Logo ME

As 20 profissões mais bizarras do mundo

Alguém tem que fazer o trabalho sujo... e o repetitivo, o perigoso, o ridículo e o deprimente etc. Você nunca mais vai reclamar do seu atual emprego

 (Rômolo/Mundo Estranho)

1) REPRODUTOR DE ELEFANTES
Salário
 R$ 9 mil a R$ 12 mil
Como chegar lá Cursar medicina veterinária, fazer especialização em reprodução assistida e curso para trabalho com elefantes.

Elefantes criados em zoológicos, como os asiáticos, em risco de extinção, precisam de uma mãozinha na hora de se reproduzirem. Na real, precisam de um braço inteiro. É que os gigantes de tromba têm o sistema reprodutor pouco eficiente, representando um dos maiores desafios para quem trabalha com reprodução em cativeiro.

Para colher o esperma destinado a inseminações artificiais, veterinários e auxiliares têm que manter o bicho quieto para fazer uma limpeza preliminar. Primeiro, as fezes são retiradas até onde o braço alcança. Após o trabalho manual, uma mangueira, inserida no ânus do animal, bombeia água e sabão.

Estimular o pênis (que tem 1,5 m de comprimento e 16 cm de diâmetro) é perigoso, pois há áreas sensíveis que fazem o membro “espasmar” para todo lado, com risco de nocautear o veterinário. A solução é estimular (vigorosamente) a próstata, via reto. Para alcançá-la, o braço precisa entrar inteiro no animal.

O processo requer um time de quatro a seis pessoas, entre veterinários e auxiliares, e até 30 minutos de estímulo. O veterinário que coleta o esperma usa uma camisinha larga presa a um cabo de arame. Como o sêmen não pode ser congelado, deve ser introduzido imediatamente em uma fêmea. Apesar do esforço, a equipe só coleta 42 ml de esperma (quatro vezes mai sque o volume da ejaculação humana).

 

2) TESTADOR DE SEXO
Salário
 R$ 6 mil
Como chegar lá Após cumprir dois anos de um curso técnico em avicultura e treinar, de dez meses a um ano, em uma granja ou incubadora de pintinhos.

Os sexadores recebem milhares de pintinhos e checam o formato das penas, a cor e a anatomia para determinar se são machos ou fêmeas. Em alguns casos, o profissional só diferencia o gênero pelo formato da cloaca, que fica no traseiro das aves.

 

3) INSPETOR DE CUSPE
Salário
 R$ 180
Como chegar lá Morar em uma cidade grande da Índia e procurar uma vaga em empresas de segurança homologadas pela prefeitura.

Nas metrópoles indianas, o problema de pedestres cuspindo nas vias é tão crítico que a prefeitura contratou empresas de segurança para coibir os porcalhões. A abordagem inclui pagar 200 rúpias (cerca de R$ 7) ou limpar o cuspe. Como o Salário – médio por lá é de 170 rúpias por dia, a maioria prefere limpar.

 

4) MERGULHADOR DE CAMPO DE GOLFE
Salário R$ 8 mil a R$ 16 mil
Como chegar lá Morar nos EUA, cursar mergulho básico e tentar uma vaga em algum campo de golfe.

Mergulhadores entram nos laguinhos de campos de golfe para coletar os milhares de bolinhas que os jogadores isolam. A água é tão suja que os caras ficam tateando o lodo para encontrá-las. Em média, um profissional recolhe 3 mil unidades por dia e revende cada uma por R$ 0,10

 

 (Rômolo/Mundo Estranho)

5) APRENDIZ DE LUTADOR DE SUMÔ
Salário
 Zero
Como chegar lá Completar um curso de sumô no Japão e procurar um centro de formação de lutadores.

Os caras vivem em “estábulos” com lutadores e outros aprendizes e devem passar anos treinando e servindo aos profissionais antes de se qualificar para as lutas oficiais. A rotina é rigorosa, com horário para tudo, incluindo acordar e dormir. Para completar, ainda têm que fazer a limpeza das acomodações e servir de mensageiro.

Os calouros, essencialmente, são assistentes dos veteranos, o que envolve ajudá-los até com a higiene pessoal. O que, por sua vez, envolve ajudar lutadores mais volumosos a limpar partes que eles não alcançam, como ascostas e outros locais impublicáveis.

Os aspirantes acordam às 5h da manhã e começam o treinamento às 6h, antes dos lutadores profissionais, que só começam a ralar às 8h. Durante os treinos dos veteranos, os novatos varrem o ringue de luta e limpam a areia que gruda nas costas dos lutadores.

