Mundo Estranho

Quais os craques vira-casacas mais polêmicos do Brasil?

por Rodolfo Rodrigues | Edição 33

A troca de craques entre times rivais é tão antiga quanto o próprio futebol brasileiro. Em 1911, por exemplo, dez jogadores insatisfeitos no Fluminense deixaram o clube para criar o departamento de futebol do Flamengo. Já o primeiro gol da história do Palmeiras, em 1915, foi marcado por um ex-corintiano chamado Bianco Gambini.

É claro que torcedores e cartolas sempre olharam feio para essas "traições". No Rio Grande do Sul, o tabu era tão grande que a primeira troca direta de um jogador entre o Grêmio e o Internacional só aconteceu em 1989, quando o meia Bonamigo saiu do Olímpico e foi defender o Colorado sem passar por nenhum outro time antes.

Hoje tais transferências são encaradas como algo mais normal. Porém, para esquentar um pouco essa saudável rivalidade, reunimos aqui seis craques em atividade no Brasil e que já jogaram por clubes arquiinimigos. É hora de comparar como eles se saíram defendendo cada equipe e descobrir as torcidas que tiraram mais proveito de tanto troca-troca polêmico.

Mergulhe nessa

Na livraria:

Corinthians x Palmeiras — Uma História de Rivalidade - Antônio Carlos Napoleão, Mauad, 2001

A História dos Grenais - David Coimbra, Nico Noronha e Mário Marcos de Souza, Artes e Ofícios, 1996

Romário

Revelado pelo Vasco em 1985, o "Baixinho" passou alguns anos na Europa e voltou ao Brasil logo para o arqui-rival dos vascaínos, o Flamengo. Em 2002, virou a casaca novamente, indo para o Fluminense. Tanta mudança de time deixou alguns revoltados pelo caminho. "O Romário desrespeitou o clube que o projetou e isso quebrou o encanto", diz o torcedor Marcelo Granzotto, da Força Jovem, principal torcida organizada vascaína. Já os flamenguistas aceitaram melhor o troca-troca e gostam de provocar os rivais lembrando as declarações de amor que Romário já deu pelo rubro-negro: "Apesar de começar no Vasco, o Romário é Flamengo. Ele saiu do clube duas vezes, mas sempre quis voltar", diz José Carlos Peruano, presidente da Associação das Torcidas Organizadas do Flamengo (Atorfla). A paixão maior pode até ter sido pelo Flamengo, mas o desempenho em campo...

Um grande Baixinho no Vasco

Mais gols e mais títulos: ele foi melhor jogando no clube que o revelou

FLAMENGO

Período - 1995-1996 e 1997-1999

Jogos* - 240

Gols* - 204

Títulos - Campeonato Carioca (96 e 99) e Copa Mercosul (99)

VASCO

Período - 1985-1988 e 1999-2002

Jogos* - 331

Gols* - 252

Títulos - Campeonato Brasileiro (2000), Campeonato Carioca (87 e 88) e Copa Mercosul (2000)

FLUMINENSE

Período - desde 2002

Jogos* - 74

Gols* - 47

Títulos - Campeonato Carioca (2002)

DO VASCO PARA O FLAMENGO...

• Almir, atacante, anos 60

• Edmundo, atacante, anos 90

• Felipe, meia, anos 2000

...E DO FLAMENGO PARA O VASCO

• Bebeto, atacante, anos 80

• Petkovic, meia, anos 90

• Jorginho, lateral-direito, anos 2000

* OBS. Todos os dados de gols e jogos foram atualizados até o dia 30/9/2004

Edílson

Apelidado de "Capetinha", Edílson infernizou os adversários do Palmeiras durante três temporadas, de 1993 a 1995. Chegou inclusive a ganhar três títulos em cima do rival Corinthians (Paulista-93, Rio-São Paulo-93 e Brasileiro-94). Em 1997, porém, após um período no exterior, resolveu mudar de lado e passou a defender as cores preta e branca dos corintianos. No começo, foi visto com desconfiança pelos ex-rivais, mas após ganhar uma porção de títulos — inclusive o polêmico Mundial da Fifa — e ainda provocar os palmeirenses ao fazer "embaixadinhas" na final do Campeonato Paulista de 99, caiu de vez nas graças dos corintianos. Por isso, o hoje jogador do Vitória é lembrado com muito mais alegria pela "Fiel" que pelos palmeirenses.

