Logo ME

É verdade que um peixe da Amazônia consegue respirar no seco?

A piramboia precisa se virar quando os rios secam

PERGUNTA DA LEITORA Amanda, Caxias do Sul, RS
ILUSTRA Alexandre de Souza
EDIÇÃO Felipe van Deursen

 (Alexandre de Souza/Mundo Estranho)

“PULMÃO” ESCONDIDO
A piramboia (Lepidosiren paradoxa), semelhante a uma enguia de água doce, habita rios intermitentes (que secam de tempos em tempos) da América do Sul. Ela tem bexiga natatória, órgão que regula a densidade do peixe em relação à água e o ajuda a nadar para o fundo ou para a superfície. Além disso, a bexiga ajuda a respirar no seco

TRANSIÇÃO
Quando os rios estão quase secos, as guelras do bicho não têm mais oxigênio para filtrar na água, interrompem a respiração subaquática e encolhem. Uma glândula faz com que o oxigênio restante da corrente sanguínea vá para a bexiga natatória, que começa a inflar

INCHADONA
O peixe sobe à superfície, abre a boca e engole o máximo de ar que consegue. Mas ele não respira como um mamífero. A estrutura nervosa rete mirabile filtra o oxigênio na bexiga e o leva à corrente sanguínea. Depois, o gás carbônico restante é expelido

 

 (Alexandre de Souza/Mundo Estranho)

1.Brocador
Com o leito completamente seco, o peixe cava uma toca para se esconder dos predadores e não esturricar ao sol. Ele coloca o crânio maciço e as nadadeiras peitorais em ação

2. Entocado
O peixe usa o corpo como broca, se enterra a 1 m de profundidade e se dobra em “U”. A boca fica à altura da entrada do buraco para que o bicho engula ar

3. No sossego
Devidamente instalada e protegida, a piramboia inicia um processo de hibernação.Ela desacelera o metabolismo e secreta pela pele um muco que endurece e forma um casulo, que fica parecendo uma batata. Dentro dele, o peixe se mantém hidratado. Quando as chuvas voltam e enchem o rio, ele volta ao fundo da água e reassume a respiração subaquática

  • A piramboia é capaz de ficar quatro anos nesse estágio
Veja também

CONSULTORIA Naércio de Menezes, especialista em peixes do Museu de Zoologia da USP

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!