Os aprendizes não tomam café da manhã, ou seja, treinam de barriga vazia. Na hora do almoço, famintos, exercitam a disciplina e o senso de hierarquia ao servir a comida para os profissionais. Além disso, só podem comer depois que os mais velhos terminam a refeição.

 

6) GOLD FARMER
Salário
 R$ 260 a R$ 390
Como chegar lá Ir até Changsha, interior da China, e procurar pela empresa Wow7gold

Em alguns games de RPG online, existe gente jogando para fazer negócio, acumulando ouro, armaduras e outros itens para revender no mundo real. Na China, há empresas legais em que jovens trabalham dez horas por dia só para subir o nível dos personagens de clientes e obter peças raras.

 

7) EMPURRADOR DE GENTE
Salário
 R$ 5 mil
Como chegar lá Candidatar-se em empresas que administram linhas de metrô no Japão

Nos horários de pico, o metrô de Tóquio opera com até o dobro do número máximo de passageiros. Para enlatar todo mundo, funcionários precisam empurrar as pessoas para dentro dos vagões. No restante do dia, os empurradores (oshiya) exercem funções de segurança.

 

8) TESTADOR DE ODORES
Salário
 R$ 3 mil a R$ 8 mil
Como chegar lá Formação em química ajuda, mas o trabalho pode ser feito por voluntários chamados por empresas.

Distinguir as sutilezas de aromas entre um bafo, uma sovaqueira e uma flatulência é a principal habilidade desse profissional. O campo de trabalho é amplo: vai desde empresas de higiene e de cosméticos até a pesquisa acadêmica, em que voluntários ajudam a identificar qual é o componente mais fétido dos puns.

 

9) FLUFFER
Salário
 R$ 300 a R$ 7 mil
Como chegar lá Procurar uma produtora de filmes pornôs e mostrar que pode assumir qualquer função em um set de filmagem.

Fluffer é o responsável por manter atores e atrizes pornôs excitados entre astomadas de um filme. A função faz parte do departamento de maquiagem e não envolve necessariamente atos sexuais – às vezes, uma massagem e uma sacanagem sussurrada no ouvido já dão conta do serviço.

 

 

 

 (Rômolo/Mundo Estranho)

10) TÉCNICO DE ALTA TENSÃO “VOADOR”
Salário
 R$ 8,2 mil a R$ 10,4 mil
Como chegar lá Nos EUA, basta um diploma de Ensino Médio para ser técnico eletricista. Para trabalhar com helicópteros, as empresas bancam um curso para funcionários voluntários.

O trabalho é radical e perigoso: sair de um helicóptero e se equilibrar em um cabo de alta tensão com voltagens que chegam a 1.000 kV. Voar para fazer a manutenção das linhas elétricas é menos desgastante para o trabalhador e mais eficiente do que escalar postes ou subir com guindaste.

Para alcançar as linhas de alta tensão, que ficam de 15 a 55 m acima do solo, o piloto tem que ser um ás: o helicóptero precisa deixar o técnico sobre o cabo sem colidir com ele, o que exige muita estabilidade.

A roupa é condutora para a eletricidade passar sem ferir ninguém. Ao pousar, o técnico conecta os cabos e o helicóptero com uma vara de metal, evitando que a eletricidade salte de um para outro.

Sentados numa cadeira ou direto nos fios, os técnicos trocam capacitores, fusíveis e resistores. Em outro momento, limpam os cabos com um canhão de água destilada preso ao helicóptero. Se a água for “contaminada” com algum sal (o que a tornaria condutiva), o risco de criar uma descarga elétrica ou explosão é enorme.

 

11) RECUPERADOR DE VEÍCULOS
Salário
 Comissão de 2 a 10% sobre valor de revenda dos bens recuperados
Como chegar lá Abrir a própria empresa e oferecer serviço a bancos.

Quando alguém deve muito ao banco, este pode confiscar bens – de imóveis a objetos. O problema é conseguir tomar de volta jatos, barcos e carrões de ricos endividados. Para isso existem os “repo men”, especialistas em recuperar veículos. Mas nem tudo é glamour: os caras arrombam garagens e hangares e se metem em fugas e perseguições.

 

12) PALHAÇO DE RODEIO
Salário
 R$ 200 a R$ 1.000 por show
Como chegar lá Fazer um curso nos EUA e começar treinando em rodeios de pouca expressão.

