Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como a cidade de Petra foi construída?

O local, uma das sete maravilhas do mundo moderno, foi esculpido em pedra há mais de dois mil anos – e boa parte da região ainda não foi explorada.

Por Juliana Sayuri Atualizado em 16 nov 2020, 16h35 - Publicado em 16 dez 2015, 17h58
Petra
Ilustrações: Jonatan Sarmento/Mundo Estranho

Idade 2.300 anos

Área interna 264 km2

Visitantes por ano 1 milhão (em 2019)

Ela foi esculpida na pedra. O próprio nome da cidade, na atual Jordânia, significa “pedra” em grego. Ao longo do tempo, Petra, berço do povo nabateu, foi conhecida por várias expressões: “cidade rosa”, “rochosa”, “perdida”, “das pedras” e “dos mortos”.

Ela foi fundada em 312 a.C., e se transformou em um eixo importante nas rotas comerciais. Caravanas de seda, incenso e especiarias ligavam a China e a Índia à Grécia, Roma, Egito e Síria. Árabes nômades, os nabateus talharam, literalmente, a cidade, em uma mistura de arquitetura greco-romana e oriental.Petra entrou na mira dos romanos Pompeu e Herodes, mas só sucumbiu em cerca de 130 d.C., quando o imperador Adriano a conquistou (não se sabe se na base da espada ou não).

Tempos depois, por volta do século 5, os nabateus decidiram puxar o camelo para outros cantos mais seguros, pois dois terremotos destruíram a cidade.Petra foi abandonada e ficou esquecida no tempo e na areia – só os beduínos sabiam como encontrá-la no deserto. Até que, em 1812, o explorador suíço Johann Ludwig Burckhardt, amante da cultura muçulmana, se fez passar por um mercador árabe para conquistar a confiança dos beduínos, que um dia finalmente lhe mostraram o caminho das pedras.

– O que era Machu Picchu?

– O que era a Acrópole de Atenas?

– Como é Lhasa, a capital do Tibete?

– Como os moais da Ilha de Páscoa foram construídos?

MARAVILHA NA ROCHA

O local tem diversos túmulos reais, tumbas, ruas colunadas, portões arcados, obeliscos e altares. A maior estrutura é o Ad-Deir, ou Monastério. Ele é alcançado a partir de uma escadaria de 843 degraus talhada nas rochas. Pode-se subir a pé ou com animais.

Petra 2

PEDREIROS

As principais obras de Petra, como o Monastério, foram construídas de baixo para cima. Os operários ergueram grandes escadas, com degraus de 6 m, antes de começar a marretar o arenito. Eles não ficavam pendurados em cordas, mas alicerçados nos degraus.

Continua após a publicidade

Petra 3

DESCOBERTAS

Arqueólogos acreditavam que a entrada do Monastério tinha uma escada em linha reta. Mas estudos com aparelhos de scanner em 3D mostraram que, possivelmente, a escada se bifurcava. No meio do terreno, havia uma estrutura com seis colunas, talvez uma área para rituais. O Monastério seria, então, um centro de veneração.

Petra 4

MISTÉRIOS

Esses achados ainda estão soterrados, cerca de 50 cm debaixo do solo. Ainda há muito a se descobrir sobre Petra, já que somente 1% dos 264 quilômetros quadrados da cidade foi explorado. Patrimônio da Unesco, Petra é uma das sete maravilhas do mundo moderno. Na cultura pop, ela já deu as caras em filmes como Indiana Jones e a Última Cruzada, Transformers e Mortal Kombat.

FESTIVAL DAS CORES

Às 7h, as rochas refletem cores pálidas. Às 13h, vibram entre o rosa e o vermelho. Nos pontos escavados e esculpidos, as pedras de arenito também ficam num tom rosado. O jogo de luz e sombra continua até a noite, quando cerca de 1.500 velas costumam iluminar o Tesouro (mais sobre ele abaixo).

DECADÊNCIA

Após fortes terremotos, Petra virou cidade-fantasma. As casas foram destruídas, restando apenas tumbas, um teatro com 8 mil lugares e mais de 800 monumentos. Esses desastres naturais influenciaram imensamente a moldura da cidade rochosa, já que 95% de suas curvas são naturais (apenas 5% do enclave foi esculpido pelas tribos que ali viveram)

Tesouro a céu aberto

Outro prédio famoso de Petra fica mais escondido

Petra Tesouro

O Siq é um estreito de 1,5 km ladeado por rochedos de 80 m de altura. Ele leva ao Tesouro, ou Al-Khazneh. Segundo a lenda, um faraó egípcio escondera riquezas ali, o que nunca foi descoberto. O templo de 40 m de altura foi construído como túmulo para um rei nabateu. Acredita-se que artesãos de Alexandria, cidade egípcia referência na arquitetura da época, colaboraram nas obras.

Continua após a publicidade
Publicidade