Logo ME

Como se tornar um chef de cozinha?

Para entrar nessa profissão não basta ser bom de garfo

“É preciso muita dedicação, ser curioso e tentar ser criativo”, diz o chef executivo do Hotel Hilton, em São Paulo, Adauto Rodrigues. E aí, disposto a pôr a mão na massa?

FORMAÇÃO

Graduação e pós-graduação
A graduação dura, em geral, dois anos. Há opções em vários estados do Brasil — alguns cursos, inclusive, têm convênio com a escola francesa Le Cordon Bleu, ou outras universidades de renome

O que se aprende
Noções básicas de cozinha, técnicas de preparo de pratos e fundamentos de economia, microbiologia, nutrição e higiene dos alimentos

Outros cursos
Os mais conceituados ainda são os no exterior. A mais renomada (e cara) escola de culinária do mundo é a francesa Le Cordon Bleu, em Paris — um curso de um ano custa cerca de 50 mil reais! Nos Estados Unidos, a mais antiga é a CIA (The Culinary Institute of America)

Veja também

TRABALHO

Área de atuação
Dá para trabalhar em restaurantes, hotéis, navios de cruzeiro e empresas que fornecem refeições para aviões e hospitais

Dia-a-dia
Um chef cuida da cozinha, preparando pratos, indo às compras e supervisionando outros funcionários, além de criar cardápios e novas receitas

Situação do mercado
Apesar de ser o centro gastronômico do país, o mercado em São Paulo está um pouco saturado. Hoje, trabalhar no Nordeste (em restaurantes, hotéis e resorts) é a melhor opção

O que vale mais a pena
Não é um trabalho entediante. Você pode tanto gerenciar um restaurante como se dedicar só às criações gastronômicas

Por que pensar duas vezes
Não há folga nos fins de semana e feriados. Além disso, a formação é cara e leva tempo para se obter um bom retorno financeiro

REMUNERAÇÃO

Salário possível após dez anos
Entre 8 mil e 10 mil reais para os chefs mais experientes