O palhaço distrai o touro e salva a pele do caubói que acabou de cair. A única proteção é um barril de metal deixado na arena para os palhaços usarem como obstáculo diante de investidas do animal. A profissão, como a conhecemos hoje, surgiu em 1930, quando touros da agressiva raça brahma começaram a ser usados na Austrália e nos EUA.

 

13) DESCONTAMINADOR NUCLEAR
Salário
 R$ 6,2 mil
Como chegar lá Cursar ensino médio e passar por um treinamento específico.

Fazer reparos em usinas atômicas e conter vazamentos radioativos é dureza! As roupas de vinil e máscaras só protegem contra partículas radioativas sólidas, mas deixam passar a radiação gama. Por isso, cada descontaminador tem um dosímetro, indicando quanta radioatividade o atingiu – se o contador acusar 50 rads, o trabalhador tem que sair da área ou pode morrer intoxicado.

 

14) DOMADOR DE CROCODILOS
Salário
 R$ 400 (estimado)
Como chegar lá Ir até a Tailândia e conseguir emprego (e treinamento) em um parque de crocodilos.

As fazendas de crocodilos tailandesas atraem visitantes do mundo todo com shows de domadores enfiando braços e cabeças na boca das feras. Como crocodilos não têm glândulas sudoríparas, eles mantêm a boca aberta para livrar-se do calor corporal quando o sol está quente. É tirando proveito disso que os malucos arriscam o pescoço.

 

15) GUARDADOR DE FILA
Salário
 R$ 6 por hora
Como chegar lá Ir a Xangai ou Hong Kong e tentar vaga em uma empresa de “paotui”, nome da prática em chinês.

Um fenômeno das superpopulosas metrópoles chinesas é a oferta de serviços de “despachantes” que recebem para ficar em filas de lojas, hospitais, shows etc. O trabalho é simples: basta guardar o lugar e ligar para o cliente quando estiver a ponto de ser atendido. Há guardadores que já chegaram a ficar 26 horas na fila do lançamento de um produto eletrônico.

 

 (Rômolo/Mundo Estranho)

16) DESARMADOR DE MINAS TERRESTRES
Salário
 R$ 500 a R$ 3,2 mil
Como chegar lá Entrar em contato com organizações não-governamentais (ONGs) especializadas nesse serviço.

Quando os militares não conseguem remover minas terrestres de um país após um conflito, ONGs como a MAG (maginternational.org) treinam residentes para desarmá-las. É um trabalho tenso, mas essencial para países como o Líbano e o Sudão, onde o povo lida com a abundância de minas terrestres antigas em seu quintal.

Após dividir o terreno em quadrados de 1 m2, o desarmador usa detector de metal e inspeção visual em cada quadrante. Se estiver limpo, ajoelham nesse quadrante para inspecionar o seguinte.

Ao detectar uma mina, é preciso usar um marcador vermelho e duas estacas para montar um “x”. O detector chama o supervisor para desarmar ou isolar a área para detoná-la de longe.

Em média, um desarmador mapeia 4 m2 por dia. É possível detectar minas usando ratos, abelhas amestradas (sério!) e sonares terrestres, mas a habilidade humana ainda é mais eficiente.

 

17) LENHADOR DE MONTANHA
Salário
 R$ 5,5 mil
Como chegar lá Ir para um país montanhoso, como Canadá e EUA, e procurar vagas em madeireiras.

Locações isoladas, necessidade de trabalhar mesmo em condições climáticas adversas e a inclinação do solo são fatores que tornam ainda mais perigoso um trabalho que já envolve serrar toras de madeira gigantescas com lâminas afiadas. O uso de maquinário pesado alivia alguns riscos, mas agrava a chance de deslizamentos de pedras. Nos EUA, o número de acidentes mortais entre lenhadores só é menor que o de fatalidades entre quem trabalha com pesca comercial.

 

18) PESCADOR NO ALASCA
Salário
 R$ 30 mil a R$ 100 mil
Como chegar lá Rumar para o litoral do Alasca e se entrosar com o dono de um pesqueiro.

A pesca é o trabalho que mais mata nos EUA – 116 mortes a cada 100 mil pescadores por ano. Caçar caranguejos gigantes já foi o trabalho maisperigoso do mundo, mas ficou mais seguro desde 2006, quando começou a ser regulado. Ainda assim, encarar temperaturas negativas e tempestades em alto-mar para pescar o bicho é para poucos.

 

19) MINERADOR DE ZINCO
Salário
 R$ 840
Como chegar lá Chegar em Potosí, Bolívia. Lá, comprar dinamite ou entrar para uma cooperativa.

