Logo ME

Teoria da Conspiração: O Brasil perdeu a Copa 2014 de propósito

Depois do fatídico 7 x 1, o cheiro de mutreta no ar ficou mais forte

copa

ilustra Maíra Valentim
edição Felipe van Deursen

Depois do fatídico 7 x 1, o cheiro de mutreta no ar ficou mais forte. Afinal, nossa poderosa seleção só poderia ser humilhada assim se o país tivesse vendido o Mundial. Ou não?

MINEIRATZEN

O 8 de julho de 2014 entrou para os anais do futebol como o dia em que a seleção brasileira levou a maior e mais humilhante goleada de sua história. Na semifinal da Copa que o próprio Brasil sediou, com Mineirão lotado,o time da CBF levou 7 x 1 da Alemanha. “A responsabilidade pelo resultado catastrófico é minha”, declarou o então técnico Luiz Felipe Scolari após a partida. Mas há quem diga que os jogadores entraram em campo sabendo da derrota e que tudo teria sido combinado

VANTAGEM EM TUDO

A seleção teria topado a mutreta por vários motivos. Primeiro, os jogadores teriam recebido um gordo cachê pelo feito. Além disso,o acordo incluiria o título do Brasil na próxima Copa e a possibilidade de o país sediar novamente o Mundial antes de 2030.O Brasil ainda teria o lugar mais alto no pódio olímpico garantido. Ou seja, apesar da humilhação de 2014, no fim o país levaria de mão beijada o hexa na Rússia em 2018 e o inédito ouro nas Olimpíadas no Rio, em 2016

A CARTA

O esquema foi denunciado em uma carta assinada por um suposto jornalista chamado Gunther Schweitzer. “Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa, ficariam enojadas”, dizia o título da carta.A fonte de Gunther seria um dos jogadores da própria seleção.A carta confirmava a suspeita dos torcedores brasileiros levantada não só pela performance desastrosa dos atletas brasileiros mas também pela contusão de Neymar no jogo anterior, que o tirou prematuramente da Copa

JOELHADA EM NEYMAR

Nas quartas-de-final,o Brasil bateu a Colômbia. Mas o grande fato do jogo foi a vértebra fraturada de Neymar, após levar uma joelhada do lateral Zuñiga. Logo após o craque ser retirado de campo, surgiram imagens que denunciariam outra farsa: Neymar, deitado na maca, rosto coberto por uma toalha,a tatuagem com o nome do filho… Quer dizer,a tatuagem, no braço direito, não estava lá! Só poderia ser um sósia. Outro vídeo mostraria Neymar combinando a jogada em campo com o colombiano.A armação serviria para livrar o melhor jogador do Brasil da humilhação na semifinal. Além disso, sem Neymar,a derrota do Brasil seria menos suspeita

RECORDAÇÃO AMARGA

A suspeita de fraude fez muitos se lembrarem de 1998. Naquela Copa, pouco antes da final, contra a França, Ronaldo, maior estrela do time, teve uma convulsão, provocada por uma crise nervosa, que comprometeu sua performance.O Brasil perdeu por sonoros 3 x 0. Na época, surgiram denúncias de que a seleção vendera o resultado em troca de sediar o Mundial. Além do resultado suspeito, as duas Copas têm mais coisas em comum: tanto em 1998 quanto em 2014,o presidente da Fifa, que comanda o futebol e organiza o evento, era Joseph Blatter

copa2

MAIS ENVOLVIDOS

A Alemanha também estaria no esquema de 2014, já que o título tinha um preço: Joseph Blatter teria facilitado a vitória alemã em troca de apoio da federação do país à sua reeleição, em 2006 e em 2010. Nesses mesmos anos, os títulos de, respectivamente, Itália e Espanha também teriam sido conquistados dentro do mesmo esquema corrupto. Assim, os três europeus seriam campeões do mundo e Blatter se perpetuaria no poder. Bom para todo mundo. Mas há outra teoria sobre o suposto comprador

A DONA DA BOLA

Quem teria encomendado o caneco para os alemães foi uma empresa símbolo do país,a Adidas. Ela fabrica a bola oficial da Copa desde 1970, e patrocinou oito das 32 seleções que vieram ao Brasil.A empresa teria exigido que uma delas ganhasse a Copa. Acabou com a campeã e a vice,a Argentina. Assim, na final, evento assistido por mais de 1 bilhão de pessoas, todos os jogadores em campo vestiam Adidas.A marca estava estampada também na Colômbia,o time sensação da Copa- e que tirou Neymar de campo

Por outro lado
A maior evidência do fracasso brasileiro foi nada mais que o futebol pífio apresentado

  • Versões quase iguais à tal carta de Gunther Schweitzer denunciaram fraudes em todas as Copas desde 1998. Só nomes e datas mudavam
  • A ME falou com Schweitzer, que na verdade é preparador físico em Mogi das Cruzes, SP. Tudo começou em 1998, quando ele repassou um e-mail com a denúncia da venda da Copa. Com o tempo, ele foi transformado no autor da carta
  • O sumiço da tatuagem de Neymar nunca ficou claro. Possivelmente um efeito de luz, aliado à baixa resolução da imagem, a apagou
  • Pagar jogadores para perder é um esquema que até existe no esporte, mas a Copa é um evento visado demais e caro demais. Em 2014, a Fifa desembolsou US$ 576 milhões em premiações. Se essa é a cifra dos prêmios oficiais, imagine a dinheirama para subornar os 23 jogadores das seleções mais os membros das delegações, os árbitros… Arriscado demais
  • O nível de escândalos na Fifa e na CBF atingiu novos patamares em 2015. Joseph Blatter foi suspenso do futebol por oito anos, José Maria Marin, ex-presidente da CBF, foi preso e por aí vai. Mas a maioria das denúncias falava de corrupção nas escolhas das sedes, contratos de marketing e de televisão. Nada surgiu sobre alteração de resultado de jogos. Ainda

LEIA TAMBÉM:

– Qual foi a maior goleada da história das eliminatórias das Copas?

– Como seria a melhor seleção de todos os tempos?

– Como se define o valor de um jogador de futebol?

– Quais são as principais lesões de um jogador de futebol?

FONTES ESPN Brasil, VEJA, El País, UOL, Terra e R7

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!