Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Como funcionam os sites de busca na internet?

Por Redação Mundo Estranho Atualizado em 4 jul 2018, 20h23 - Publicado em 18 abr 2011, 18h51
Screen Shot 2012-08-23 at 7

Na essência, todos os sites de busca funcionam do mesmo jeito: montam um banco de dados com o texto de milhões de páginas e mostram aquelas que têm a ver com a palavra que você digitou na tela de procura. A diferença está nos detalhes. Tipo: que página deve aparecer primeiro? Se você digita algo como “São Paulo”, o site de buscas não sabe se você está atrás de informações sobre a maior cidade do país ou sobre o santo. Mas ele tem que dar um jeito de “saber o que você está pensando”. Cada site usa fórmulas específicas para ordenar os resultados de uma pesquisa. O jeito mais comum, hoje, é colocar no topo da lista as páginas que recebem mais links de outros sites.

Mas o endereço de busca mais popular na rede, o Google (www.google.com.br), inventou um jeito de ir mais longe: o link de uma página respeitada vale mais que um link qualquer. Os gênios por trás da tecnologia de busca do site são dois engenheiros da computação: Sergey Brin e Larry Page, que apresentaram o Google num artigo de divulgação científica de 1998. Na época, o site era só um projeto de faculdade, para a Universidade de Stanford, na Califórnia. Hoje, vale pelo menos 20 bilhões de dólares!

LEIA MAIS

– O Google tem um laboratório secreto?

– Como funciona o carro sem motorista do Google?

Continua após a publicidade

Oráculo da rede Google usa até texto de links para ordenar páginas

1. Todo site de busca tem um gigantesco banco de dados que serve de base para as pesquisas na rede. Isso é feito por programas chamados “robôs” ou “aranhas”. Eles varrem a internet e gravam o texto de todos os sites que encontram, num ritmo de algumas centenas de páginas por segundo

2. O programa de busca guarda informações como a posição de cada palavra nos sites varridos e o tamanho em que ela aparece. Por exemplo: se você digitar “beatles” no campo de busca e essa palavra estiver no título de uma página, com letras grandes, esse site tende a aparecer bem ranqueado, ou seja, entre os primeiros resultados da pesquisa

3. Mas o fator que mais influi para o ranqueamento é outro: a quantidade de links que apontam para o site. O Google atribui mais valor aos links de páginas que, por sua vez, também são apontadas por muitas outras. Então vale mais um link que esteja indicado no site da Universidade de Harvard, por exemplo, do que num blog qualquer

4. Também conta se o link que leva à página der uma informação extra. Imagine que você tenha um site sobre os Beatles e alguém digite “letras dos beatles” no Google. Se outras páginas tiverem um link escrito “letras dos beatles” que leve ao seu site, ele ganha mais valor

Continua após a publicidade
Publicidade