Logo ME

Como é a anatomia de uma aranha?

Todas têm quatro pares de patas e produzem seda, embora nem todas façam teias

O animal tem oito patas, sistema circular aberto, exoesqueleto e é capaz de produzir seda. O corpo divide-se em dois: no cefalotórax ficam boca, estômago e cérebro, enquanto no abdômen estão coração, pulmões e órgãos reprodutivos. Essas são as características básicas, mas há muitas variações e diferenças entre as mais de 40 mil espécies que compõem a ordem Araneae. Aranhas menores, em geral, produzem teias suspensas, enquanto as caranguejeiras (também chamadas de “tarântulas” nos países de língua inglesa) constroem tocas no chão e atacam presas que passam. Existem aranhas de diversos tamanhos, capazes de predar desde pequenos insetos até pássaros e roedores. Mas poucas são perigosas para os humanos: no Brasil, de 4 mil espécies registradas, apenas três tipos costumam atacar pessoas: a aranha-marrom, a armadeira e a viúva-negra.

(Thales Molina/Mundo Estranho)

1) DANDO ARREPIOS
A maioria possui quatro pares de olhos, mas algumas espécies têm menos e até nenhum. O nível de visão varia, mas a maioria enxerga pouco mais que vultos. Isso não é problema, porque esse sentido é secundário: os pelos no corpo, supersensíveis a movimentos em superfícies e ao vento, servem para orientá-la.

2) VEM PRO ABRAÇO
Todas as espécies possuem quatro pares de patas. Em muitas delas, há vários pelinhos nas pontas, cujas extremidades são côncavas, ajudando o animal a aderir a qualquer tipo de terreno. Certas espécies de caranguejeiras também os usam como método de defesa, chacoalhando as pernas para soltar pelos farpados. Uma curiosidade: aranhas morrem de pernas fechadas porque esse é um movimento muscular quase automático. Abri-las exige pressão do sistema circulatório

(Thales Molina/Mundo Estranho)

3) SHAKE DE INSETO
As que fazem teia esperam as presas caírem lá. Já as que caçam no chão se enterram em tocas e aguardam uma vítima passar. Ambas utilizam as quelíceras, um par de presas venenosas. Após paralisar ou matar a vítima com uma neurotoxina, a aranha vomita enzimas digestivas que liquefazem os órgãos da presa. Depois, suga a meleca pela boca. Poucas aranhas têm veneno potencialmente fatal para os humanos. Mesmo nesses casos, o risco de morte é baixo

4) GARRAS BUCAIS
As duas partes alongadas na frente não são patas, e sim pedipalpos, parte da boca da aranha. Eles servem para tatear o caminho e os objetos que o bicho encontra, além de auxiliar a tecer teias e agarrar presas. Também são úteis na reprodução: o macho os recobre de esperma e os introduz nos genitais da fêmea.

5) QUEBRANDO A CASCA
Assim como outros invertebrados, as aranhas possuem exoesqueleto, uma camada externa que ajuda a proteger o corpo e a evitar que ele resseque. Como não se expande, o exoesqueleto é constantemente trocado conforme o bicho cresce. Durante os três primeiros anos de vida, filhotes de caranguejeira fazem a troca quatro vezes por ano.

(Thales Molina/Mundo Estranho)

6) INTERIOR CREMOSO
Não há veias e artérias: o corpo da aranha é inundado com a substância hemolinfa (equivalente ao sangue), que carrega nutrientes e oxigênio – é o chamado sistema circular aberto. O coração é um longo tubo com válvulas nas pontas para bombear o líquido, enquanto os pulmões são ligados a uma abertura no corpo. O ar entra e passa à hemolinfa via difusão.

7) HORDA DE HERDEIROS
Após o acasalamento, as fêmeas podem guardar o esperma do macho por meses até ovularem. Quando isso acontece, os ovos produzidos chegam às centenas. As fêmeas os envolvem em um casulo de seda, a ooteca, que é guardada em folhas, pedras ou na própria teia ou toca. Algumas espécies carregam os casulos junto ao corpo.

(Thales Molina/Mundo Estranho)

8) SUAVE NA SEDA
Toda aranha produz seda, embora nem todas façam teia. O material é secretado por pares de glândulas no abdômen e expelido por órgãos chamados fiandeiras (imagem acima). Cada aranha pode combinar a ação das glândulas para produzir diferentes variedades de seda: a normal para andar por cima, a grudenta para pegar presas, uma para revestir os ovos etc. Aranhas também usam a seda para deixar rastros, facilitando sua orientação. Fêmeas depositam feromônios nesses rastros para atrair parceiros.

Rede de intrigas
Saiba como o aracnídeo cria o padrão de sua teia

(Thales Molina/Mundo Estranho)

I) De algum ponto suspenso, a aranha solta um fio de seda e o espera bater em algum lugar. Quando isso rola, ela firma a linha dos dois lados

II) O animal caminha sobre o fio soltando outro, mais folgado. A partir dele, desce até o chão para firmar o terceiro e último ponto de apoio da teia

III) Um triângulo é formado, unindo os lados. A aranha cria vários fios a partir do centro da teia e os conecta nas laterais

IV) Toda a seda usada até agora era não grudenta, para o aracnídeo poder caminhar em cima. Com a seda pegajosa, ele tece espirais no centro, onde as futuras presas serão capturadas

FONTES Livro The Private Life of Spiders, de P.D. Hillyard, e sites How Stuff Works, University of Kentucky e Australian Museum; CONSULTORIA Samuel Paulo Gióia Guizze, biólogo do Instituto Butantan