Logo ME

Loja oficial de Harry Potter na CCXP: vale a pena neste ano?

Fomos à loja oficial da franquia na spoiler night da CCXP e contamos o que achamos dessa nova tentativa de agradar o público potterhead

Em 2016, a loja oficial de Harry Potter na Comic Con Experience foi provavelmente o maior fiasco da feira. Filas longuíssimas, preços altíssimos e estoques limitados fizeram a loja fechar mais cedo em vários dias, deixando o público na mão. Em 2017, a loja voltou ao evento. Será que, desta vez, eles aprenderam a lição?

As primeiras mudanças são geográficas. A loja foi empurrada para o canto final da exposição, certamente num esforço para que as longas filas não atrapalhem a circulação. Também foi criada uma área de fila bem grande (maior até do que o espaço da própria loja) para conter os potterheads. O design dessa área foi feito para simular um campo de quadribol, e há até um minigame em que você senta numa vassoura e precisa arremessar uma bola nos três aros (quem acertar ganha brinde). Até aqui, só acertos.

Na parte de dentro, porém, não dá para dizer que a loja vai surpreender alguém. O problema maior é a falta de variedade. Há moletons, bonés, cachecóis, varinhas, canecas, bonecos Funko… mas não há muitas opções dentro de cada categoria. Considerando o que existe nas lojas gringas, a brasileira poderia ter ousado muito mais, trazendo comidas (como os sapos de chocolate e os feijõezinhos), brinquedos, réplicas, etc. Seria o maior trunfo de estar na CCXP: trazer coisas diferentes e exclusivas. Com o cardápio atual, a loja não oferece muito além do que já existe nas varejistas brasileiras.

Em termos de preço, há itens em todas as faixas, mas os mais baratos são os mais sem graça. Aliás, de barato mesmo, só podemos considerar cordões para segurar crachá (R$ 12), chaveiros (R$ 30), uma réplica do ingresso para o Expresso de Hogwarts (R$ 20) e o Mapa do Maroto (R$ 40). Daí para cima, as coisas ficam meio complicadas. Há cachecóis por R$ 70 (Corvinal e Lufa-Lufa) e R$ 80 (Grifinória e Sonserina), bonés por R$ 70, camisetas a partir de R$ 70, Funkos a partir de R$ 100… dificilmente alguém ficará tentado pelo fator “pechincha”.

Enfim, dá para dizer que a loja (cujo design foi aprovado pela própria J.K. Rowling, segundo disse o CEO da CCXP, Pierre Mantovani, na coletiva de abertura) está bem melhor e mais preparada do que o ano passado, mas que a variedade é baixa e os preços são, na melhor das hipóteses, na média do evento. Só você, potterhead, poderá julgar se essa nova versão será digna do seu suado dinheirinho.