Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Quem inventou o skate?

Os primeiros relatos de pranchas sobre rodas datam de 1880, mas a patente do skate só foi registrada em 1936.

Por Ana Alice Gallo Atualizado em 26 jul 2021, 13h20 - Publicado em 20 jun 2012, 19h30

Antes de serem produzidos em escala industrial, a partir de 1959, os skates eram fabricados em casa, com crianças e adolescentes encaixando rodas de patins em tábuas e caixotes. Nos anos 1960, o brinquedo virou mania nacional nos EUA e foi destaque na revista Life. As manobras radicais começaram a surgir nos anos 1970, com surfistas da Califórnia (EUA) deslizando pelas ruas e dentro de piscinas vazias – que inspiraram os bowls e half pipes atuais – em dias que não dava praia.

No Brasil, o skate chegou com o apelido de surfinho em 1968. A primeira pista foi construída oito anos depois, em Nova Iguaçu (RJ).

per-126-skate

A reinvenção das quatro rodas

IDADE DO FERRO (1880-1950)

Na era dos patinetes, era preciso ser ousado para descer as ruas sobre tábuas e caixotes pregados a rodinhas de patins, sem apoiar as mãos em nada. Com rodinhas de ferro e pranchas sem aerodinâmica, os tombos eram feios. Para piorar, muitos meninos e meninas brincavam descalços.

Continua após a publicidade

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL (1959)

A primeira fabricante de skates em escala industrial foi a norte-americana Roller Derby. O shape (formato) das pranchas era menor, com nose (frente) arredondado e tail (traseira) reto. Na época, a aposta eram rodinhas de borracha dura, ultrarresistentes, mas sem muito molejo.

IDADE DO PLÁSTICO (1972)

O norte-americano Frank Nasworthy acoplou rodas de poliuretano, mais aderentes e, portanto, seguras. Em 1978, Alan Gelfand inventou o “ollie”, primeira manobra aérea do skate, básica até hoje (consiste em pular junto com a prancha, sem o auxílio das mãos). O shape evoluiu até os modelos atuais, com tail e nose com a mesma inclinação e curvatura.

Curiosidade: o skate não herdou só as rodinhas de patins e patinetes: até meados dos anos 1960, os movimentos eram inspirados na patinação artística.

Consultoria: Leonardo Brandão, historiador e autor de A Cidade e a Tribo Skatista; Eduardo Yndyo Tassara, autor do blog Skatecuriosidade.Com. Fonte: Guinness World Records.

Continua após a publicidade

Publicidade