Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Quais eram os principais tipos de gladiador?

Lutas tinham algumas regras e até juiz acompanhando os combatentes

Por Danilo Cezar Cabral Atualizado em 4 jul 2018, 20h21 - Publicado em 4 Maio 2009, 16h41

TRÁCIO

Havia pelo menos seis tipos de gladiadores comuns e outros dois a cavalo. Os trácios eram os únicos a lutar com a sica, uma espada curva. Como usavam um escudo pequeno, eles tinham também chapas de metal para proteger as pernas. O capacete com plumas era outra marca registrada

SECUTOR

Treinado para encarar o retiarius, era um “tanque de guerra” bem protegido. Tinha um grande escudo retangular e capacete mais liso (para não prender na rede do retiarius) e com pequenos buracos para os olhos (para evitar as pontas do tridente). Sua arma era uma espada

DIMACHAERI

Há poucos registros sobre este tipo de gladiador – os historiadores não sabem ao certo nem quem ele enfrentava nas arenas. Mas, pelo fato de usar só duas espadas, alguns especialistas acreditam que o dimachaeri era um dos gladiadores mais bem treinados

RETIARIUS

Era o tipo mais ágil e veloz, mas também o mais indefeso, pois tinha pouca proteção – nem sequer usava capacete. Encarava gladiadores “pesados”,como o secutor, usando só uma rede e um tridente. Para finalizar a luta, contava ainda com uma adaga

MURMILLO

Tinha o apelido de “homem-peixe” por usar um capacete com o desenho de um peixe na lateral. As armas e proteções eram similares às do secutor, podendo variar o escudo. As lutas entre trácios, murmillos e retiarius eram consideradas os verdadeiros clássicos das arenas

  • HOPLOMACHUS

    Homenageava os guerreiros das falanges gregas, por isso portava uma lança, que podia ser usada junto com uma adaga ou com uma espada. Tinha boas proteções para o corpo, como o secutor, mas precisava se virar apenas com um pequeno escudo circular

    ANDABATI

    A cavalo, os andabatis se enfrentavam com um capacete com o visor tampado. É isso mesmo, um combate às cegas, sem escudo e portando apenas uma espada! Eles não eram do mesmo nível dos outros gladiadores e serviam mais como um “alívio cômico” durante os jogos

    EQUITES

    Gladiadores montados bem mais sérios que os andabati, combatiam entre si com uma lança e um escudo circular médio. Em alguns duelos, trocavam a lança por uma espada. Os equites podiam lutar em pares ou em grupos – atuando como uma cavalaria

    MULHERADA DE PEITO

    Pode acreditar: no Império Romano rolava também combates entre mulheres. Aliás, esses duelos eram eventos especiais na programação dos jogos. Alguns pesquisadores acreditam que, para “animar a torcida”, as gladiadoras não usavam capacetes e lutavam com pelo menos um seio aparecendo

    NÃO VALIA TUDO

    GOLPE FINAL

    Poupar a vida de um gladiador era decisão do patrocinador da luta. Mas a torcida influenciava. Ao gritar missa, ela pedia que a vida do perdedor fosse poupada; ao berrar jugula, queria ver a execução com um golpe certeiro na jugular!

    Continua após a publicidade

    DE OLHO NO LANCE

    Pouca gente sabe, mas havia uma espécie de juiz, que entrava em ação quando um gladiador estava dominado. O tal “juiz” ouvia do patrocinador dos jogos e da torcida o veredicto final: se o lutador derrotado devia ser morto ou poupado

    UMA MÃOZINHA

    A luta acabava quando um gladiador morria durante o combate. Mas, às vezes, o perdedor era dominado pelo rival ainda com vida. Nessas horas, o gesto de rendição era levantar um dos braços com o dedo indicador para cima. Quando isso rolava, o juiz era acionado

    ARSENAL MILITAR

    Armas tradicionais dos legionários romanos também faziam sucesso nas arenas

    TRIDENTE

    Arma que intimidava e tinha o alcance de uma lança. As três pontas serviam ainda para desarmar o adversário – a lâmina da espada do rival ficava presa entre elas

    ADAGA

    Possuía corte nos dois lados da lâmina e uma ponta extremamente afiada. Assim como o gládio, fazia parte do arsenal carregado pelos legionários romanos

    ESPADA CURVA

    Original da Trácia – região entre a atual fronteira da Grécia com a Turquia -, era um pouco mais leve e longa que outras espadas da época, possibilitando cortes rápidos

    REDE

    Tinha pesos nas bordas, como uma rede de pesca. Funcionava tanto para manter o adversário a distância, como para imobilizá-lo ao ser lançada sobre ele

    GLÁDIO

    Clássica espada romana, o gládio não era muito longo – tinha cerca de 70 cm. Ideal para luta a média distância, era uma arma tanto de corte como de perfuração

    LANÇA

    Além desta lança – a hasta, que era mais longa -, havia ainda o pilo (um tipo de dardo para arremesso). O equites era o único gladiador que usava o pilo

    Continua após a publicidade
    Publicidade