Logo ME

Todos os quadrinhos de Bryan Lee O’Malley, do pior para o melhor

Talvez você não conheça o escritor e ilustrador canadense Bryan Lee O’Malley por nome, mas, certamente, conhece algum de seus trabalhos. O maior deles é Scott Pilgrim, série de HQs que posteriormente deu origem a um filme dirigido por Edgar Wright.

Um ano antes de ter sua primeira graphic novel publicada, Bryan foi um dos ilustradores da minissérie Hopeless Savages, publicada em 2002 pela editora de quadrinhos Oni Press e nunca publicada no Brasil. Agora, já bem-sucedido e experiente, Bryan conta com algumas graphics novels em seu portfólio e trabalha na série Snotgirl, além de estar preparando um novo livro, Worst World.

Abaixo, organizamos todos os trabalhos publicados pelo autor, do “pior” para o melhor. A organização foi feita com base nas notas recebidas no site de avaliações coletivas Goodreads.

LOST AT SEA

 (Divulgação/Oni Press)

NOTA NO GOODREADS: 3,7

NO BRASIL: A obra deverá finalmente ganhar uma versão nacional pela editora Geektopia em maio de 2018. O nome será À Deriva.

Primeira graphic novel publicada por O’Malley por meio da editora Oni Press, Lost at Sea é também o trabalho menos popular do autor.

Raleigh, uma garota que teve sua alma roubada por um gato – ou, ao menos, é nisso que ela acredita –, é o típico estereótipo de adolescente antissocial com problemas para lidar com pessoas. De alguma forma, ela acaba entrando em uma road trip até Vancouver com três de seus colegas de escola.

Entre as paradas em postos de gasolina, hotéis e restaurantes de beira de estrada, Raleigh começa a desenvolver laços de amizade com os demais integrantes da viagem. Entretanto, a garota fica sempre ruminando fatos de seu passado que a levaram a ser a pessoa insegura que é hoje.

Apesar de ter sido publicada em 2002, a história fala sobre assuntos que estão voltando à moda na cultura pop – mais especificamente, conflitos adolescentes como inseguranças, ansiedades, relacionamentos malsucedidos e medos. Sem muitos elementos fantasiosos, é a história mais realista e “humana” escrita por O’Malley, abordando apenas os quatro amigos que estão dentro do carro.

A graphic novel recebeu críticas por causa da narrativa um pouco cansativa e confusa. Entretanto, predomina a opinião de que se trata de uma boa história, com personagens humanos e interessantes que seguram a trama, apesar de seus defeitos.

SNOTGIRL

 (Divulgação/Image)

NOTA NO GOODREADS: 3,9
NO BRASIL: A HQ começa a sair por aqui (como Garota-Ranho) a partir de junho de 2018 em versões encadernadas da Quadrinhos na Cia.

Essa HQ é conhecida por ser o primeiro trabalho de O’Malley que não é também desenhado por ele – as ilustrações ficam a cargo de Leslie Hung. Em SnotGirl, temos como protagonista Lottie Person, uma famosa blogueira de moda que, por trás da persona que tenta construir online, na verdade é infeliz e sofre com sérias alergias.

Após atravessar um difícil fim de relacionamento, Lottie passa por momentos de atrito entre seu ego, inflado pela fama, e o desastre que é sua vida pessoal. É durante esses conflitos que Lottie conhece Caroline, uma blogueira de moda que ascendeu recentemente no meio. Lottie, que considera Caroline uma pessoa “perfeita” e muito melhor que ela mesma, passa a desesperadamente tentar ser amiga de Caroline.

O que acontece depois pode facilmente ter sido inspirado por filmes como Perfect Blue e Cisne Negro, com Caroline mostrando não necessariamente ser a pessoa que parece e Lottie afundando cada vez mais em seus conflitos internos.

SnotGirl não utiliza de elementos fantasiosos como as demais histórias de O’Malley. Entretanto, em momento algum tenta se pautar no realismo. A HQ é recheada de eventos estranhos e situações irreais, as quais não dá para saber com certeza se realmente aconteceram ou se são devaneios causados pela atual situação da personagem.

A historia tem como um de seus temas o como as pessoas criam versões de si mesmas online, tentando passar uma imagem de felicidade que não necessariamente condiz com a realidade. Isso pode ser visto principalmente em Lottie, mas também em todas as outras personagens que a cercam.

SnotGirl aborda um tema recorrente nas histórias de O’Malley, que é a influência de relacionamentos passados na vida dos personagens.

REPETECO

 (Divulgação/Quadrinhos na Cia.)

NOTA NO GOODREADS: 4,0

NO BRASIL: Saiu pela Quadrinhos na Cia. em 2016

Como o próprio nome sugere, Seconds, de 2014, é uma história sobre segundas chances. Aqui no Brasil, a graphic novel foi lançada em 2016 com o excelente nome de Repeteco, mantendo o sentido do título original.

