Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

A anta é mesmo um bicho estúpido?

De jeito nenhum. “Provavelmente, a relação que se faz entre o nome do animal e uma pessoa pouco inteligente se deva às peculiares características físicas da anta”, diz o zoólogo Mario Rollo, do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (USP). De fato, a anta – também conhecida em algumas regiões como tapir – […]

Por Redação Mundo Estranho Atualizado em 4 jul 2018, 20h19 - Publicado em 18 abr 2011, 18h57

De jeito nenhum. “Provavelmente, a relação que se faz entre o nome do animal e uma pessoa pouco inteligente se deva às peculiares características físicas da anta”, diz o zoólogo Mario Rollo, do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (USP). De fato, a anta – também conhecida em algumas regiões como tapir – é um bicho muuuito estranho. Ela tem o corpo de um porco, cascos de boi, orelhas de cavalo e um focinho que lembra uma pequena tromba de elefante. A esquisitice não pára por aí. Suas patas traseiras têm três dedos e as dianteiras, quatro. Mas, apesar dessa aparência um tanto frankensteiniana, ela não é um bicho nada bobo. Há relatos de antas domesticadas que conseguiam até mesmo abrir maçanetas de portas. Na mata, ela é um bicho bastante tímido, que costuma demarcar o seu território com urina. Em linguagem indígena, anta quer dizer grande animal que abre caminho na mata.

Isso porque, quando perseguida, ela corre desenfreadamente, derrubando as pequenas árvores e arbustos que aparecem pela frente. Considerada o maior mamífero da América do Sul, a anta (Tapirus terrestris) pode pesar 200 quilos e atingir 2 metros de comprimento e 1 metro de altura. Existem quatro espécies conhecidas: três na América do Sul (anta terrestre, anta-de-Baird e anta-da-montanha) e uma na Ásia (anta asiática).

Publicidade