Logo ME

Quem dá nome às fases da Operação Lava Jato?

Não existe um departamento específico responsável por batizar cada operação da Polícia Federal. Cabe à equipe encarregada por cada investigação.

lava-jato

ILUSTRAS Caio Yo

Não existe um departamento específico responsável por batizar cada operação da Polícia Federal. Cabe à equipe encarregada pela investigação definir o título, baseando-se em temas, pessoas, lugares ou situações que tenham alguma ligação com a ação, organizando e identificando os materiais apreendidos. A Operação Lava Jato, que há dois anos investiga o esquema de desvio e lavagem de bilhões de reais da Petrobrás, é composta até o momento por mais de 40 fases, sendo que algumas delas receberam nomes bem curiosos. Veja a origem do nome das 38 primeiras fases.

1ª fase (março de 2014)

Lava Jato

Uma das organizações investigadas usava uma rede de lavanderias e postos de gasolina (alguns, com lava-a-jato) para fazer transações monetárias ilegais. O doleiro Alberto Youssef, suspeito de ser um dos chefes do esquema, foi preso

7ª fase (novembro de 2014)

Juízo Final

Foi a maior etapa até então, com 49 mandados de busca, nove de condução coercitiva,R$ 720 milhões bloqueados e 27 prisões (entre elas, Renato Duque, ex-diretor de serviços da Petrobrás). Ou seja, era praticamente o fim dos tempos

9ª fase (fevereiro de 2015)

My Way

O ex-gerente-executivo da Petrobrás, Pedro Barusco, referia-se a Duque com o título da famosa música de Frank Sinatra. Na delação de Barusco, “MW” identificava os valores indevidos recebidos pelo ex-diretor

+ Os 10 maiores escândalos de corrupção do Brasil

+ O que é reforma política?

10ª fase (março de 2015)

Que País é Esse

Ao ser preso na 7ª fase, Duque usou essa expressão, que batizava uma canção do Legião Urbana. Ela foi retomada nesta etapa, quando rolou um novo mandado de prisão para ele

11ª fase (abril de 2015)

A Origem

Essa foi a fase que levou a operação de volta ao início, investigando os primeiros envolvidos descobertos a partir das conexões com o doleiro Alberto Yousseff

14ª fase (junho de 2015)

Erga Omnes

“Vale para todos”, em latim. A expressão é usada quando uma decisão jurídica atinge todos num grupo, não somente os envolvidos no processo judicial. Foram presos os presidentes das empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez

15ª fase (2 de julho de 2015)

Conexão Mônaco

A investigação chegou a um montante de mais de 10 milhões de euros depositados em uma conta secreta nessa nação europeia. Pertencia ao ex-diretor da área internacional da Petrobrás, Jorge Zelada

lava-jato2

16ª Fase (28 de julho de 2015)

Radiotividade

Analisando contratos da companhia pública de energia Eletronuclear, descobriu-se formação de cartel e prévio acordo nas licitações das obras da usina Angra 3, no Rio de Janeiro

17ª e 18ª fases (agosto de 2015)

Pixuleco I e II

Era com esse termo que João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, se referia à propina recebida em contratos. Prisão preventiva do ex-ministro José Dirceu, do lobista Fernando Moura e do gerente da Petrobrás, Celso Araripe

+ O que são direita e esquerda na política?

+ Debate: A Petrobras deve ser privatizada?

19ª fase (setembro de 2015)

Nessun Dorma

Do latim “que ninguém durma”. Vem da ópera Turandot, de Giacomo Puccini: a princesa Turandot exige que ninguém descanse até que seja descoberto o nome de um príncipe desconhecido

20ª fase (16 de novembro de 2015)

Corrosão

É uma alusão aos desgastes nas plataformas de petróleo. São investigadas a compra da Refinaria de Pasadena, nos EUA, e o ex-gerente-executivo da Petrobrás, Roberto Gonçalves, que teria recebido propina

21ª Fase (24 de novembro de 2015)

Passe Livre

Segundo a PF, o pecuarista José Carlos Bumlai, preso nesta etapa, tinha livre acesso ao ex-presidente Lula. Também foi detido Delcídio do Amaral, do PT, então líder do governo no senado.

22ª fase (janeiro 2016)

Triplo X

A etapa investigou o apartamento triplex no Guarujá, cuja reforma foi custeada pela construtora OAS, sob a suspeita de ocultação de patrimônio por parte do ex-presidente Lula.
 
