Logo ME

Como a cidade-sede de uma Olimpíada é escolhida?

Tóquio 2020 Tóquio 2020

Tóquio 2020 (/)

ilustra Guilherme D’Arezzo

edição Felipe van Deursen

Candidatura aberta

Dez anos antes dos Jogos, os Comitês Olímpicos Nacionais podem candidatar uma cidade cada um – mas nem sempre foi assim: para 1952, os EUA entraram com cinco candidatas. O processo geralmente envolve pesquisas com a população e reuniões com governantes

Candidatos oficiais

No ano seguinte, os Comitês Olímpicos Nacionais com cidades interessadas oficializam a candidatura. A partir de então, as cidades e seus respectivos comitês entram em um longo diálogo com o Comitê Olímpico Internacional (COI), órgão responsável pelas Olimpíadas

– Em 2010, a corrida para a sede dos Jogos 2020 começou. Nessa primeira fase, Roma (Itália) desistiu por conta própria e o Comitê Olímpico Internacional desclassificou outras duas candidatas: Doha (Catar) e Baku (Azerbaidjão)

Treinamento intensivo

Durante os dois anos seguintes, os comitês candidatos participam de uma bateria de palestras, conferências e reuniões para apresentar suas ideias sobre como sediariam as Olimpíadas. É um processo dividido em três fases, cada uma culminando na entrega de um relatório das cidades ao COI

Mata-mata

Os relatórios têm caráter eliminatório. O primeiro apresenta a estratégia da cidade. O segundo relata aspectos políticos e jurídicos, além das parcerias públicas e privadas. O terceiro deve trazer um plano de legado sustentável. Em qualquer etapa, o COI pode desclassificar os concorrentes

Visitas e defesa

As classificadas recebem inspeções do COI, que publica relatórios para que todos os seus 130 membros tenham acesso. As cidades, então, fazem uma apresentação ao comitê e aos delegados das Federações Esportivas Internacionais, e são confrontadas com perguntas sobre o projeto

– Tóquio (Japão), Madri (Espanha) e Istambul (Turquia) chegaram à reta final

Apresentação final e eleição

A sete anos das Olimpíadas, as cidades que sobreviveram a todas as fases eliminatórias fazem uma apresentação final ao COI. Essa última etapa culmina com um voto secreto de todos os membros do COI para decidir quem receberá o grande evento

– Em 2013, Tóquio foi escolhida sede dos Jogos de 2020

Campanha carioca

Corrida do Rio teve outro formato

Depois de perder a disputa para as Olimpíadas de 2004 e de 2012, o Rio entrou na briga pelos Jogos de 2016, contra Chicago (EUA), Praga (República Tcheca), Tóquio, Baku, Doha e Madri. Em 2008, Praga, Baku e Doha foram desclassificadas. Em fevereiro de 2009, as finalistas entregaram seu projeto e, nos meses seguintes, receberam as visitas que culminaram nos relatórios oficiais. Em maio, participaram de uma bateria de apresentações na sede do COI, na Suíça, onde também receberam membros do comitê. Em outubro, as votações começaram, na Dinamarca. No primeiro turno, Madri ganhou e Chicago perdeu, sendo eliminada. No segundo, o Rio ganhou disparado e Tóquio rodou. Na finalíssima, deu Rio 66 x 32 Madri

LEIA TAMBÉM:

– Como surgiram as Olimpíadas?

– Quais foram as provas mais bizarras da história das Olimpíadas?

– Como foi o atentado de Munique?

– Quais foram as desclassificações mais ridículas das Olimpíadas?

Maiores vencedores e perdedores

Cidades que mais ganharam e que mais falharam na disputa

VENCEDORAS

Cidade – Londres

Número de vitórias – 3 (1908, 1948 e 2012)

Número de candidaturas – 3

Cidade – Tóquio

Número de vitórias – 3 (1940, 1964 e 2020)

Número de candidaturas – 5

PERDEDORAS

Cidade – Detroit

Número de vitórias – 0

Número de candidaturas – 7

Cidade – Roma

Número de vitórias – 1 (1960)

Número de candidaturas – 7

Cidade – Los Angeles

Número de vitórias – 2 (1932 e 1984)

Número de candidaturas – 9

UMA ÚLTIMA CURIOSIDADE: Em 1904, 1932, 1940 e 1984, houve apenas uma candidata

FONTES Sites cob.org.br, olympic.org e rio2016.com