A mineração subterrânea nunca é um trabalho mole. Mas há extremos de desconforto e perigo, como a mina de zinco de Potosí. Os caras passam 18 horas dentro da montanha a temperaturas de até 40 oC, sem ventilação nem iluminação decentes, movidos apenas a folhas de coca, tabaco negro e um destilado caseiro com gradação alcoólica de 80%.

 

20) MERGULHADOR DE PETROLEIRA
Salário
 R$ 10 mil
Como chegar lá Fazer um curso básico de mergulho e um treinamento de dez a 12 meses em uma empresa petrolífera.

O ambiente é frio, escuro e perigoso devido à alta pressão. Os caras trabalham a até 500 m de profundidade consertando dutos de petróleo e gás natural e, após algumas horas, precisam ir para uma câmara de descompressão submarina para evitar embolia gasosa – entupimento de vasos sanguíneos causado por bolhas de ar no sangue. Após sete anos, em média, o mergulhador é dispensado porque a exposição a altas pressões pode causar necrose nos ossos.

 

Veja também

 

 (Rômolo/Mundo Estranho)

 

MUSEU DAS OCUPAÇÕES ESTRANHAS

Empregos que trouxeram grandes benefícios para o mundo ao serem extintos

 

LADRÃO DE CORPOS
Até 1832, quando a dissecação foi legalizada na Inglaterra, ladrões invadiam cemitérios ingleses para desenterrar cadáveres frescos e revendê-los a estudantes de medicina. Em 1828, dois irlandeses chegaram ao extremo de matar 17 pessoas em Edimburgo para vender os corpos.

LIMPADOR DE TRASEIRO DO REI
Entre os séculos 15 e 16, quem tinha a desgraçada tarefa de limpar o rei após defecar era o membro da corte mais próximo dele. Nos reinados de Henrique VII e Henrique VIII, os “servos do penico”, como eram chamados, tinham tanta autoridade que qualquer ordem ou declaração sua tinham autoridade real.

CHICOTEADOR DE CÃES
Na Europa do século 16 ao 19, era comum levar cães de estimação à igreja. O hábito teve consequências históricas. A primeira foi o novo ofício, exercido por padres, de expulsar, a chicotadas, cães malcomportados. A segunda implicação, especula-se, foi a piada enigmática: “Por que o cachorro entrou na igreja?”.

KNOCKER-UP
Até o início do século 19, operários de fábricas no Reino Unido não tinham despertadores confiáveis ou baratos. A solução era pagar um sujeito para fazer barulho na janela – batendo ou atirando ervilhas secas com uma zarabatana – para despertá-los. Essa era a rotina diária de um knocker-up.

TINTUREIRO ROMANO
Até a Idade Média, a única técnica conhecida na Europa para branqueamento de roupas era lavá-las em urina. Os tintureiros coletavam ou compravam urina animal e humana para encherem grandes tinas de pedra onde pisoteavam as roupas dos clientes. A amônia contida na urina branqueava os tecidos de lã e algodão.

TOSHER E MUDLARK
Londres era nojenta no século 19. O rio Tâmisa era uma fossa a céu aberto. Só que onde alguns veem fezes outros veem oportunidade. Os toshers passavam peneiras nos esgotos atrás de sucata, moedas perdidas e qualquer coisa que pudessem revender. Os mudlarks faziam o mesmo, só que à beira do então imundo rio da cidade.

COLETORA DE SANGUESSUGA
Algumas jovens escocesas do século 19 caçavam sanguessugas usando aspernas como isca. Em Glasgow e Yorkshire, elas passavam o dia com ascanelas na água, esperando os sanguessugas se prenderem à pele. Os bichos eram removidos com álcool ou com o calor de uma chama e vendidos para farmácias usarem em tratamentos terapêuticos.

WHIPPING BOY
Na corte inglesa dos séculos 16 e 17, ser amigo de infância do príncipe não era bom negócio. Alguns filhos de nobres eram chicoteados quando um filho do rei se comportava mal. É que os tutores não tinham permissão para surrar os pestinhas reais, então puniam os amiguinhos para atingi-los psicologicamente.

CELESTIAL
Os chineses que construíam ferrovias nos EUA, no fim do século 19, chamavam a terra natal de “reino dos céus” e foram apelidados de celestiais. Os caras ganhavam US$ 3 por dia, sofriam preconceito e ficavam pendurados em cordas para explodir encostas de montanhas com dinamite – além de subir pelas pedras correndo após acender o pavio.

 

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!