Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Os parques de diversão amaldiçoados mais assustadores do mundo

Nestes jogos e games, a expressão "zerar a vida" pode ter outro sentido...

Por Marcelo Testoni Atualizado em 4 jul 2018, 20h17 - Publicado em 27 nov 2015, 14h00

ilustra André Bdois

edição Felipe van Deursen

TERCEIRA PARTE DA MATÉRIA BRINQUEDOS ASSASSINOS

– Bonecos malditos

– Jogos mortais

– Parques amaldiçoados

– Brinquedos perigosos

“De diversão”!?

Desventuras em série

Em 1991, a morte invadiu o Kings Island, nos EUA. Primeiro, um homem caiu na lagoa principal e se afogou. Um amigo e um guia tentaram salvá-lo, mas, ao se apoiarem em um cabo elétrico, receberam uma descarga fatal. Uma hora depois, uma mulher caiu de um brinquedo aéreo e morreu. Apesar de tudo, o parque segue aberto. Vá por sua conta e risco…

Fracasso maldito

Colonos ocupam o terreno de um antigo cemitério indígena e acabam mortos pelos índios. Parece clichê de filme, mas aconteceu pra valer na Virgínia Ocidental, EUA. Em 1920, Conley Snidow abriu no local o parque Lake Shawnee, mas logo o fechou, após uma garota morrer atropelada por um caminhão e um menino se afogar em um lago. Hoje, o parque está abandonado. E assombrado

Continua após a publicidade

Das profundezas

As piscinas do Atlantic Park, em Portugal, encerraram suas atividades em 2007. Mas as histórias sinistras seguem perturbando os portugueses. Uma criança morreu afogada e um ladrão foi eletrocutado. Alguns anos atrás, até tentaram levantar um supermercado no local, mas um incêndio devastou as obras. O terreno, com as ruínas do parque, segue devidamente abandonado

Se entrar, já era

No Japão, um boato diz que o parque Takakonuma foi fundado com a ajuda de um demônio. Isso explicaria o sumiço da filha do dono no dia da inauguração, em 1973, e o fato de ele próprio morrer dois meses depois. O local fechou em 1975, reabriu em 1986 e seis pessoas morreram em seus brinquedos. Em 1999, com a concorrência com parques melhores (e sem maldições!), ele fechou de vez

Overdose de adrenalina

O Action Park, nos EUA, primava pelo profissionalismo mambembe. O parque aquático contava com passeios inseguros e funcionários adolescentes despreparados, sem contar os visitantes bêbados. Os tobogãs já causaram inúmeras lesões. Pelo menos cinco pessoas morreram: três afogadas, uma eletrocutada e outra de ataque cardíaco ao cair na água gelada. Em 1998, a atração mudou de dono e de nome. Agora, se chama Mountain Creek Waterpark

VEJA TAMBÉM

– Qual foi o primeiro parque de diversões?

– Quais são os maiores parques de diversão do mundo?

– Os 7 lugares mais sinistros do mundo

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)