Logo ME

9 merendas escolares de outros países mais gostosas que a nossa

As crianças de lá comem melhor na escola do que você no almoço da firma

1) França

 (Renato Faccini/Mundo Estranho)

Famosa por sua culinária, a França não poderia fazer diferente nas refeições escolares. O cardápio tem entrada (como salada verde ou de tomate com grapefruit), prato principal (como frango empanado com recheio de queijo ou peixe assado com polenta gratinada), fruta e um queijo ou iogurte. Para acompanhar, baguete e água

2) Japão

 (Renato Faccini/Mundo Estranho)

Os alunos comem na própria sala de aula. E eles é que devem arrumar as mesas antes e depois. Também costumam levar seus próprios hashis (os palitinhos que servem de talher). A refeição inclui vegetais (como salada de pepino com vinagre), proteína (como peixe ou tofu cozido), sopa (como de tofus), arroz ou macarrão, fruta e leite

3) Itália

 (Renato Faccini/Mundo Estranho)

Os aluno que estudam em período integral podem almoçar na escola, e a refeição segue o hábito italiano do “primo piatto” (primeiro prato, como macarrão ao molho de tomate, ragu de verdura ou um risoto) e do “secondo piatto” (como frango ao forno, peixe gratinado ou um queijo). Para acompanhar, saladas e vegetais

4) Suécia

 (Renato Faccini/Mundo Estranho)

Todo aluno tem direito a um almoço gratuito, que deve reunir uma salada, uma fonte de carboidratos e uma de proteínas. A dupla clássica é batata e peixe, mas há opções como macarrão à bolonhesa, panquecas salgadas e doces (pannkakor), arroz com carne ou frango ou sopa de ervilha (artsoppa) com carne de porco

5) Finlândia

 (Renato Faccini/Mundo Estranho)

A lei exige que a merenda supra um terço das necessidades alimentares do aluno. E na capital, Helsinque, os vegetarianos têm direito a cardápio exclusivo uma vez por semana. Normalmente, há salada, refeição quente (como caçarola de frango ou sopa de ervilha, de salsicha ou de peixe), pão, manteiga, bebida e fruta

6) Inglaterra

 (Renato Faccini/Mundo Estranho)

Oficialmente, a merenda deve ser balanceada, com carne, peixe ou outra proteína, carboidrato, frutas, vegetais e leite e derivados. Um exemplo de prato quente: arroz, frango e brócolis ou a típica “shepherd¿s pie” (torta do pastor, feita de batata e carne). Mas as escolas também pisam na bola, oferecendo hot-dog, hambúrguer, croquetes…

7) Coreia do Sul

 (Renato Faccini/Mundo Estranho)

Nas escolas mais tradicionais, os alunos até limpam as mesas. Predomina a culinária típica: kimchi (prato fermentado feito com vegetais e temperos), bibimbap (mistura de arroz, vegetais e pasta de pimenta), batata-doce empanada e frita, ovo, feijão e pimenta em caldo de frango e vegetais no vapor

8) Ucrânia

 (Renato Faccini/Mundo Estranho)

Vira e mexe, há denúncias de corrupção envolvendo merendas e, segundo críticos, dificilmente são servidos alimentos de boa qualidade. O menu tem entrada (como borsch, uma sopa de beterraba e carne), prato principal (salsicha ou carne com ovos e purê) e sobremesa (panqueca ou syrki, um tipo de chocolate com cream cheese)

9) Índia

 (Renato Faccini/Mundo Estranho)

Para diminuir o número de crianças abaixo do peso, desde os anos 60 há um programa que oferece merendas em parceria com organizações não governamentais. Hoje, 120 milhões de estudantes recebem um almoço com arroz ou chapatis (um tipo de pão), sopas indianas, como daal (de lentilha) e kadhi (feita com iogurte e farinha), e vegetais

Quem paga a conta

Governo só banca refeições em dois países

Nas escolas públicas da França, da Ucrânia, da Itália, dos EUA, da Coreia do Sul, do Japão e da Inglaterra, os pais pagam pela merenda, mas o estado pode oferecer auxílio a famílias com dificuldades. Na Suécia e na Finlândia, elas são gratuitas. Na Índia também, mas por causa da parceria com ONGs

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!