa as fezes maleáveis e brilhantes. Na escala evolutiva, é a primeira classe de animais que urina separadamente

6. Maldito seja!

Será que você já levou um "tiro" desses? O bicho faz suas necessidades enquanto voa, sem nenhum constrangimento A cor branca e o estado líquido são resultado de um processo que elimina ácido úrico e fezes juntos, pela cloaca

7. Reboco intestinal

O dejeto deste bichão parece floquinhos a boiar pela água, com cor entre o amarelo translúcido e o cinza. Há também uma parte sólida, gordurosa e brilhante, o âmbar, feito de uma substância que protege seu intestino de alimentos duros

8. Dê uma boa cheirada

Esverdeada e molenga, tem aroma bem típico: de planta e capim. A quantidade assustadora também é uma boa dica: o bicho consome enormes porções, que passam por estômagos diferentes e depois voltam a ser mastigadas

9. Uma pedra no caminhoEste parece um blocão de serragem! Este excremento compacto é fruto de uma dieta voraz (até 180 quilos de comida por dia!) e fibrosa. Aliás, tem tanta fibra que o cocô está sendo usado para fazer papel e até sapato

10. P, M ou G?

Tem cheiro forte de sangue e decomposição - sinal de que a dieta inclui mamíferos. O tamanho varia: se o bicho anda ruim na caça, as porções são pequenas. Se ele se esbaldou na comilança, há pedaços de ossos grandes misturados

11. Clube da bolinha

Pensou em almôndegas? Pois é. O sistema digestório deste animal funciona em ciclos, dividindo a comida para melhorar a digestão. A textura está ligada à dieta: restos de troncos, arbustos, forragens e vegetais (oba, cenoura!)

12. Semente e aduboCheiro forte, cor escura, formato de filete? Então quase certamente as fezes são deste bicho. Ele não digere sementes direito e, ao eliminá-las, ajuda a espalhá-las. Além disso, seu excremento é um bom adubo, rico em fosfato e nitrogênio

• Na mitologia, Prometeu era bicado por este bicho e comia suas fezes para recuperar a força... Eca!

• O âmbar já foi muito usado na indústria de cosméticos como fixador de perfume!

Fontes Roberto do Val Vilela e Oriel Nogali, biólogos do Zoológico de São Paulo; Felipe Toledo, zoólogo do Instituto de Biologia da Unicamp; Wilfried Klein, zoólogo da UFBA; Christina Simmons, do San Diego Zoo; Cláudio Gonçalves Tiago, biólogo do Centro de Biologia Marinha da USP; Fernando Zaniolo Gibran, biólogo da UFABC; e André Victor Lucci Freitas, entomologista da Unicamp

Respostas 1: Jacaré, 2: Peixe, 3: Urso, 4: Águia, 5: Sapo, 6: Pombo, 7: Baleia, 8: Vaca, 9: Elefante, 10: Cobra, 11: Coelho, 12: Morcego

Você também pode gostar de:

Fechar