23ª fase (fevereiro 2016)

Acarajé

O termo se refere ao nome que alguns investigados usavam para designar dinheiro em espécie pago como propina. A PF expediu um mandado contra o publicitário João Santana, além da empreiteira Odebrecht.

24ª fase (março 2016)

Aletheia

Entre os alvos da operação, estavam o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, seus dois filhos e Paulo Okamotto, amigo do ex-presidente. O nome da operação é uma palavra grega significando busca da verdade.

25ª fase (março 2016)

Polimento

O operador financeiro Raul Schmidt Felippe Junior, foragido desde julho de 2015, foi preso preventivamente. As investigações apontam que Raul é suspeito de envolvimento em pagamentos de propinas a Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras. Foi a primeira operação internacional realizada pela Lava Jato, em Lisboa, mas não foram divulgadas referência à origem do nome.

26ª fase (março 2016)

Xepa

Foi um desdobramento da Operação Acarajé. Investigou um esquema bilionário de desvio e lavagem de dinheiro envolvendo a Petrobras e empreiteiras. Há suspeitas de irregularidades na obra da Arena Corinthians, feita pela construtora Odebrecht. Não foram divulgadas informações à origem do nome.

27ª fase (abril 2016)

Carbono 14

Essa fase investigou casos já antigos relacionados ao Mensalão e ao assassinato do prefeito de Santo André Celso Daniel, em 2002. Ela é chamada de “carbono-14” em alusão aos procedimentos usados pela ciência para a datação de itens e a investigação de fatos antigos.

28ª fase (abril 2016)

Vitória de Pirro

Ficou conhecida por levar à prisão do ex-senador Gim Argello. Faz alusão ao rei Pirro, da Grécia Antiga, que apesar de ter derrotado os romanos em uma batalha, sofreu danos irreparáveis, a ponto de a vitória se mostrar inútil. “Vitória de Pirro”, aliás, é uma expressão que significa justamente isso.

29ª fase (maio 2016)

Repescagem

O nome da operação é literal e tentou prender participantes de casos antigos. A Repescagem investigou crimes de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e corrupção passiva e ativa envolvendo verbas desviadas ligadas ao Partido Progressista (PP).

30ª fase (24 de maio de 2016)

Vício

O nome da operação se refere à forma repetitiva e sistemática com a qual alguns políticos praticam atos ilícitos, como se fossem dependentes.

31ª fase (4 de julho de 2016)

Abismo

O abismo em questão é uma referência às tecnologias de exploração de gás e petróleo em águas, que sempre perfuram o chão.

32ª fase (7 de julho de 2016)

Caça-Fantasmas

O principal alvo dessa fase da operação, Edson Paulo Fanton, era representante do Brasil em um banco clandestino que abria contas ilícitas. O sobrenome dele soa como “phantom”, que significa fantasma em inglês.

33ª fase (2 de agosto de 2016)

Resta Um

O foco era a Construtora Queiroz Galvão, a última grande empresa investigada por formação de cartel junto à Petrobras. Restava uma

34ª fase (22 de setembro de 2016)

Arquivo X

A OSX Construtora Naval, de Eike Batista, entrou na mira da PF. Por isso, a série com “x” no nome batizou a fase

35ª fase (26 de setembro de 2016)

Omertà

Resultou na prisão do ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, acusado de atuar para que o Grupo Odebrecht conseguisse contratos com o poder público. Não foram divulgadas informações à origem do nome

36ª fase (10 de novembro de 2016)

Dragão

Resultou na prisão preventiva do empresário e lobista Adir Assad e do operador Rodrigo Tacla Duran. “Operação Dragão” era o nome de um dos registros de contabilidade de um dos investigados

37ª fase (17 de novembro de 2016)

Calicute

Prendeu Sergio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, que desviou recursos públicos na casa das centenas de milhões de reais. O nome é referência à Tormenta de Calicute, em que a frota de Pedro Álvares Cabral foi massacrada na Índia

38ª fase (23 de fevereiro de 2017)

Blackout

O nome tira onda do sobrenome dos lobistas Jorge e Bruno Luz, pai e filho, respectivamente, que foram presos preventivamente em Miami

 

FONTES Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal e sites G1, O Estado de S. Paulo, El País e Zero Hora