Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como caça a orca, a “baleia assassina”?

Ela adota diferentes estratégias de acordo com o “cardápio” do dia. Uma das maiores predadoras dos oceanos, a orca (Orcinus orca) pode tanto atacar uma foca na beira da praia como enfrentar no alto-mar baleias três vezes maiores que ela. Essa variedade de táticas a transformou numa eficiente caçadora, rendendo-lhe o apelido de “baleia assassina”. […]

Por Yuri Vasconcelos Atualizado em 4 jul 2018, 20h27 - Publicado em 18 abr 2011, 18h50

Ela adota diferentes estratégias de acordo com o “cardápio” do dia. Uma das maiores predadoras dos oceanos, a orca (Orcinus orca) pode tanto atacar uma foca na beira da praia como enfrentar no alto-mar baleias três vezes maiores que ela. Essa variedade de táticas a transformou numa eficiente caçadora, rendendo-lhe o apelido de “baleia assassina”. É preciso esclarecer, no entanto, que a orca nem é bem uma baleia, nem é tão assassina assim. Embora faça parte da ordem dos cetáceos, ela é um tipo de golfinho – na verdade, o maior exemplar dessa família de animais, os chamados delfinídeos. A orca também não tem um instinto naturalmente agressivo e só mata suas presas quando tem fome. Os cientistas dividem essa espécie em dois grandes grupos: as residentes, conhecidas por viverem em territórios bem definidos e preferirem comer peixes (principalmente salmões), e as transeuntes, que nadam por vastas áreas e se alimentam até de baleias. Encontradas em todos os oceanos, das latitudes polares à zona equatorial, as orcas normalmente vivem em bandos de até 50 indivíduos. Graças à sua coloração, é um animal inconfundível: tem o dorso completamente preto e a barriga branca – atrás de cada olho também existe uma mancha branca. Os machos pesam em torno de 4,5 toneladas e medem mais de 8 metros – os filhotes, que demoram cerca de 16 meses para nascer, têm cerca de 2 metros. Devido à sua grande inteligência, a orca pode ser facilmente treinada e por isso é encontrada dando piruetas e fazendo malabarismos em shows aquáticos por todo o planeta.

Mergulhe nessa

Na livraria:

Orca- The whale called killer, ERich Hoyt, Firefly Books, 1990

Na internet:

http://golfinhos.paginas.sapo.pt/golf2.html

http://ladywildlife.com/animal/orcawhale.html

Para cada presa, um ataque
Até a gigante baleia-azul pode entrar no “cardápio” da fera

DENTADURA POTENTE

Para pegar as mais diversas presas – de peixes a pingüins -, a orca conta com potentes músculos na boca e dentes que podem medir 10 centímetros. Máquina de caçar, ela é capaz de nadar a 50 km/h, mergulhar a 200 metros de profundidade e ingerir 135 quilos de carne por dia

Continua após a publicidade

VÍTIMAS NUMA GELADA

Nas regiões polares, onde a superfície do mar congela, ela tem uma técnica especial de caça. Primeiro nada velozmente em direção às placas de gelo onde pingüins descansam. Depois, com o impacto, quebra o gelo de surpresa, vê a presa cair na água e a agarra

BOTE À BEIRA-MAR

A orca é um dos raros cetáceos que nada até bem perto da praia para se alimentar. Ela se arrasta, quase encalhando, para apanhar focas e leões-marinhos, principalmente filhotes. Após abocanhar a vítima, usa as barbatanas peitorais para evitar o encalhe e voltar ao fundo

BRIGA DE GENTE GRANDE

Para a orca, até mesmo o maior mamífero do planeta pode virar um almoço. Para caçar uma baleia-azul – que passa dos 30 metros -, as orcas atacam em bando. Ao acharem a presa, algumas cercam a baleia por trás, mordendo a cauda, enquanto outras a atacam por todos os lados

ALMOÇO NO SONAR

As orcas emitem e captam sons, como uma espécie de sonar, e usam esse sofisticado sistema para capturar cardumes. Quando um som emitido por elas (ondas brancas) bate em um cardume e retorna (ondas azuis), as orcas vêem um “desenho sonoro” do bando de peixes. Aí, é só fazer a festa

Continua após a publicidade
Publicidade