Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

É melhor desenrolar o papel higiênico por cima ou por baixo?

Por Luiz Fujita Atualizado em 4 jul 2018, 20h25 - Publicado em 4 dez 2008, 16h50
Toilettenpapierhalter

Como vivíamos sem papel higiênico?

A ciência de um rolo de papel higiênico

O que é mais correto: jogar o papel higiênico no lixo ou na privada?

Acredite, é por cima. Tudo bem, a questão é polêmica, e muitos vão dizer que não há nenhuma comprovação, digamos, “científica” disso. Porém – como você pode conferir nos dados abaixo -, os mais “avançados” testes de latrinas e mictórios indicam que, sim, esse é o método mais correto. Por exemplo, nos banheiros de hotéis – que estão entre os locais que recebem o maior número de pessoas diferentes -, o rolo fica disposto para que o papel seja desenrolado por cima. Um dos grandes fabricantes de papel higiênico do país, a empresa Santher, também afirma que essa é a melhor posição. Mas, claro, uma coisa tão íntima e pessoal não estaria imune a controvérsias. Basta você fazer uma pesquisa rápida entre amigos e familiares para checar: enquanto a maioria dos homens prefere desenrolar por cima, as mulheres optam pela posição inversa. Nos Estados Unidos, existe até um site para votar pelo americanway de colocar o papel (www.thegreatamericantoiletpaperdebate.com). Para ter uma idéia do nível de paixões que a questão pode despertar, em sua obra Minhas Mulheres e Meus Homens, o escritor Mário Prata narra o caso – hilário e real – de um casal que, após mais de 20 anos de matrimônio, se separou justamente por uma incompatibilidade de jeitos do papel! 😉

AS VANTAGENS DE FICAR POR CIMA

POR CIMA

Continua após a publicidade

A ponta livre do papel é facilmente identificável, estando geralmente em repouso sobre o rolo. Mesmo se você tentar deixá-la fora do campo de visão, virada para a parede, o papel vai acabar rolando e ela ficará suspensa, mas pela frente e – ufa! – bem visível!

Mesmo com apenas uma mão livre para fazer o que tem que fazer, a disposição por cima leva vantagem. Após o puxão, o rolo pára quase imediatamente, deixando a ponta livre disponível para o próximo momento de aperto.

POR BAIXO

O papel já precisa estar bem desenrolado para que a ponta apareça por trás do rolo e entre no campo de visão – caso a pessoa se limpe de pé, ele deve estar mais solto ainda. E, se o rolo não estiver desenroscado o suficiente, pior: você terá que apelar para o tato para encontrar a ponta…

Muitas vezes, é preciso rasgar o papel com uma só mão, pois a outra está ocupada segurando uma camisa comprida ou um vestido. Ao dar o puxão para o lado, o rolo tende a continuar girando. Resultado: um bolo de papel desenrolado no chão.

Continua após a publicidade

Publicidade
Mundo Estranho
É melhor desenrolar o papel higiênico por cima ou por baixo?
– Como vivíamos sem papel higiênico? – A ciência de um rolo de papel higiênico – O que é mais correto: jogar o papel higiênico no lixo ou na privada? Acredite, é por cima. Tudo bem, a questão é polêmica, e muitos vão dizer que não há nenhuma comprovação, digamos, “científica” disso. Porém – como […]

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade