Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Quais eram os braços direitos de Hitler?

Nenhuma pessoa citada aqui teve final feliz

Por Roberto Navarro Atualizado em 14 fev 2020, 17h52 - Publicado em 18 abr 2011, 18h35

Bundesarchiv_Bild_146-1969-054-53A,_Nürnberg,_Reichsparteitag

Existiram pelo menos três tipos de cúmplices do ditador alemão: os auxiliares na fundação e organização do partido nazista, a partir de 1920, os membros do partido em funções de Estado após a tomada do poder, em janeiro de 1933, e os militares propriamente ditos, independentemente de terem ou não sido membros do partido nazista.

Os que causaram mais estrago e tiveram maior responsabilidade em todos os crimes cometidos foram os que se envolveram direta ou indiretamente com o governo hitlerista, que durou de 1933 a 1945. Os principais figurões nazistas, que ajudaram Hitler por convicção e apoiaram suas atrocidades sabendo o que faziam, aparecem aqui. Muitos deles tiveram fim trágico, suicidando-se como o ditador para evitar a captura pelos Exércitos dos Aliados.

Ainda que esses caras tenham tido certa autonomia em alguns momentos, todos eles reportavam-se diretamente a Hitler, o cabeça (e bigode) do regime. Não é exagero dizer que, além da força desses braços direitos, as atrocidades nazistas não teriam acontecido sem o apoio de expressiva parte da população alemã – o plebiscito que deu poderes plenos a Hitler teve o apoio de 90% da população.

Como tanta gente pode ter apoiado essa barbaridade? Primeiro, o fato é que no início da ditadura nazista a economia alemã cresceu e o desemprego diminuiu – isso também aconteceu em boa parte do mundo, mas Hitler acabou levando o crédito pela recuperação germânica. Segundo, a maioria dos alemães desconhecia a extensão dos crimes que os nazistas cometiam. Havia uma absoluta falta de informações sobre o que ocorria, por causa da implacável censura a todos os meios de comunicação. E, em terceiro lugar, reinava o medo na Alemanha. Policialesco e brutal, o governo nazista não hesitava em torturar, assassinar e fazer desaparecer do mapa os que ousavam discordar.

LEIA TAMBÉM

– Qual o tamanho da fortuna de Hitler?

– Por que os nazistas queriam exterminar os judeus?

– Como funcionavam as câmaras de gás na 2ª Guerra Mundial?

– Os 11 livros mais polêmicos da História


Amigos do inimigo

Maioria dos colaboradores foi presa ou se suicidou no fim da guerra

JOSEPH GOEBBELS
CARGO PRINCIPAL – Ministro da Propaganda do nazismo

No nazismo, Goebbels controlava as informações que chegavam à população – em reuniões matinais com jornalistas de Berlim, determinava quais notícias deveriam ser publicadas ou ignoradas. Também supervisionava artes, música, teatro, literatura, rádio e cinema

QUE FIM LEVOU – Suicidou-se em 1945, em Berlim, junto com a esposa, depois de envenenar os seis filhos

RUDOLPH HESS
CARGO PRINCIPAL – “Ministro sem pasta” do nazismo

Grande amigo de Hitler, com quem esteve preso na década de 1920, Hess era uma espécie de confidente e secretário particular do ditador. Praticamente nenhuma lei nazista foi promulgada sem a assinatura desse ex-militar

QUE FIM LEVOU – Capturado pelos britânicos em 1941, Hess foi condenado à prisão perpétua e morreu em 1987

Continua após a publicidade

REINHARD HEYDRICH
CARGO PRINCIPAL – Chefe do escritório central de segurança

Auxiliar direto de Himmler na chefia dos serviços de segurança, Heydrich deixou triste marca quando foi nomeado governador de territórios da atual República Checa, em 1941. No cargo, promoveu execuções em massa para eliminar a resistência aos nazistas

QUE FIM LEVOU – Morreu em 1942 em decorrência de ferimentos em um atentado a granada contra seu carro

HEINRICH HIMMLER
CARGO PRINCIPAL – Diretor do serviço policial e militar nazista

Chefe supremo da polícia secreta (a Gestapo) e das forças militares do partido nazista (as SS), Himmler era também responsável pelos campos de concentração. Ele foi um dos principais formuladores da política de extermínio de milhões de judeus e outras minorias

QUE FIM LEVOU – Capturado pelos Aliados, Himmler suicidou-se com veneno em 23 de maio de 1945

WILHELM KEITEL
CARGO PRINCIPAL – Marechal das Forças Armadas alemãs

Depois de Hitler, Keitel era o homem mais poderoso na máquina militar nazista, ajudando a dirigir a maioria das campanhas militares alemãs durante a guerra. Alguns historiadores o consideram o principal estrategista militar da Alemanha nazista

QUE FIM LEVOU – Capturado pelos aliados em 1945, Keitel foi condenado ao enforcamento, morrendo em 1946

HERMANN GOERING
CARGO PRINCIPAL – Chefe militar da Força Aérea

Além de líder da Força Aérea, Goering tinha poderes para dirigir a economia e os esforços de guerra. Não à toa ele foi designado por Hitler em 1939 para sucedê-lo, caso o líder viesse a morrer

QUE FIM LEVOU – Depois de render-se aos americanos no fim da Segunda Guerra, em 1945, Goering foi condenado à morte, mas suicidou-se por envenenamento enquanto aguardava sua execução

ALBERT SPEER
CARGO PRINCIPAL – Ministro dos armamentos e da produção de guerra

À frente de seu ministério, Speer usou trabalhos forçados e mão-de-obra escrava dos campos de concentração, permitindo à Alemanha nazista ampliar sua produção de armas durante boa parte da Segunda Guerra

QUE FIM LEVOU – Capturado ao fim da Segunda Guerra e julgado pelos Aliados, Speer admitiu a culpa e cumpriu 20 anos de prisão. Foi libertado em 1966 e morreu em 1981

JOACHIM VON RIBBENTROP
CARGO PRINCIPAL – Ministro das Relações Exteriores

Em seu cargo, esse velho amigo de Hitler exerceu uma política de pressão constante contra os países vizinhos da Alemanha para obrigá-los a adotar medidas repressivas contra os judeus e aceitar a implantação de políticas de apoio aos nazistas

QUE FIM LEVOU – Capturado pelos britânicos em 1945, Ribbentrop foi julgado e condenado à morte. Morreu na forca em 1946

Continua após a publicidade
Publicidade