Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Como eram os reinos das lendas do Rei Arthur?

Eram terras encantadas, cercadas por bosques e próximas de uma ilha em que nunca chovia ou nevava. No universo imaginário das histórias medievais do rei Arthur existiam castelos assombrados e fortalezas que pairavam acima do oceano. Esses cenários são narrados em romances escritos a partir do século 12 por autores como os franceses Chrétien de […]

Por Cíntia Cristina da Silva Atualizado em 4 jul 2018, 20h18 - Publicado em 18 abr 2011, 18h50

Eram terras encantadas, cercadas por bosques e próximas de uma ilha em que nunca chovia ou nevava. No universo imaginário das histórias medievais do rei Arthur existiam castelos assombrados e fortalezas que pairavam acima do oceano. Esses cenários são narrados em romances escritos a partir do século 12 por autores como os franceses Chrétien de Troyes (Romances da Távola Redonda, Perceval) e Robert Boron (Merlin), o alemão Wolfram Von Eschenbach (Parsifal) e o inglês Thomas Malory (A Morte de Arthur).Tais obras já tiraram o sono de estudiosos que buscam encontrar realidade por trás dos mitos. No reino da ficção, porém, a criatividade não tem limites e volta e meia surge uma nova versão para essa saga. Neste mês, estréia no Brasil o filme Rei Arthur, cuja trama se passa no século 5, época em que Guinevere se une a Arthur para combater uma invasão de povos germânicos. No longa, o rei e seu exército expulsam os invasores e unificam a Inglaterra. Os historiadores podem discordar da visão do diretor Antoine Fuqua, mas Guinevere, interpretada pela atriz Keira Knightley, bem que justifica a fama de ciumento de Arthur, seu futuro marido… Se achar a verdade no meio das lendas é difícil, melhor é mergulhar na fantasia e imaginar como seriam esses reinos. Foi o que fizemos com a ajuda do pesquisador Fábio Ulanin, mestrando do Programa de Literatura e Crítica Literária da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). O resultado foi o mapa ao lado, que criamos nos baseando nos romances medievais. Com ele, dá para “viajar” pelas histórias da Távola Redonda, com seus heróicos cavaleiros e suas donzelas indefesas.

Mergulhe nessa

Na Livraria:

Dicionário de Lugares Imaginários – Alberto Manguel e Gianni Guadalupi, Cia. das Letras, 2003

Romances da Távola Redonda – Chrétien de Troyes, Martins Fontes, 1998

Terra de fantasia
Nesse mapa imaginário, há castelos mal-assombrados e ilhas paradisíacas

Carbonek

Esse castelo também ficava no reino de Logres, acima das águas revoltas do Mar de Collibe. Sua entrada, guardada por leões, só era encontrada por quem viajasse pelo Barco da Fé, uma embarcação mágica. Acreditava-se que o Santo Graal, o cálice usado por Jesus Cristo na última ceia, ficou escondido aqui. Em outros romances, o castelo se chamava Corberic e foi encantado por um mago para que nunca fosse encontrado

Camelerd

Era o reino de Leodegrance, pai de Guinevere. Segundo o romance A Morte de Arthur, do século 15, Camelerd situava-se em algum lugar entre a Inglaterra e o País de Gales. Foi ali que Arthur conheceu sua futura esposa, após vencer uma batalha, com o apoio de outros dois reis, e resgatar Leodegrance das mãos de inimigos

Castelo do rei Marcos

Soberano da Cornualha, Marcos jurou destruir o Rei Arthur. Tanto ódio foi causado por um célebre adultério medieval: o sobrinho de Marcos, Tristão, apaixonou-se pela esposa do soberano, Isolda, que retribuiu o sentimento. Enfurecido, Marcos perseguiu Tristão, mas este foi acolhido por Arthur e se tornou um dos cavaleiros da Távola Redonda

Avalon

Um lago cercado por vales verdejantes marcava a paisagem da ilha. Em Avalon não ventava, não chovia e não nevava. Quando o jovem Arthur foi até lá com o mago Merlin, uma mão saiu do lago e lhe ofereceu a espada Excalibur, que o transformou em rei. Antes de morrer, Arthur voltou ao mesmo lugar e devolveu a poderosa espada

Tintagel

Foi nesse castelo, localizado numa península na região da Cornualha, que nasceu Arthur, fruto de um amor clandestino. Seu pai, Uther Pendragon, era apaixonado por Igraine, esposa do duque Gorlois. Com a ajuda do mago Merlin, Pendragon adotou a forma de Gorlois, driblou a segurança e conseguiu passar uma noite com sua amada

Camelot

A capital de um reino chamado Logres ficava no sul da Inglaterra. No alto de um morro, o castelo construído por Arthur ofuscava a paisagem. Em seu salão principal, encontrava-se a Távola Redonda. A grande mesa, que comportava 150 cavaleiros, era o símbolo da irmandade que reunia os guerreiros mais nobres e virtuosos do reino

Corbin

Esse castelo foi erguido na encosta de um morro, acima de uma aldeia. A construção tinha fama de ser mal-assombrada e se dizia que um de seus quartos abrigava seres sobrenaturais que atacavam quem se atrevesse a dormir ali. Foi num dos aposentos de Corbin que o nobre cavaleiro Lancelot foi curado de uma loucura temporária

Guarda alegre

Foi em um dos quartos desse castelo, localizado a vários dias a cavalo de Camelot, que Lancelot consumou seu amor e passou várias noites com a rainha Guinevere, traindo o Rei Arthur. Após a morte de Arthur, Lancelot se tornou religioso e seu último desejo foi que o levassem de volta ao castelo da Guarda Alegre para morrer

Elenco medieval
Arthur, Guinevere, Lancelot e Merlin são os principais personagens desse universo mítico

Arthur

O rei da Inglaterra era o único digno de portar a temida Excalibur. Em algumas lendas, ele teria arrancado a espada de uma pedra (e não do belo lago de Avalon)

Continua após a publicidade

Lancelot

Amigo de Arthur, era um dos cavaleiros da Távola Redonda

Guinevere

Esposa de Arthur, era apaixonada por Lancelot

Leodegrance

Rei de Camelerd e pai de Guinevere

Igraine

Mãe de Arthur e esposa do duque Gorlois

Uther Pendragon

Pai de Arthur e soberano da Inglaterra

Merlin

Filho do demônio com uma mortal, o poderoso mago foi conselheiro de Arthur

Duque Gorlois

Marido de Igraine, foi enganado por Pendragon e Merlin

Tristão

O cavaleiro da Távola Redonda era apaixonado por Isolda e sobrinho de Marcos da Cornualha

Isolda

Casou-se com Marcos da Cornualha, mas amava Tristão

Marcos da Cornualha

Marido de Isolda

Continua após a publicidade

Publicidade