Mundo Estranho

Quais animais hibernam? Por quê?

por Yuri Vasconcelos | Edição 6

600px-Eptesicus_nilssonii_hibernating

Esquilos, morcegos, marmotas, ratos-silvestres, hamsters e ouriços são alguns dos animais que hibernam. Eles fazem isso para poupar energia durante o inverno, já que, nessa estação, a comida é escassa. O fenômeno só acontece com animais homeotermos (que têm a temperatura corporal constante) e que vivem em regiões temperadas e árticas, onde o frio é muito rigoroso. "Ao hibernar, o animal parece estar morto, mas o que acontece, na verdade, é uma brusca redução nas atividades do seu organismo", diz a bióloga Cecília Pessutti, do Zoológico de Sorocaba, SP. A temperatura do corpo cai, a respiração quase cessa e os batimentos do coração ficam tão lentos que se tornam praticamente imperceptíveis. "O estado de inatividade é tão profundo que o animal não desperta nem se for chacoalhado", afirma Cecília.

A hibernação pode durar semanas e funciona também como um regime de dar inveja a qualquer ser humano em dieta: o animal consome a gordura acumulada em seu corpo ou acorda de tempos em tempos para comer alimentos estocados no ninho. Algumas espécies chegam a perder metade do peso durante a hibernação! O bicho só abandona essa interminável soneca quando a temperatura do ambiente começa a subir. Ao contrário do que se costuma dizer, os ursos não hibernam, embora passem boa parte do inverno dormindo. A temperatura corpórea do temido urso marrom, por exemplo, só cai de 38ºC para 34ºC, por isso, tecnicamente ele não se encontra em hibernação. Seu metabolismo fica um pouco mais lento, mas, diante de qualquer sinal de perigo, ele acorda na hora. O mesmo acontece com os castores. Embora pouca gente saiba, muitos animais que vivem em regiões desertas, quentes e secas também entram num sono profundo para se defender das agressões da natureza.

É o caso dos caracóis e de alguns tipos de sapos e peixes, como a pirambóia, que chegam a se enterrar na lama quando os rios em que vivem começam a secar. Nesses casos, no entanto, o fenômeno recebe outro nome: estivação.

 

Batdieta

Cavernas e minas são o abrigo preferido para a hibernação do Myotis sodaliss, espécie de morcego que habita altas latitudes. Com poucos gramas de gordura armazenada, eles perdem entre 25% e 50% do seu peso durante esse período de inatividade, que dura de cinco a seis meses.

Siesta sem fim

As marmotas (Marmota caligata) fazem sua toca em árvores ocas, onde podem dormir nove meses sem parar, alimentando-se da gordura estocada em seu corpo. Nesse período, o coração do bichinho bate apenas três ou quatro vezes por minuto, contra os 90 a 130 batimentos normais.

Inércia congelante

Os esquilos do Ártico (Spermophilus undulatus) passam quase metade da vida em hibernação, embora nesses períodos acordem a cada três semanas para comer e evacuar. A queda de temperatura é radical: o corpo do esquilo pode chegar a 2ºC negativos.

Você também pode gostar de:

Fechar