Logo ME

Como é o sexo hoje?

As estatísticas mais picantes sobre o que rola entre quatro paredes em todo o mundo

COMO É O SEXO? Hoje
Pré-História | Antiguidade | Idade Moderna | No futuro

Ao mesmo tempo em que o sexo é praticado com uma liberdade nunca vista na história, as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) atacam em escala também inédita. Segundo a Organização Mundial da Saúde, mais de 30 infecções curáveis provocadas por vírus, bactérias e protozoários são transmissíveis sexualmente. Todo ano, 340 milhões de novos casos de sífilis, gonorreia, clamídia e tricomoníase ocorrem com adultos entre 15 e 49 anos. Isso sem contar a aids, que atinge 33 milhões de pessoas no planeta. Fora da OMS, há poucas estatísticas mundiais sobre o rala-e-rola – não se sabe, por exemplo, qual a posição sexual mais praticada na Terra. A maior pesquisa sobre o assunto foi feita pela Durex, fabricante de camisinhas, em 2005 – mas o Brasil ficou de fora dos 41 países investigados. Por aqui, a principal pesquisa foi conduzida por Carmita Abdo, professora da USP, e publicada em 2008, depois de 8 200 entrevistas em dez cidades do país. O resultado: os brasileiros mais pensam do que fazem sexo. Enquanto transam em média três vezes por semana, sonham com 6,3 relações por semana. Na prática, a teoria é outra…

hj3-sexo-hoje

MATEMÁTICA DO SEXO

As estatísticas mais picantes sobre o que rola entre quatro paredes em todo o mundo

QUANTIDADE X QUALIDADE: Brasileiros fazem mais sexo do que a média mundial, mas têm menos parceiros

NÚMERO DE PARCEIROS SEXUAIS (na vida)

média mundial: 9

maior do mundo: 14,5 Turquia

menor do mundo: 3 Índia

Brasil: Os cariocas são os que tiveram mais namoradas (4,3), e as meninas de Porto Alegre são as que contam mais parceiros (2,4)

FREQUÊNCIA DO SEXO (vezes por ano)

média mundial: 103

maior do mundo: 138 (Grécia)

menor do mundo: 45 (Japão)

Brasil: Os líderes nacionais são os brasileiros de Belo Horizonte, com 3,8 relações semanais, e as mulheres de Manaus, com 2,7 transas por semana

IDADE EM QUE PERDEU A VIRGINDADE

média mundial: 15 e 16

Brasil: As meninas de Manaus, as mais precoces, fizeram sexo pela primeira vez aos 16 anos, e as mineiras, “atrasadas”, aos 19 anos

FETICHES: Cada região do mundo tem seus apetrechos e manias sexuais preferidas. Viaje nessa!

PORNOGRAFIA

média mundial: 41%

maior do mundo: 62% (Tailândia)

menor do mundo: 21% (Itália)

SEXO NO CARRO

média mundial: 50%

maior do mundo: 82% (Itália)

menor do mundo: 5% (Vietnã)

SEXO ANAL

média mundial: 35%

maior do mundo: 75% (Chile)

menor do mundo: 1% (Taiwan)

SEXO TÂNTRICO

média mundial: 7%

maior do mundo: 75% (Hong Kong)

menor do mundo: 1% (Turquia e Japão)

CASAMENTO

Brasil: 46%

Quase metade dos brasileiros são ou já foram casados, segundo o censo 2000 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Só em 2007, 916 mil casais se uniram – 152 291 assinaram o divórcio. Dos 136 milhões de brasileiros acima de 10 anos de idade:

37% eram casados

1,9% separados judicialmente

1,6 divorciados

4,5% viúvos

HOMOSSEXUALIDADE

Mulheres: 4,9% | Homens: 7,8%

No Brasil, 4,9% das mulheres declararam-se homossexuais, contra 7,8% dos homens. O número de bissexuais é menor: 1,4% das mulheres e 2,6% dos homens. Não há uma estatística mundial, mas nos Estados Unidos, por exemplo, os estudos de Alfred Kinsey, na década de 1950, afirmaram que cerca de 10% dos americanos haviam tido relações gays por pelo menos três anos na vida adulta.

CIÊNCIA

– AIDS:

média mundial: 33

maior do mundo: 22,5% (África Subsaariana)

menor do mundo: 0,026 (Oceania)

– OUTRAS DSTS

(em milhões de novos casos por ano)

média mundial: 340

maior do mundo: 151 (Sudeste da Ásia)

menor do mundo: 1 (Oceania)

Brasil:

Sífilis – 937 mil

Gonorreia – 1,54 milhão

Clamídia – 1,96 milhão

Herpes genital – 641 mil

HPV – 685 mil

SEXO SEM CAMISINHA

média mundial: 47%

maior do mundo: 73%

menor do mundo: 21%

Brasil: 68%

Cerca de 32% dos brasileiros usam sempre preservativos nas relações sexuais. Os mais prevenidos são os homens de Cuiabá (38,3% sempre usam) e as mulheres de Manaus (40%)

CONTINUE: Como será o sexo no futuro?