Logo ME

As pesquisas da ciência mais bizarras de 2015

ilustra Guilherme D’Arezzo

CIÊNCIA BIZARRA

Os estudos mais malucos publicados ao longo do ano

RETROSPECTIVA 2015

– As polêmicas do ano, transformadas em meme

– As expressões do ano

– Os vídeos que bombaram nos grupos de WhatsApp

– As celebridades que mais geraram memes

– As pesquisas mais bizarras de 2015

retrospectiva-ciencia retrospectiva-ciencia

retrospectiva-ciencia (/)

Cachorros ficam preguiçosos por causa dos donos

Uma especialista em comportamento animal desafiou dez lobos, dez cães sem dono e dez com dono a tirar uma salsicha de um pote. Oito lobos chegaram lá, enquanto apenas um cão de abrigo conseguiu abocanhar a salsicha. Quanto aos de estimação, nenhum se esforçou o suficiente. Quando os donos os estimularam, um deles foi bem-sucedido. Ou seja, passar a vida ganhando comidinha deixa, sim, os cães mimados e folgados

Irmãos mais velhos são mais gordos

Pesquisadores suecos e neo-zelandeses avaliaram 13,4 mil pares de irmãs e constataram que as mais velhas tinham 40% mais chances de estarem obesas. Além disso, as primogênitas tinham 30% mais riscos de estarem acima do peso. Um dos motivos seria, talvez, que pais tendem a gastar mais dinheiro com seus primeiros filhos

retrospectiva-ciencia2 retrospectiva-ciencia2

retrospectiva-ciencia2 (/)

Vídeos de gatos melhoram seu dia

Donos de gatos dirão “Ah, vá!”. Mas uma pesquisadora dos EUA consultou 7 mil pessoas para saber quanto tempo elas passavam assistindo a vídeos de gatos. A maioria delas disse que o motivo principal é relaxar e que os eventuais sentimentos de culpa (por estar procrastinando no trabalho, por exemplo) não se comparam ao tamanho da felicidade sentida. Sempre soubemos

retrospectiva-ciencia3 retrospectiva-ciencia3

retrospectiva-ciencia3 (/)

Solteiros que trocam emojis transam mais

O site de relacionamentos norte-americano Match.com entrevistou 5,6 mil pessoas solteiras sobre hábitos digitais. A pesquisa concluiu que, em 2015, 54% dos solteiros que usam emojis em conversas no celular fizeram sexo, enquanto somente 31% dos que não usam transaram. Segundo especialistas, o emoji ajuda a quebrar o gelo e dá mais personalidade à conversa