Logo ME

Como funciona uma impressora 3D?

Imagine construir suas próprias capas de celular, consertar brinquedos e até imprimir um bife. Imprimir em 3D está mudando a nossa relação com os objetos

(Divulgação/Reprodução/Mundo Estranho)

 

QUER QUE EU DESENHE?

O primeiro passo é “construir” o objeto com três dimensões em um software de modelagem. Mas ele não precisa ser totalmente desenhado no computador: também pode ser fotografado e “mapeado” pelo software. Após ter o modelo do que será criado na tela do computador, é preciso converter o arquivo para um formato padrão das impressoras (terminados em .stl).

 

CAMADA A CAMADA

Após inserir a matéria-prima – que pode ser papel, borracha, plástico, metal etc., dependendo do tipo de impressora -, o objeto é “impresso” em camadas. Em vez de cortar peças maciças, as máquinas modernas unem pedacinhos para formar o objeto.

 

Veja também

NÃO É BRINQUEDO, NÃO

A impressão é sempre de baixo para cima e o tempo varia entre horas e dias, de acordo com a impressora e a complexidade do objeto. Em 2012, uma senhora de 83 anos recebeu um implante de queixo, feito de titânio, construído assim. Impressoras 3D simples comercializadas no Brasil custam em torno de R$ 5 mil. Modelos mais complexos chegam a valer R$ 200 mil!

 

“Pirataria” 3D

Fabricantes podem ter prejuízo com objetos produzidos em casa

Por enquanto, os custos ainda tornam inviável o uso doméstico de impressoras 3D em larga escala. Num cenário futuro, porém, a tecnologia pode se popularizar, tornando qualquer pessoa habilidosa na criação de modelos 3D em computadores capaz de copiar objetos e compartilhar seus arquivos na internet. Muito além de consertar um braço quebrado de um action figure, será possível construir bonecos inteiros em casa, baixando o modelo 3D na rede.

 

FONTES BBC, MashableCNET