"Capetinha" preto e branco

Com "embaixadinhas" e Mundial, ele fez os corintianos mais felizes

PALMEIRAS

Período - 1993-1995

Jogos* - 151

Gols* - 58

Títulos - Campeonato Brasileiro (93 e 94), Paulista (93 e 94) e Rio-São Paulo (93)

CORINTHIANS

Período - 1997-2000

Jogos* - 162

Gols* - 53

Títulos - Mundial da Fifa (2000), Campeonato Brasileiro (98 e 99) e Paulista (99)

DO PALMEIRAS PARA O CORINTHIANS...

• Leão, goleiro, anos 80

• Jorginho, meia, anos 80

• Neto, meia, anos 80 e 90

• Edmundo, atacante, anos 90

• Luizão, atacante, anos 90

• Rogério, volante, anos 2000

...E DO CORINTHIANS PARA O PALMEIRAS

• Dida, lateral-esquerdo, anos 80

• Édson, lateral-direito, anos 80

• Ribamar, meia, anos 80

• Carlos, goleiro, anos 90

• Rivaldo, meia, anos 90

• Viola, atacante, anos 90

Guilherme

Terceiro maior artilheiro do Atlético-MG — atrás de Reinaldo e Dario —, Guilherme surpreendeu a torcida do Galo ao se transferir para o Cruzeiro este ano após uma temporada na Arábia Saudita. Pior: logo no primeiro clássico entre os times, marcou dois gols... "A passagem pela Arábia aliviou um pouco a transferência para o Cruzeiro. Nos primeiros dias, foi complicado, mas o torcedor do Atlético ainda me respeita e o cruzeirense deixou de me hostilizar", diz Guilherme, garantindo que pelas ruas de Belo Horizonte ouve muito mais pedidos de autógrafos que gritos de "traidor" ou mercenário. Talvez porque os atleticanos saibam que o Guilherme dos tempos do Galo é praticamente imbatível no número de gols marcados.

Galo na cabeça

Guilherme é "só" o terceiro maior artilheiro do Atlético. No Cruzeiro...

ATLÉTICO-MG

Período - 1999-2002 e 2003

Jogos* - 205

Gols* - 139

Títulos - Campeonato Mineiro (99 e 2000)

CRUZEIRO

Período - desde 2004

Jogos* - 36

Gols* - 14

Títulos - Campeonato Mineiro (2004)

DO ATLÉTICO-MG PARA O CRUZEIRO...

• Reinaldo, atacante, anos 80

• Luisinho, zagueiro, anos 90

• Éder, atacante, anos 90

• Toninho Cerezo, volante, anos 90

...E DO CRUZEIRO PARA O ATLÉTICO-MG

• Palhinha, atacante, anos 70

• Nelinho, lateral-direito, anos 80

• Alex Alves, atacante, anos 2000

• Fábio Júnior, atacante, anos 2000

Christian

De tão adorado pela torcida, ele foi chamado de "Jesus Christian"quando defendeu o Inter, nos anos 90. Em 2003 aconteceu a virada: Christian foi para o Grêmio, que na época lutava contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Faltando dez rodadas para o torneio acabar, o Grêmio, último colocado, enfrentou o Inter. Christian fez o gol da vitória que deu início à reação gremista que nas rodadas seguintes livraria o time da segunda divisão. "Ali eu consegui acabar com toda a desconfiança dos torcedores mais críticos. Aqui no Sul é muito difícil vestir a camisa dos dois rivais", diz o atacante, que continua com o faro de gol afiado. Mesmo com o time do Grêmio não ajudando muito nas duas últimas temporadas...

Goleador lá e cá

Tanto no Inter como no Grêmio Christian fez perto de 1 gol a cada dois jogos

INTERNACIONAL

Período - 1989-1992 e 1996-1999

Jogos* - 168

Gols* - 94

Títulos - Campeonato Gaúcho (91, 92 e 97)

GRÊMIO

Período - Desde 2003

Jogos* - 78

Gols* - 37

Títulos - —

DO INTER PARA O GRÊMIO...

