Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Como sobreviver a um naufrágio?

Por Shirley Paradizo Atualizado em 4 jul 2018, 20h24 - Publicado em 18 abr 2011, 18h52
180892279

A primeira decisão importante é saber a hora de se mandar do navio. Nada de pânico: os membros da tripulação, que recebem treinamento específico para esses casos, são responsáveis por organizar as estratégias de fuga. Eles indicam quando – e como – os passageiros devem seguir para os botes salva-vidas e deixar a embarcação. “Todos devem aguardar a determinação do comandante. É ele quem coordena a operação de abandono”, diz o capitão-de-fragata Osvaldo Elias Ferreira, da Capitania dos Portos de São Paulo. Se o navio já começou a afundar e você não conseguiu um lugar nos botes, nade rápido para longe, evitando ser puxado para o fundo junto com a embarcação. Depois que o barco já tiver desaparecido, aí, sim, procure voltar ao local do naufrágio: é por lá que as equipes de salvamento vão iniciar as buscas, especialmente se o acidente foi comunicado por rádio. À primeira vista, os naufrágios podem parecer coisa de cinema, mas a situação é mais comum do que se pensa. No ano 2000, a Organização Marítima Internacional contabilizou 127 acidentes em embarcações que faziam viagens internacionais, um número quase quatro vezes superior ao total de acidentes aéreos internacionais por ano. Para não embarcar em uma canoa furada, o melhor é nunca pôr os pés em um navio sem saber se ele está equipado com coletes e botes salva-vidas para todos os passageiros. E mais importante: verifique se as embarcações de salvamento são adequadas ao tipo de viagem. Para navegar em mar aberto, por exemplo, os navios precisam de botes infláveis com kits de sobrevivência, estojo de primeiros socorros, equipamento de sinalização e, claro, um manual com dicas para se virar no mar.

– Em naufrágios, mulheres e crianças têm mesmo prioridade?

À espera de socorro Junte-se a outros náufragos e sinalize sua posição para aumentar as chances de resgate

FUGA ESTRATÉGICA

Se a embarcação já começou a afundar e você não conseguiu um lugar nos botes salva-vidas, a primeira providência é nadar para longe do navio, pois o movimento de descida da embarcação pode sugar você para o fundo do mar. Fuja também das áreas onde vazou gasolina ou óleo, porque o contato com os combustíveis pode inflamar os olhos e a pele, causando enjôos e intoxicações

LÍQUIDO PRECIOSO

Dá para sobreviver alguns dias sem comida, mas não sem líquido. Por isso, além de uma reserva de água para seis dias, os botes possuem captadores para coletar orvalho noturno ou chuva. Entretanto, evite beber água nas primeiras 24 horas, porque nesse período o líquido costuma provocar enjôos nos náufragos. E nada de atacar a água do mar, pois ela só provoca mais sede

A UNIÃO FAZ A FORÇA

Se você estiver no meio do oceano, só tente voltar ao local do acidente depois que o navio tenha afundado por completo. Também procure se aproximar de outros náufragos, porque é mais fácil as equipes de busca avistarem um conjunto de pessoas que alguém sozinho. O ideal é nadar em direção aos botes salva-vidas, mas, se eles estiverem distantes, apóie-se em destroços flutuantes e evite gastar energia

Continua após a publicidade

PESCARIA IMPROVISADA

Os botes salva-vidas bem equipados possuem uma provisão de alimentos não-perecíveis e calóricos, como pastilhas do tipo jujuba e chicletes, além de equipamentos de pesca. Se a balsa não tiver esse kit, improvise uma vara com pedaços de madeira e linha amarrada na ponta. Não coma mariscos ou ostras encontrados em cascos de navio ou objetos metálicos. Esses moluscos quase sempre estão contaminados, podendo causar intoxicações e até matar

TERRA À VISTA

Só se afaste do local do naufrágio se você tiver certeza de que está próximo de terra firme. Alguns sinais denunciam a presença do continente: uma nuvem parada no céu limpo, a cor da água mais clara (no fundo, o tom é verde ou azul-escuro), e a algazarra das aves marítimas, que caçam no mar durante o dia, mas buscam abrigo em um lugar seco quando cai a noite

CALOR CONTROLADO

Um dos maiores desafios dos náufragos é tentar manter a temperatura do corpo constante. No frio, evite a hipotermia conservando as roupas secas e os pés bem aquecidos. Se fizer sol, cubra a cabeça para não pegar uma insolação, vista-se bem para evitar queimaduras e proteja os olhos com trapos ou roupas, para que o reflexo do céu e da água não os deixe doloridos

SINAIS DE VIDA

O kit de segurança dos botes também inclui um conjunto de sinalizadores para indicar onde ocorreu o naufrágio. Durante o dia, use os espelhos, direcionando o reflexo do Sol para um avião ou navio próximo. Outra opção são os corantes de marcação, uma espécie de pó colorido que dissolve na água e permanece visível por até três horas. À noite, prefira os foguetes luminosos, lanternas e apitos

Continua após a publicidade
Publicidade