Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Que robôs são utilizados na indústria e na saúde?

Por Bruno Lazaretti Atualizado em 4 jul 2018, 20h19 - Publicado em 10 jan 2013, 15h58

Embora grande parte das máquinas autômatas seja empregada na soldagem em fábricas de automóvel, elas também marcam presença nas indústrias petrolífera, eletrônica, espacial etc. E, ainda que não haja robôs médicos, próteses robóticas e unidades de telepresença já estão em operação nos hospitais. Com uma população mundial de robôs industriais na faixa de 1,1 milhão – além de mais 8,6 milhões de unidades de serviço (desde aspiradores de pó até cirurgiões auxiliares) –, está na hora de conhecer alguns dos modelos mais eficientes e avançados nos parques industriais e na medicina.

130-robos-industria-saude

CHÃO DE FÁBRICA

Máquinas que consertam, transportam e montam outras máquinas e mercadorias

SPHERES

Aplicação: Indústria espacial

Três deles estão na Estação Espacial Internacional desde 2011. Atualmente, ainda estão “aprendendo” a voar em gravidade zero. No futuro, porém, poderão cumprir várias funções, desde medir níveis de radiação na estação até capturar amostras de solo marciano lançados ao espaço por um rover

KIVA

Aplicação: Estocagem e logística

A loja eletrônica Amazon comprou a fábrica desses robôs por US$ 775 milhões para organizar o vaivém de mercadorias vendidas pelo site. Os Kiva recebem o pedido de compra, percorrem o estoque e localizam o produto – levantando prateleiras, se for preciso – e encaminham aos setores de embalagem e envio

ROVs

Aplicação: Indústria petrolífera

A extração de petróleo em alto-mar não existiria sem os ROVs (sigla em inglês para “veículos remotamente operados”). Eles operam a até 7 mil m de profundidade (o recorde humano é de 318 m) e podem fazer manutenção e reparos em tubulações, evitando ou controlando vazamentos

FRIDA

Aplicação: Indústria eletrônica

Taí um protótipo que promete revolucionar as linhas de montagem por ser leve, facilmente programável, preciso e seguro o suficiente para trabalhar com humanos. Ele tem sete articulações em cada braço e delicadas garras acolchoadas para montar smartphones e tablets sem quebrar componentes

Continua após a publicidade

PRECISÃO CIRÚRGICA

Robôs auxiliam médicos em operações delicadas e a dar consultas de longa distância

EKSO

Aplicação: Exoesqueleto robótico

Preso ao corpo de vítimas de paraplegia ou paralisia parcial dos membros inferiores, esse exoesqueleto – ainda em fase de testes – responde a mudanças de postura do usuário para que ele se equilibre e caminhe. Com bateria de até quatro horas, o Ekso ainda está em fase de testes

DA VINCI SI HD

Aplicação: Telecirurgia

Em vez de mãos grandes e suscetíveis a tremores – como as humanas –, pequenas garras e instrumentos robóticos fazem o serviço. Controlada por um cirurgião, a máquina é usada para fazer cirurgias de invasão mínima, executadas por meio de pequenas incisões, sem precisar abrir o paciente

RIBA-2

Aplicação: Enfermagem

Esta é a segunda geração de robôs criados para substituir enfermeiros japoneses na tarefa de levantar pacientes idosos ou incapazes de caminhar. O modelo pode erguer uma pessoa de até 80 kg deitada em um tatame e colocá-la em uma cadeira de rodas com o auxílio de um assistente humano

RP-VITA

Aplicação: Telepresença

Esse robô ambulante promete acabar com o problema de poucos médicos para muitos pacientes. Ele se locomove autonomamente por hospitais e realiza teleconsultas controlado remotamente por um médico e auxiliado por uma enfermeira. Assim, o médico faz exames de rotina sem sair de casa

FONTES abb.com, diginfo.tv, eksobionics.com, fastcompany.com, hizook.com, ifr.org, intuitivesurgical.com, nasa.gov, plasticpals.com, rtc.nagoya.riken.jp, schilling.com, singularityhub.com, spectrum.ieee.org, theregister.co.uk, therobotreport.com e worldrobotics.org imagens Montagem sobre fotos de divulgação

Continua após a publicidade
Publicidade