Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Quando e para que foi criada a Academia Brasileira de Letras?

Ela foi fundada no Rio de Janeiro no final do século XIX

Por Redação Mundo Estranho Atualizado em 4 jul 2018, 20h10 - Publicado em 18 abr 2011, 18h57

Ela foi fundada no dia 15 de dezembro de 1896. Apesar dos discursos formais falando sobre sua importância para a “unidade literária” do país, a razão do surgimento da Academia Brasileira de Letras (ABL) pode ser explicada de maneira bem mais simples e sincera: os escritores que viviam no Rio de Janeiro no final do século XIX queriam um ponto de encontro para jogar conversa fora. Naquela época, antes da ABL, alguns escritores costumavam se reunir em livrarias da cidade. Em 1892, o crítico Araripe Júnior e o escritor Raul Pompéia fundaram um clube chamado Rabelais. Mas o local não agradava muito a alguns intelectuais, principalmente os escritores Machado de Assis e Visconde de Taunay e o abolicionista Joaquim Nabuco. Em seu livro O Presidente Machado de Assis, Josué Montello revela que o descontentamento com o “barulhento Rabelais” incentivou o trio a fundar uma instituição inspirada na Academia Francesa de Letras, de 1635.

Sua versão brasileira nasceu com 30 membros, mas, em poucos meses, foram criadas outras dez cadeiras para seguir fielmente o modelo francês. Até o fardão usado pelos membros brasileiros imortais é igual ao deles – a grande diferença é que, enquanto a Academia Francesa aceita escritores de outros países que também falem sua língua, a nossa só aceita brasileiros, o que o primeiro artigo do seu estatuto deixa bem claro: “A Academia Brasileira de Letras, com sede no Rio de Janeiro, tem por fim a cultura da língua nacional.”

LEIA TAMBÉM:

– Quais são os escritores mais ricos do mundo?

– Os 11 livros mais polêmicos da história

– O que foi a geração beat?

Diretoria fundadora Cinco escritores foram os primeiros dirigentes da instituição

Cargo – Presidente

Continua após a publicidade

Escritor – Machado de Assis (1839-1908)

Cargo – Secretário-geral

Escritor – Joaquim Nabuco (1849-1910)

Cargo – Primeiro-secretário

Escritor – Rodrigo Octavio (1892-1969)

Cargo – Segundo-secretário

Escritor – Silva Ramos (1853-1930)

Cargo – Tesoureiro

Escritor – Inglês de Sousa (1853-1918)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 12,90/mês