Katie, a protagonista, é uma chefe de cozinha, co-fundadora de um bem sucedido restaurante que dá nome ao quadrinho, Seconds. A história se passa no momento em que Katie está prestes a abrir seu segundo restaurante. A construção do estabelecimento não vai bem e a moça não tem certeza se a escolha do local foi um acerto. Além disso, a saída de Katie de seu restaurante original gera situações ruins com seus colegas de trabalho.

Como se poderia esperar de uma historia escrita por O’Malley, em certo momento o ex-namorado de Katie, Max, reaparece no restaurante. Isso faz com que Katie comece a repensar seus sentimentos por Max e os motivos que fizeram o relacionamento dar errado.

Em paralelo a essas coisas, cerca noite Katie é visitada por uma estranha garota de cabelos loiros que a entrega um cogumelo e um bloco de notas, antes de sumir dentro de uma gaveta. Junto ao bloco de notas estão as seguintes instruções: 1) Escreva seu erro, 2) Coma um cogumelo, 3) Vá dormir, 4) Acorde nova. É deste bloco de notas que Katie retira suas preciosas segundas chances.

Além de toda a temática relacionada ao efeito borboleta, a história fala muito sobre assuntos como a realização de um sonho, amizades que se perdem com o passar dos anos, realização profissional (ou então a falta dela) e demais assuntos que permeiam o inicio da vida adulta e o fim da adolescência. Além, é claro, de abordar relacionamentos fracassados.

É importante frisar que Seconds transita em algum lugar entre Lost At Sea e Scott Pilgrim. A primeira é a historia mais pé no chão escrita por O’Malley, não utilizando de elementos fantasiosos. Enquanto isto, Scott Pilgrim está exatamente no espectro oposto, utilizando a todo momento elementos fantasiosos como ferramentas narrativas. Por mais que Seconds também use a fantasia, ela está ali para desenvolver a protagonista e não para construir um universo, como em Scott Pilgrim.

SCOTT PILGRIM

 (Quadrinhos na Cia./Divulgação)

NOTA NO GOODREADS: 4,2

NO BRASIL: Saiu em três volumes entre 2010 e 2011 pela Quadrinhos na Cia.

De longe o quadrinho mais popular escrito por Bryan Lee, este é também considerado seu melhor trabalho. Publicada em seis volumes entre os anos de 2004 e 2010, a obra se tornou um fenômeno cultural que, além das edições originais, conta com uma segunda publicação em cores, uma adaptação para o cinema e um jogo lançado para consoles em 2010.

No quadrinho, Scott é um jovem canadense de 23 anos, baixista de uma banda de garagem e atualmente desempregado. Após iniciar um relacionamento com uma garota mais jovem, ele começa a viver diversos encontros com uma entregadora da Amazon chamada Ramona Flowers, por quem se apaixona imediatamente.

Eventualmente, Scott termina seu namoro e inicia um novo relacionamento com Ramona. Entretanto, não muito depois disso, ele descobre que, para que o relacionamento possa seguir em frente, precisa derrotar os sete ex-namorados malignos de Ramona.

Com um excelente senso de humor e diversos personagens interessantes, Scott Pilgrim foi um tremendo sucesso desde seu lançamento por trazer uma historia adolescente na qual é extremamente fácil se identificar com os personagens e com as situações vividas por eles, seja nas relações entre amigos, nos crushs platônicos ou então nos relacionamentos fracassados. Qualquer adolescente que tentar ler Scott Pilgrim verá um pouquinho de si ali.

Além disso, Scott Pilgrim conta com uma dinâmica única em que novos elementos são apresentados a todo o momento de forma a construir um universo orgânico que funciona muito bem dentro de um caos de ideias.

Ótimos exemplos são os elementos de RPG: após derrotar um inimigo, Scott ganha experiência, sobe de nível e ganha itens. Mas dá para citar também os poderes psíquicos que um dos ex-namorados de Ramona possui devido a seu veganismo, as portas multidimensionais que levam a outros lugares e mais.

Menção Honrosa – WORST WORLD

 (Reprodução/Twitter)

Anunciada em 2016, mas ainda sem previsão de lançamento, Worst World será a próxima trilogia de graphic novels de Bryan Lee O’Malley.

Atualmente, as únicas informações divulgadas são que a historia será ambientada nos dias atuais em Los Angeles e protagonizada por duas jovens chamadas Benny e Aubrey.

Pelas imagens já divulgadas e pelo fato de a história ser ambientada em Hollywood (sendo que as historia de O’Malley costumam se passar em cidades do Canadá), podemos especular que a trama será sobre um grupo de jovens aspirantes à fama, ou então que já alcançaram a fama, mas agora precisam aprender a lidar com ela.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s