Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

O que é música concreta?

Trata-se de uma técnica experimental de composição, que evita os instrumentos tradicionais, substituindo-os pelos sons produzidos por objetos variados, de baldes a serras elétricas. Seu inventor foi o francês Pierre Schaeffer. Tudo começou em 1949, em Paris, quando ele fundou um clube – chamado Club d’Essai – especialmente para desenvolver esse tipo de experiência. Ali […]

Por Redação Mundo Estranho Atualizado em 4 jul 2018, 20h13 - Publicado em 18 abr 2011, 18h57

Trata-se de uma técnica experimental de composição, que evita os instrumentos tradicionais, substituindo-os pelos sons produzidos por objetos variados, de baldes a serras elétricas. Seu inventor foi o francês Pierre Schaeffer. Tudo começou em 1949, em Paris, quando ele fundou um clube – chamado Club d’Essai – especialmente para desenvolver esse tipo de experiência. Ali surgiu a idéia básica do gênero: gravar ruídos para com eles compor peças musicais. Assim, Schaeffer combinava em fitas magnéticas o barulho de vassouras raspando o chão com os de água saindo pela torneira e rolhas saltando de garrafas. Sua obra mais conhecida é Symphonie Pour un Homme Seul (Sinfonia Para um Homem Só), de 1950.

Apesar de ter permanecido obscura para o grande público, a música concreta influenciou muita gente. “Suas lições se estenderam por áreas surpreendentes, que vão do rock progressivo à atual música eletrônica dos DJs”, diz o crítico musical Arthur Nestrovski, professor da Pontifícia Universidade Católica (PUC), de São Paulo. No Brasil, um dos artistas mais influenciado por Schaeffer foi Hermeto Paschoal. Em “Sereiarei”, de 1973, ele dividiu os vocais com porcos, perus, galinhas, patos, coelhos e gansos: um verdadeiro clássico da música concreta rural!

Publicidade