Logo ME

Do OK ao joinha, as origens de 15 sinais que fazemos com as mãos

Alguns dos gestos que usamos remontam à Grécia antiga, à Idade Média e até ao rock and roll

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

1) PAZ E AMOR

Com esse significado, ele apareceu na década de 1960, adotado pelos hippies em protestos nos EUA. O gesto representava a vitória da paz sobre a guerra do Vietnã. Porém fazer um V com as mãos não é invenção dos norte-americanos. “A grafia da palavra ‘vitória’ começa com essa letra em grande parte das línguas de alfabeto latino, e o sinal já era feito para comemorar conquistas nas guerras”, conta Oscar Cesarotto, doutor em comunicação e semiótica e professor da PUC-SP. O estadista britânico Winston Churchill ajudou a disseminar o sinal, pois costumava fazê-lo na 2a Guerra Mundial após vitórias sobre as forças alemãs.

2) V COM AS COSTAS DA MÃO

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

Com o dorso da mão virado, o V é insulto na Inglaterra: os arqueiros ingleses o usavam para mostrar que ainda eram uma ameaça na Batalha de Agincourt

3) DEDO MÉDIO

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

O dedo médio representa o pênis em ereção. Mostrar a genitália como ofensa é algo antigo e usual entre diversos povos, mas a origem da representação com a mão é incerta. Há escritos gregos de mais de 2 mil anos que documentam o gesto como insulto.

4) MEDITAÇÃO

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

Unir a ponta do indicador e a do polegar, enquanto os outros dedos estão alongados, é um dos gestos usados na meditação. Ele data de mais de 4 mil anos a.C. e simboliza uma corrente de energia fechada, que se mantém circulando pelo corpo, sem se dissipar.

5) CONTINÊNCIA

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

A continência militar teria surgido no fim da Idade Média, quando cavaleiros tinham que erguer o visor do capacete da armadura para se identificar. O gesto era também um sinal de paz, pois, com a mão no elmo, o lutador não podia usar a espada

6) CHIFRES

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

Ronnie James Dio, que assumiu os vocais do Black Sabbath em 1979, fazia a mão chifrada nos shows. Ele diz ter herdado o gesto da avó, que o usava para espantar mau-olhado. Talvez fosse para se diferenciar de Ozzy Osbourne, o vocalista anterior, que fazia o sinal de V

7) CHIFRES VERSÃO 2

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

Que diabo que nada, o sinal em chifre com o dedão para fora significa nada mais que “eu te amo” na língua de sinais norte-americana, usada por surdos e criada em torno do ano 1817. A expressão é representada pelas letras ILY, de “I love you”, em inglês

8) FIGA

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

Esta figa representa o ato sexual. Ela teria surgido entre os romanos e etruscos, como símbolo das orgias, e era usada para afastar a esterilidade. Em italiano, “fico” significa vagina. Outra vertente defende que o sinal surgiu na África e que o polegar representa o membro masculino

9) FIGA VERSÃO 2

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

Esta figa provavelmente surgiu na Europa entre os séculos 1 e 4. Seria uma tentativa de fazer o sinal da cruz em segredo na época da perseguição aos cristãos. Com o tempo, virou uma forma de evocar proteção. Fazer o sinal ao mentir estaria relacionado: assim, Deus não castigaria o mentiroso

10) REZA

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

Na época das conquistas romanas, os derrotados nas lutas tinham as mãos amarradas e eram coagidos a se converter ao cristianismo diante da espada apontada para baixo, que remetia à cruz. As palmas unidas difundiram-se entre os fiéis e o gesto tornou-se sinal de humildade

11) PARE

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

Não se sabe a origem certa de estender a palma como sinal de “pare”. “É algo quase instintivo, usado para parar alguém que vem a nosso encontro”, afirma o professor Oscar Cesarotto. Na Grécia, o sinal era ofensa, pois remetia a esfregar sujeira na cara dos inimigos

12) JOIA

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

Uma possível origem do joinha é que, no Império Romano, o destino dos gladiadores nas arenas era determinado pelo gesto do imperador. O polegar para cima era sinal de morte. Já na 2a Guerra, era um sinal norte-americano para que seus pilotos levantassem voo

13) OK

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

Uma teoria diz que o sinal era usado na Guerra da Secessão norte-americana para as missões que retornavam sem baixas, ou seja, com “0 killed” (zero mortos). O gesto também pode ter derivado da expressão “oll korrekt” (“tudo certo”), em 1830

14) DINHEIRO

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

Esfregar o indicador e o polegar para falar de dinheiro teria origem na invenção da cédula monetária, impressa em papel por volta do século 17 na Europa. Antes, havia somente moedas metálicas. O gesto era feito por comerciantes para contar a bufunfa

15) HANG LOOSE

 (Doug Lira/Mundo Estranho)

O “hang loose” teria surgido no Havaí. Um pescador de Honolulu teria perdido os três dedos do meio num acidente. Com isso, seu aceno passou a ter apenas o polegar e o mindinho. A galera do surfe adotou o gesto e usava para indicar que estava tudo bem no mar

CONSULTORIA Oscar Cesarotto, doutor em comunicação e semiótica e professor da PUC-SP, e Ana Cristina Carvalho Pereira, professora da Escola de Belas Artes da UFMG; FONTES livros Sedições, de Oscar Cesarotto, e Gestures, Their Origin and Distribution (vários autores); sites BBC, http://www.gesturestudies.com e http://www.benjamins.com

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!