Logo ME

Qual é o país com maior população carcerária do mundo?

São os Estado Unidos, com cerca de 2,3 milhões de presos. Em seguida vêm China, com 1,65 milhão de detentos condenados – estima-se que haja outros 700 mil à espera de julgamento –, e Rússia, que passa dos 800 mil presidiários.

SOCIEDADE CATIVA

Dos anos 90 até hoje, o número de presos no Brasil cresceu mais de quatro vezes

-Países como o Haiti e o Benin têm o triplo de presos que as cadeias deveriam comportar

Rússia

A população do sistema prisional russo vem diminuindo nos últimos anos. É que a Justiça passou a ser mais branda, deixando de deter pessoas que poderiam aguardar o julgamento fora das grades

Presos – 806 mil

Brasil

Dois terços dos presos brasileiros são de réus provisórios, aguardando decisão judicial, o que deixa cadeias e penitenciárias superlotadas, além de sobrecarregar as celas das delegacias

Presos – 600 mil

Índia

Um presídio local oferece aulas de ioga para diminuir o número de presos: completar o curso reduz a pena. exemplos assim podem dar certo em outros países com superlotação prisional

Presos – 384 mil

África do Sul

Além do excesso de presidiários, cerca de 40% deles têm o vírus da aids. Para cada 100 mil habitantes, há 316 presos

Presos – 159 mil

Japão

A criação de mais de 15 mil novas vagas solucionou o problema da superpopulação nas cadeias japonesas

Presos – 74 mil

– No Japão, existe até um presídio só para idosos

Estados Unidos

Com um sistema de justiça rígido, o número presos dobrou no país desde o início dos anos 90. São 743 presos para cada 100 mil habitantes. Cerca de 6% dos presidiários são estrangeiros e quase 9% são mulheres

Presos – 2,3 milhões

Alemanha

Mais de 25% dos presidiários em cadeias alemãs são estrangeiros

Presos – 69 mil

Argentina

Cerca de 58% dos presos argentinos ainda aguardam por julgamento

Presos – 60 mil

XADREZ CHINÊS

A China tem a segunda maior população prisional do mundo, mas ficou fora do infográfico por não revelar a capacidade do seu sistema prisional

FONTE http://www.prisonstudies.org