Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Por que o Céu é azul?

Coincidência entre ondas da luz solar e partículas da atmosfera geram o firmamento anil que todos conhecemos e amamos

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h46 - Publicado em 31 Maio 2008, 22h00

Texto Giovana Girardi

Não, não é porque ele reflete os oceanos, como muito desavisado já saiu repetindo por aí. Trata-se de um efeito provocado pela dispersão da luz solar através da camada de gases que envolve o nosso planeta. Mas, para entender como isso funciona, é preciso primeiro lembrar de duas características da luz.

A primeira é que a luz se movimenta em ondas – minúsculas, é bem verdade, imperceptíveis aos nossos olhos. A segunda é que a luz solar, por ser branca, é na verdade uma mistura de várias outras cores, as visíveis, que podemos observar quando se forma um arco-íris, e as que ficam nas faixas do infravermelho e do ultravioleta, que estão além da nossa capacidade visual. Cada uma dessas cores corresponde a uma onda com um determinado comprimento. A azul tem um dos menores comprimentos de onda dentro do espectro visível. A vermelha é a que possui o maior deles.

Pois bem: quando a luz do Sol chega à Terra, ela esbarra na atmosfera e nos milhares de minúsculas partículas de ar presentes ali. Grosso modo, o que vemos é uma espécie de reflexo da luz ao cruzar com essas partículas. Quando o alvo onde a luz bate tem uma dimensão compatível com seu comprimento de onda, parte da energia da luz é absorvida, fazendo suas cargas vibrar e emitir de novo a radiação.

Como os tons de azul têm os menores comprimentos de onda, eles são os únicos compatíveis com essas pequenas partículas, que então absorvem essa luz e a rebatem, espalhando o azul para todos os lugares. Por isso o céu é azulado durante o dia.

Já ao entardecer, como o Sol passa a iluminar a Terra com um ângulo mais oblíquo, a luz tem de atravessar a atmosfera por uma distância maior. Isso faz com que a fração de azul seja diluída de tal modo que não conseguimos vê-la mais, abrindo espaço para enxergarmos apenas os tons mais vermelhos que, por terem um comprimento de onda maior, se espalham menos. Outro fator que influencia a cor do céu é comum nas grandes cidades do mundo: a poluição do ar. Quanto mais houver partículas em suspensão na atmosfera – além das que naturalmente fazem parte dela –, mais a luz azul é espalhada, aumentando a vermelhidão no pôr-do-sol, como se pode notar na comparação entre um entardecer em São Paulo e outro no interior.

Continua após a publicidade

Marte provavelmente tem um céu de coloração alaranjada ou avermelhada, por causa de sua atmosfera fina e das partículas de poeira presentes nela.

Rebatendo e espalhando

Como as ondas de luz pintam o nosso Céu

1. Sete em uma

Ao chegar às partes mais altas da nossa atmosfera, a luz solar é branca, mas isso significa que, na verdade, ela é uma mistura de todas as cores do arco-íris, além de faixas de radiação que nossos olhos não captam.

2. Comprimento

Cada uma das cores do espectro luminoso tem um comprimento de onda característico, o qual pode ser determinado pela distância entre duas “cristas” da ondulação luminosa correspondente.

3. Rebatida

Acontece que a luz azul tem o comprimento de onda exato para ser espalhada em todas as direções pelas moléculas da nossa atmosfera durante o dia, o que leva à nossa percepção de um céu azul.

Continua após a publicidade
Publicidade