Mundo Estranho

Qual é a diferença entre asma, rinite, bronquite e sinusite?

por Luiz Fujita | Edição 78

A diferença é a região do corpo que cada uma afeta. “Tudo o que termina em ‘ite’ significa uma inflamação, e o resto do nome indica o local atingido”, diz Carlos Carvalho, médico do Hospital das Clínicas de São Paulo. Todas essas doenças são causadas por um agente físico, da poluição ao pólen das flores. Quando o tal agente estranho entra em contato com alguma mucosa (pele que reveste partes internas do corpo), o organismo aciona mecanismos de defesa que podem resultar em uma inflamação, e aí se configura a doença. A asma é um pouco diferente. O nome vem de asthma, palavra em grego que significa sufocação, e é uma predisposição do organismo de certas pessoas a reagir ao elemento irritante de uma forma bem mais grave.

ATCHIM E ESPIRRO Inflamações provocam caos nas vias aéreas, das cavidades do crânio ao pulmão

RINITE

Região atingida: Mucosas que revestem as cavidades do crânio. Inflamada, a mucosa incha, o nariz entope e produz coriza

Tratamento: Uma boa assoada já expele o agente invasor. Se o problema persistir, pode ser necessário usar descongestionantes e antiinflamatórios

Curiosidade: Os ácaros, parentes microscópicos das aranhas que vivem em locais quentes das casas, são vilões da rinite

SINUSITE

Região atingida: Seios faciais (buracos ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos). Inflamadas, essas cavidades acumulam secreções, entopem e dão dor de cabeça, febre e coriza espessa Tratamento: Descongestionantes e antiinflamatórios. Nos casos mais graves, antibióticos são necessários

Curiosidade: O agente não sai com uma assoada, e, por isso, pode causar uma inflamação maior ou cair no sangue e se espalhar

BRONQUITE

Região atingida: Brônquios (tubos que conduzem o ar da traquéia até os alvéolos). Ficam contraídos e cheios de secreção

Tratamento: Antiinflamatórios e broncodilatadores, que abrem os brônquios e melhoram o fluxo de ar. Xaropes expectorantes ajudam

Curiosidade: Mais de 90% dos casos de bronquite crônica estão relacionados ao tabagismo. Os fumantes com a doença tossem o tempo todo

ASMA

Região atingida: Brônquios, que, contraídos, dificultam a passagem do ar

Tratamento: Usam-se broncodilatadores (que podem vir na forma das famosas bombinhas) e antiinflamatórios

Curiosidade: Sabe os filmes em que alguém tem uma crise após uma situação nervosa? Nada a ver. O gatilho é sempre algo físico, como a poeira

O FIM DAS BOMBINHAS A partir de 2009, bombas com spray serão substituídas

As bombinhas, históricas aliadas dos asmáticos, estão com os dias contados. Feitas de um spray que utiliza CFC (o gás que destrói a camada de ozônio), até 2009 terão de sair de circulação no Brasil.

1. A parte de baixo da bombinha guarda pó seco - pode ser um corticóide (como a budesonida), um broncodilatador (como o formoterol) ou uma combinação desses dois

2. O asmático aperta um botão na lateral, que fura as cápsulas com o pó, e só então aspira a substância pela boca. O pó cai no sangue, que leva o remédio aos pulmões

Você também pode gostar de:

Fechar