Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Qual o livro mais caro do mundo?

Por enquanto, o recorde vai para o Codex Hammer (“Códice de Leicester”, em português), um manuscrito do inventor italiano Leonardo da Vinci leiloado por nada menos que 30,8 milhões de dólares em 1994. O feliz proprietário desse tesouro renascentista é o bilionário Bill Gates, dono de uma fortuna de 40,7 bilhões de dólares. Considerado o […]

Por Redação Mundo Estranho Atualizado em 4 jul 2018, 20h28 - Publicado em 18 abr 2011, 18h50

Por enquanto, o recorde vai para o Codex Hammer (“Códice de Leicester”, em português), um manuscrito do inventor italiano Leonardo da Vinci leiloado por nada menos que 30,8 milhões de dólares em 1994. O feliz proprietário desse tesouro renascentista é o bilionário Bill Gates, dono de uma fortuna de 40,7 bilhões de dólares. Considerado o homem mais rico do mundo, o dono da Microsoft abriu o bolso para adquirir esse “bloco de notas” de Da Vinci, um livrinho de 18 páginas duplas em que o gênio italiano relatou suas observações sobre geografia, astronomia e meteorologia. No pódio das obras que custam os olhos da cara, as medalhas de prata e de bronze também vão para outros dois manuscritos: The Gospels of Henry the Lion (em português, algo como “Os Evangelhos de Henrique, o Leão”), uma obra do século 12 arrematada por 14,6 milhões de dólares em 1983, e o livro de preces do século 16 The Rothschild Prayer Book, vendido por 13,4 milhões em 1999. “Os manuscritos são caros porque são únicos. Além do texto, alguns deles são ilustrados com verdadeiras obras de arte”, diz o bibliófilo José Mindlin, dono de uma biblioteca particular de 30 mil volumes em São Paulo. Depois do trio de manuscritos, aparece a obra impressa mais valiosa, a Bíblia produzida pelo alemão Johannes Gutenberg, o inventor da imprensa. “A Bíblia de Gutenberg foi o primeiro livro impresso com tipos móveis, em 1455. O último exemplar a ser vendido, há cerca de dois anos, custou 12 milhões de dólares”, diz Mindlin. A obra histórica, porém, não consta das listas oficiais dos livros mais caros por não ter sido vendida nas badaladas casas de leilão inglesas, como as famosas Christie’s e Sotheby’s. Mas isso nem de longe arranha a importância desse livro pioneiro. Impressa em dois volumes, num total de 1 282 páginas, a Bíblia de Gutenberg teve 180 exemplares produzidos. Desse total, apenas 48 resistem até hoje, guardados em bibliotecas e universidades pelo mundo.

Quer pagar quanto?
Conheça as cinco obras mais valiosas já vendidas em casas de leilões

Livro – 1- Codex Hammer¹ (Códice de Leicester)

Autor – Leonardo da Vinci

Data estimada – entre 1506 e 1510

Preço* – 30,8 milhões

Livro – 2- The Gospels of Henry the Lion²

Autor – Henrique, o Leão

Data estimada – 1173 ou 1175

Preço* – 14,6 milhões

Livro – 3- The Rothschild Prayer Book¹

Autor – vários

Data estimada – por volta de 1505

Continua após a publicidade

Preço* – 13,4 milhões

Livro – 4- The Birds of America¹

Autor – John James Audubon

Data estimada – entre 1827 e 1838

Preço* – 8,8 milhões

Livro – 5- The Canterbury Tales¹ (Contos de Cantuária)

Autor – Geoffrey Chaucer

Data estimada – 1476 ou 1477

Preço* – 7,5 milhões

(1) Livros vendidos na casa de leilões Christie’s, na Inglaterra

(2) Livros vendidos na casa de leilões Sotheby’s, na Inglaterra

* Preços em dólares. Os livros da Sotheby’s estavam originalmente em libras. A conversão para dólares foi feita com base na cotação da moeda em 10 de março de 2004, sem correção inflacionária

Continua após a publicidade

Publicidade