• Manga, goleiro, anos 70

• Batista, volante, anos 80

• Mário Sérgio, meia, anos 80

• Kita, atacante, anos 80

• Mauro Galvão, zagueiro, anos 90

• Fábio Pinto, atacante, anos 2000

...E DO GRÊMIO PARA O INTER

• Russinho, atacante, anos 30 e 40

• Geraldão, atacante, anos 80

• Bonamigo, volante, anos 80

• Arílson, meia, anos 90

• Almir, atacante, anos 90

• Carlos Miguel, meia, anos 2000

Antônio Carlos

Somente cinco jogadores já atuaram pelos quatro grandes clubes de São Paulo — Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo. O zagueiro Antônio Carlos, hoje no Santos, é um deles. "Felizmente, por onde passei, deixei boas lembranças. Acho que não há rancor de parte alguma", diz o jogador. Antônio Carlos foi mesmo vitorioso nos três primeiros clubes que passou, mas concentrou suas principais faixas de campeão no São Paulo e no Palmeiras. Como estamos falando de um zagueiro, os gols que ele marcou não importam tanto. O melhor quesito para avaliar seu desempenho como "vira-casaca" são os títulos conquistados. Dá quase um empate técnico entre o Antônio Carlos tricolor e o alviverde, mas uma taça internacional desempata essa disputa.

Taça que desequilibra

No Palmeiras, Antônio Carlos até ganhou mais títulos; mas só no São Paulo faturou uma Libertadores

SÃO PAULO

Período - 1987-1992

Títulos - Copa Libertadores (92), Campeonato Brasileiro (91), Campeonato Paulista (89 e 91)

PALMEIRAS

Período - 1993-1995

Títulos - Campeonato Brasileiro (93 e 94), Campeonato Paulista (93 e 94) e Torneio Rio-São Paulo (93)

CORINTHIANS

Período - 1997

Títulos - Campeonato Paulista (97)

SANTOS

Período - desde 2004

Títulos - —

OUTROS QUE JOGARAM NOS QUATRO GRANDES DE SÃO PAULO

• Cláudio Pinho, atacante, anos 60

• Neto, meia, anos 90

• César Sampaio, volante, anos 2000

• Müller, atacante, anos 2000

Tuta

Quando chegou ao Atlético-PR, em 1998, o centroavante Tuta ajudou o clube a sair do jejum de oito anos sem títulos estaduais e de quebra ainda foi o artilheiro do Campeonato Paranaense com 19 gols. No mesmo ano, porém, ele foi vendido para o futebol italiano. Depois, rodou por vários times antes de voltar ao Paraná para jogar pelo rival Coritiba. Em cinco jogos pelo "Coxa", fez seis gols e levou o time ao título estadual de 2004. Na decisão, justo contra o Atlético, fez dois gols contra o ex-clube. "Marquei os gols, dei o título ao Coritiba e ainda mandei a torcida atleticana, que me provocou o jogo todo, se calar", diz Tuta. O problema é que o gesto custou caro: ele ficou com a fama de traidor no Paraná. Menos mal que, com a bola nos pés, não tem decepcionado no Coritiba.

Vitória coxa-branca

Tuta foi campeão paranaense pelos dois times, mas tem maior média de gols no Coritiba

ATLÉTICO-PR

Período - 1998

Jogos* - 68

Gols* - 25

Títulos - Campeonato Paranaense (98)

CORITIBA

Período - desde 2004

Jogos* - 37

Gols* - 18

Títulos - Campeonato Paranaense (2004)

DO ATLÉTICO-PR PARA O CORITIBA...

• Zé Roberto, atacante, anos 70

• Rafael, goleiro, anos 80

• Edinho Baiano, zagueiro, anos 90

...E DO CORITIBA PARA O ATLÉTICO-PR

• Sandoval, meia, anos 90

• Almir, atacante, anos 90

• Marcão, lateral-esquerdo, anos 2000

Você também pode gostar de:

Fechar